Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Como Nossos Pais
    Média
    3,6
    195 notas e 31 críticas
    distribuição de 31 críticas por nota
    5 críticas
    10 críticas
    13 críticas
    1 crítica
    0 crítica
    2 críticas
    Você assistiu Como Nossos Pais ?

    31 críticas do leitor

    Eduardo Santos
    Eduardo Santos

    Segui-los 187 seguidores Ler as 183 críticas deles

    4,0
    Enviada em 3 de setembro de 2017
    Uma mulher de 38 anos, em crise no casamento, insatisfeita no emprego, com várias diferenças em relação à mãe, é a personagem central de Como Nossos Pais, filme mais recente da aclamada e talentosíssima Laís Bodanzky, e que ganhou 6 prêmios (mais que justos, aliás) no Festival de Gramado este ano. Maria Ribeiro é a protagonista, e ela realmente tem uma atuação fantástica. Questões e conflitos familiares, em que toda aquela pressão de ser mulher brilhante, ótima mãe, excelente esposa, boa dona de casa, profissional extremamente qualificada... Tudo recai sobre a mulher moderna. E ai dela se não der conta. E Rosa é falha. Ela chega a um ponto que afirma não dar conta de tanta cobrança. E sofre com uma revelação bombástica da mãe em relação a quem é seu verdadeiro pai biológico. O filme tem muitos pontos altos, e um deles é nunca cair na pieguice. Rosa é uma mulher real, verdadeira, crível. Nada de histrionismo e exageros. E assim os demais personagens também são desenvolvidos. Não são pessoas idealizáveis, e sim facilmente identificáveis, como se diz: “do mundo real”. O elenco é extraordinário. Os destaques óbvios são para Maria Ribeiro, num papel complexo e bem definido, numa atuação firme e naturalista. Clarisse Abujamra então rouba todas suas cenas. Uma personagem forte em uma interpretação marcante e, eu diria até, brilhante. Felipe Rocha e Paulo Vilhena também têm ótimos momentos em cena. Em papeis menores, Jorge Mautner e Herson Capri dão conta do recado com categoria. A direção segura de Bodanzky, a apurada e impecável parte técnica, a sensibilidade do roteiro muito bem construído... O final em aberto pode deixar algumas pessoas insatisfeitas, mas tudo é coerente em cena. Tudo evolve para um filme que teoricamente parece simples, mas que tem uma profundidade rara de se ver nos dias atuais. Um filme maduro, bonito, tocante e que é mais um belo exemplo de que o cinema nacional pode ser universal e muito bem realizado.
    Pedro F.
    Pedro F.

    Segui-los 27 seguidores Ler as 150 críticas deles

    3,5
    Enviada em 21 de setembro de 2017
    Simplismente um bom filme, retrata muito bem a realida de muitas família, mas nada de impressionante
    Yanko Rodrigues
    Yanko Rodrigues

    Segui-los 94 seguidores Ler as 249 críticas deles

    3,0
    Enviada em 2 de janeiro de 2020
    Como Nossos Pais é um filme que retrata muito bem várias famílias brasileiras, fala muito bem sobre traição e divórcio. Mas é uma história muito confusa, e um pouco arrastado.
    Alexandre M.
    Alexandre M.

    Segui-los Ler as 9 críticas deles

    4,0
    Enviada em 11 de setembro de 2017
    Rosa (Maria Ribeiro) está presa em uma carreira que não gosta, em um casamento em conflito, com brigas permanentes com a mãe e tendo que sustentar seu pai meio viajão. Casada com um militante ecologista que está muito mais interessado em salvar a Amazônia do que em ajudar a criar as duas filhas. Rosa é ácida nesse conflito. E transpira pessimismo. Quer ser dramaturga mas tem que ganhar dinheiro escrevendo folder. Não é militante, mas não é alienada, mas expõe a contradição do companheiro entre salvar o mundo e não ajudar nas tarefas da casa. Rosa não é uma donzela que precisa ser salva, mas ela quer, desesperadamente sair da situação de angústia que ela vive. E não adianta esperar príncipe encantado que ele não virá. Destaque para Jorge Mautner com seus discursos filosóficos dão uma cor especial ao filme.
    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 27470 seguidores Ler as 1 716 críticas deles

