Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Garota do Livro
     A Garota do Livro
    26 de maio de 2016 / 1h 26min / Drama
    Direção: Marya Cohn
    Elenco: Emily VanCamp, Michael Nyqvist, Ana Mulvoy-Ten
    Nacionalidade EUA
    Ver o trailer
    Assista agora
    Imprensa
    3,2 9 críticas
    Usuários
    3,3 75 notas e 7 críticas
    Adorocinema
    2,5
    Avaliar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Não recomendado para menores de 14 anos
    Alice Harvey (Emily VanCamp), de 28 anos, é uma assistente de uma editora de livros, e sonha em ser escritora. Filha de um poderoso agente literário de Nova York, ela vai ser obrigada e enfrentar dolorosos acontecimentos de seu passado, ao ser convidada para trabalhar no lançamento de um livro de Milan Daneker (Michael Nyqvist), um antigo cliente de seu pai. A jovem precisará ter forças para enfrentar antigos demônios de sua mente, e quebrar seu bloqueio criativo que a impede de realizar seus desejos.
    Título original

    The Girl In The Book

    Distribuidor PLAYARTE PICTURES
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2015
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 1 curiosidade
    Orçamento -
    Idiomas Inglês
    Formato de produção -
    Cor Colorido
    Formato de áudio -
    Formato de projeção -
    Número Visa -

    Assista ao filme

    Online
    Looke Alugar
    Veja todos os filmes online

    Críticas AdoroCinema

    2,5
    Regular
    A Garota do Livro

    A mulher entre os homens

    por Bruno Carmelo
    A editora de livros Alice Harvey (Emily VanCamp) é uma mulher dominada pelos homens ao redor. Ela é subestimada pelo patrão, que a trata como secretária, recebe tratamento infantil do pai distante e autoritário, não cria conexões duradouras com namorados. Levando um trabalho entediante e tendo uma vida social pouco satisfatória, ela alimenta um trauma em seu passado. A Garota do Livro usa ferramentas do drama e do suspense para abordar a aceitação e superação deste trauma. Apesar da narrativa de grande potencial, o roteiro encontra problemas. A história é contada com uma alternância entre a fase adulta, no presente, e a adolescência, no passado. A montagem constrói essa evolução como se guardasse uma grande surpresa, mas fica óbvio desde o início o que ocorre entre a garota de 15 anos, que sonha em se tornar escritora, e seu mentor adulto. Por causa da obviedade da construção, a demor...
    Ler a crítica
    A Garota do Livro Trailer Legendado 2:21
    A Garota do Livro Trailer Legendado
    13548 visualizações
    Pela web

    Elenco

    Emily VanCamp
    Personagem : Alice Harvey
    Michael Nyqvist
    Personagem : Milan Daneker
    Ana Mulvoy-Ten
    Personagem : Alice jovem
    Ali Ahn
    Personagem : Sadie
    Ficha completa

    Comentários do leitor

    Nelson J
    Nelson J

    Segui-los 21730 seguidores Ler as 1 226 críticas deles

    5,0
    Enviada em 30 de maio de 2016
    Estória dramática de uma menina de 14 anos que é abusada por escritor famoso, mas devido ao descrédito dos pais e a dissimulação do abusador, ela passa 15 anos nas sombras, com dificuldade de relacionamentos e de expressão de seus sentimentos encobertos pelo trauma e pela necessidade de se entregar a qualquer um que a deseje, pois ainda se sente invisível para a sociedade e para seus pais.
    Kamila A.
    Kamila A.

    Segui-los 3542 seguidores Ler as 569 críticas deles

    2,0
    Enviada em 6 de outubro de 2019
    O título A Garota do Livro já explica bastante sobre o filme dirigido e escrito por Marya Cohn. Nele, acompanhamos a história de Alice (Emily VanCamp, conhecida pelos papeis em séries como Everwood e Revenge), que é filha de um famoso agente literário e que busca caminhar com suas próprias pernas como assistente de um editor, ao mesmo tempo em que tenta fazer as pazes com suas aspirações como escritora. O roteiro do longa nunca se ...
    Leia Mais
    Marco G.
    Marco G.

    Segui-los 246 seguidores Ler as 244 críticas deles

    4,0
    Enviada em 2 de junho de 2016
    Ótimo filme francês que aborda o abuso sexual de uma adolescente. Qualidade em cinematografia e recomendo.
    Hugo D.
    Hugo D.

    Segui-los 899 seguidores Ler as 318 críticas deles

    2,0
    Enviada em 31 de maio de 2016
    Um drama muito fraco, com roteiro frouxo e cenas que parecem inacabadas e que não se explicam. Próximo do fim da trama é que se consegue entender muita coisa, mas a emoção e dramaticidade que deveria ser passada ficou numa mera lembrança. As atuações das protagonistas, adolescente e atual (Emily VanCamp) são muito fracas. Enfim um filme dispensável.
    7 Comentários do leitor

    Fotos

    10 Fotos

    Curiosidade das filmagens

    Fake

    A Alice jovem, interpretada por Ana Mulvoy-Ten, usa lentes de contato castanho-escuras. Na vida real, a atriz tem olhos azuis.

