Meu AdoroCinema
Menino 23: Infâncias Perdidas no Brasil
Nota média
3,9
7 publicações
  • Almanaque Virtual
  • Cinema em Cena
  • Cineweb
  • O Globo
  • Preview
  • Papo de Cinema
  • Folha de São Paulo

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

7 críticas da imprensa

Almanaque Virtual

por Filippo Pitanga

Belisario alcança um equilíbrio visual de alto conteúdo, bem distribuído entre reconstituição de época belissimamente realizada em preto e branco, depoimentos dos órfãos hoje idosos, entrevistas com especialistas, e imagens de arquivo...

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Cinema em Cena

por Pablo Villaça

Dito isso, Menino 23 é um filme [...] beneficiado por uma estratégia narrativa eficiente ao trazer flashes que ilustram passagens da história daqueles garotos explorados pelos Rocha Miranda principalmente através da atmosfera que sugerem, [...] refletindo as experiências dos dois personagens principais...

A crítica completa está disponível no site Cinema em Cena

Cineweb

por Neusa Barbosa

A contextualização é bem realizada no documentário, que recorre a imagens da época, bem como a pesquisas dando conta de que a Constituição de 1934 continha até mesmo um artigo eugenista (o de número 138).

A crítica completa está disponível no site Cineweb

O Globo

por Daniel Schenker

O diretor também oferece ao público uma oportuna contextualização de época (em especial, dos anos 1920 e 1930), com foco na força do racismo e nas manifestações de nazismo dentro do país.

A crítica completa está disponível no site O Globo

Preview

por Edu Fernandes

Conhecer a história narrada em "Menino 23" é altamente relevante no Brasil atual, onde forças conservadores se avolumam e chegam ao poder – assim como em outras partes do mundo. Por isso, é elogiável a linguagem acessível e instigante do documentário.

A crítica completa está disponível no site Preview

Papo de Cinema

por Marcelo Müller

A narrativa é entrecortada por dramatizações muito bonitas plasticamente, num preto e branco estilizado, com a câmera geralmente lenta. É um recurso forte em alguns momentos [...]. Contudo, já em outros instantes soa como muleta desnecessária.

A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

Folha de São Paulo

por André Barcinski

Essas reencenações, que em outros filmes escorregam para a pieguice, são tão bem feitas que só realçam o poder dramático da história. Fotografia, música e direção de atores são de primeira.

A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top