    3,5
    Enviada em 11 de junho de 2018
    Bom drama nacional! História que mostra com realismo o que ocorre numa família desajustada e sem limites, aqui temos Maria Ribeiro em sua melhor atuação, segura e atraente, onde mostra seu corpo lindo em uma das visões bacana, parte traseira em constaste com a paisagem do seu prédio, levando a fotografia do filme ao seu principal destaque. Como nossos pais não é um grande filme, mas se destaca em meio de tantas porcarias nacionais que saem em nosso país.
    Dagoberto M.
    Dagoberto M.

    Segui-los 114 seguidores Ler as 202 críticas deles

    3,0
    Enviada em 1 de março de 2018
    O cinema brasileiro adora cutucar as relações familiares e isso faz com que os filmes se tornem muito repetitivos.
    Lidice M.
    Lidice M.

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 30 de setembro de 2017
    Belo filmel que fala com simplicidade e sensibilidade sobre questões caras às mulheres . A difícil divisão entre trabalho e o cuidado com os filhos.Entre interesses pessoais e obrigações. A complexidade das relações familiares e amorosas. A cena da personagem da Clarice Abujamra ( numa atuação espetacular!) tocando "como nossos pais" no piano é linda e comovente. Uma cena para não esquecer.
    Kamila A.
    Kamila A.

    Segui-los 3578 seguidores Ler as 570 críticas deles

    4,0
    Enviada em 26 de abril de 2020
    Em Como Nossos Pais, filme dirigido e co-escrito por Laís Bodanzky, acompanhamos a história de Rosa (Maria Ribeiro, numa linda atuação), que se divide entre suas aspirações pessoais (se tornar uma dramaturga) e profissionais (trabalhar como assessora de imprensa); um casamento, aparentemente, em crise com Dado (Paulo Vilhena); a criação de suas duas filhas e a descoberta de um segredo familiar que sua mãe (Clarisse Abujamra) lhe revela. Ou seja, Como Nossos Pais tem como foco uma mulher moderna, que tem que ser filha, esposa, mãe, profissional e que não sabe como dar conta de todos esses papeis de uma forma satisfatória. E muito de quem somos vem da nossa criação, dos valores que nos foram passados, da identidade que adquirimos a partir do momento em que essas nossas personas sociais são descobertas. Por isso mesmo, o título do filme é tão bem adequado à história que vemos em tela. Ao longo de Como Nossos Pais, vemos Rosa tentando fugir ao máximo do estereótipo que seus pais eram, como se ela tentasse ser uma versão própria de si mesma. Este é um dilema que todos nós vivemos, quando chegamos à nossa idade adulta. Até o momento em que percebemos que “apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos, e vivemos, ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais“.
    Crismika
    Crismika

    Segui-los 186 seguidores Ler as 301 críticas deles

    3,5
    Enviada em 7 de abril de 2020
    Bom filme, com uma história consistente e atuações excelentes, com destaque para Clarice Abujanra. Vale a pena conferir.
    Mário Sérgio P.Vitor
    Mário Sérgio P.Vitor

    Segui-los 36 seguidores Ler as 132 críticas deles

    4,0
    Enviada em 28 de fevereiro de 2018
    A cineasta brasileira Laís Bodanzky merece ter seus filmes mais vistos. Há todo um cuidado em suas produções e hoje vi "COMO NOSSOS PAIS', seu filme mais recente. Drama sensível sobre relações familiares e conflitos geracionais, tem algumas arestas mal aparadas e uns poucos excessos. Mas, no conjunto, tem uma luminosidade de esperança, reforçada pelas interpretações precisas das atrizes Maria Ribeiro e Clarisse Abujamra. Não chega ao lirismo e à nostalgia dolorida de um CHEGA DE SAUDADE ou de um vendaval dramático de um BICHO DE SETE CABEÇAS, mas cumpre brilhantemente o papel de enternecer e fazer pensar sobre a vida de um modo mais generoso.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top