Meu AdoroCinema
  • Meus amigos
  • Meus cinemas
  • Notas Express
  • Minha coleção
  • Minha conta
  • Promoções
  • Desconectar
Quelé do Pajeú
Média
3,2
3 notas e 1 crítica
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
100% (1 crítica)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
Você assistiu Quelé do Pajeú ?

1 crítica do leitor

Alex E.
Alex E.

Segui-los Ler as 2 críticas deles

3,5
Enviada em 26/04/17
É um bom filme, com boa atuação do protagonista Quelé (interpretado por Tarcísio Meira) e de todo o elenco, em especial do antagonista Cecílio (interpretado por Jece Valadão). Essa obra do fim dos anos 60 mostra além do "caminho do herói" do protagonista Quelé todo um contexto do sertão brasileiro da primeira metade do século XX. A trama é interessante (prende sua atenção, e o deixa motivado a saber o desfecho da trajetória do herói do filme: Quelé). A película, mostra o clima do sertão nordestino, a aridez, o sofrimento da vida do sertanejo, a pobreza e as mazelas sociais pelas quais sofrem desde os tempos mais antigos os sertanejos brasileiros. A trajetória de Quelé é tensa, tortuosa, cheia de desatinos e infelicidades. Ele se depara com todo tipo de figura em sua jornada para fazer justiça após a maldade sem medida cometida por Cecílio contra sua Irmã caçula: Marizolina. Quelé se vê envolvido com bandidos, miseráveis, policiais, cangaceiros e outros. E quando finalmente parece que foi encontrar algum sossego, após encontrar Cecílio: o malfeitor que tirou a honra de sua irmã, e retornar para o descanso de seu lar e para perto de sua família, acompanhado do amor de sua vida Maria do Carmo (interpretada por Rossana Ghessa), eis que a polícia vem ao seu encalço para prende-lo após Quelé matar um policial em sua busca para encontra Cecílio. O final tem um caráter épico com o protagonista encerando a sua "jornada do Herói" lutando contra os policiais, entrando para o bando de cangaceiros e se tornado um deles pelo ódio e desejo de vingança pela morte de sua amada companheira (Maria do Carmo), vitima de uma bala perdida. Há de se destacar a morte, de Cecílio agora não podendo ser visto apenas como um vilão, mas como um alguém que reconheceu seu erro e tem uma morte como herói. Cecílio dessa forma passa de um estuprador desprezível a alguém que tem seu momento de glória ao enfrentar a policia com bravura e morrer pelas balas dos policiais, que farão capturar Quelé e a família do protagonista. Em resumo é um bom filme nacional.
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top