    Últimas notícias

    Alice Através do Espelho é a maior estreia da semana
    NOTÍCIAS - Lançamentos
    quinta-feira, 26 de maio de 2016
    Filme de suspense Jogo do Dinheiro, com George Clooney e Julia Roberts e drama A Garota do Livro, com Emily VanCamp também...

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Senhor Ivan
      É difícil olhar o rostinho angelical de Emily VanCamp e já não pensar nas vinganças que ela queira realizar.Até que se apresenta bem boazinha aqui.O filme não entrega quase nada de interessante.>Assistido em 07 de Novembro de 2019-Dou nota 5/10
    • Bernardo Delucca
      Bom filme. Boa história e boas interpretações. O drama prende a sua atenção e força você a analisar os fatos a medida que vão se sucedendo. O terço final do filme é bastante previsível, mas não podia ser de outra forma.Nota 7/10. Assistido em 04/07/2019.
    • Bru
      Filme que aborda um tema extremamente importante e que poderia se tornar um bom drama, mas é mal executado e mal desenvolvido.A história contada possui uma forte carga dramática, que não é bem retratada na fraca atuação de Emily VanCamp, que deixa a desejar em todos os momentos.No mais, apesar de conseguir incomodar em algumas cenas, o filme é um desperdício de um material que tinha potencial, e não passa de uma produção rasa e mediana.Nota: 6/10.
    • Andries Viljoen
      The Girl in The Book é uma história de superação - na verdade, do processo de superação de Alice, a respeito de uma situação ocorrida ainda em sua adolescência. Percebemos o quanto a protagonista adiou o momento de encarar seu próprio trauma, uma situação mal resolvida dentro dela própria e que lhe deixou sequelas - as quais o filme explorou bem... interessante como o filme explora a forma em que tomamos nossas decisões atuais baseadas em cicatrizes antigas.A promiscuidade da Alice, por exemplo, é um reflexo do abuso e desilusão por ela sofridos. Há um vazio em seu interior que tenta preencher com rostos aleatórios e relacionamentos efêmeros. Ela vai a bares, sorrindo a alguém que levará para a cama, e se frustra na manhã seguinte, porque isso não tirou dela o que a incomoda. O problema maior é quando, finalmente, se envolve com uma pessoa de quem passa a gostar e conhece a reciprocidade - a partir de então suas atitudes passam a refletir em outro alguém, e essa é uma situação para a qual não está preparada. Alice ainda não sabe lidar com o fato de ter conhecido Emmett, mas a presença dele e o que ele representa é importante para ela e, sabendo disso, ele se torna um motivo a mais para deixar de ser a coadjuvante da própria vida. Desse modo, o romance se justifica, embora não tenha me convencido.Outro reflexo do trauma pode ser percebido nas dificuldades que ela tem para escrever. Somente após uma breve conversa com o seu antigo fantasma, ela consegue se libertar da personagem que a eclipsava. A partir de então, sente-se finalmente pronta para escrever. Nesse quesito, achei o filme bem sucedido.Gostei também do cenário no qual o filme se passa: o mercado editorial, movido por quem tem o poder de, num estalar de dedos, fazer as coisas acontecerem - a exemplo da influência do pai de Alice. Além disso, são levantadas questões como a apropriação de ideias, plágio e outras.Ainda com algumas dramatizações excessivas e arcos mal explorados, o filme é finalizado de forma satisfatória, mas sem surpresas. Maaaaaaaaas, claramente presta um desserviço.Fiquei esperando um momento de confronto, um momento em que a protagonista reivindicar seus créditos pelo bestseller ou que desmascarasse o escritor. Sei que não é fácil, que falar assim é cobrar muito de alguém marcada por traumas e que na vida real dificilmente esse confronto acontece, porém o filme é extremamente simplista. Quer resolver problemas sérios com amor verdadeiro. Eu queria mesmo ter visto Alice se tratando, evoluindo com sua escrita, se libertando do que a incomoda (de certa forma ela faz isso, mas não deram a ênfase necessária). E, mais importante, queria vê-la fazendo isso por ela mesma. Do jeito que o filme retrata a sua busca por estabilidade pareceu que ela o fez muito mais por dever algo aos outros do que por si mesma.Parece que ela precisava chorar pra se libertar do passado doloroso. Mais um retrato de abuso. Uma vítima que não ficou quieta, mas que não foi ouvida.Quando ela decidiu o prato no restaurante e se impôs contra os desejos do pai foi um sinal que ela estava pronta a não aceitar tudo.Eu gostei bastante do crescimento dela. Odiei ver o Milan sair livre e ainda com sucesso dessa história, mas ela fez o que precisava ter feito quanto mais jovem.
    Mostrar comentários
    Back to Top