Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Dunkirk
    Média
    4,2
    1517 notas e 171 críticas
    distribuição de 171 críticas por nota
    40 críticas
    59 críticas
    41 críticas
    20 críticas
    7 críticas
    4 críticas
    Você assistiu Dunkirk ?

    171 críticas do leitor

    Ricardo L.
    Ricardo L.

    Segui-los 27516 seguidores Ler as 1 716 críticas deles

    5,0
    Enviada em 17 de agosto de 2017
    O melhor filme do ano até então! 2017 é sua marca, Nolan está mais uma vez perfeito, sua direção é impressionante, enquadramentos com nexo e metáforas que impõe respeito. Roteiro é simples e espetacular, elenco nota 10, fotografia mais linda do ano, parte técnica não tem nem o que falar é "Foda" ou seja é um filme que tem que ser visto de uma forma especial. no cinema é indispensável, quem ver fora dele vai perder uma sensação incrível de se sentir dentro do filme. assistam: Obra primorosa. Lembrete: Dunkirk até então é o melhor filme do ano de 2017 e La la Land é o melhor filme de 2016 ae fica a dica. Abs,
    Anderson  G.
    Anderson G.

    Segui-los 592 seguidores Ler as 268 críticas deles

    4,5
    Enviada em 31 de julho de 2017
    Agoniante, claustrofóbico, opressor, arrebatador e sonoro, esses são os verbos que podemos utilizar para compor com tags o novo filme de Nolan, que dessa vez se destaca pela técnica e não pelo roteiro , “dunkirk” é um filme que convida o telespectador a sentar na poltrona e o sodomiza no melhor sentido da palavra, pois você sofre, se afoga e combate junto com os personagens, “dunkirk” é um filme de sobrevivência, mal temos luta corpo a corpo ou troca de tiros, ou mesmo diálogos, o que nos temos aqui é o mais puro instinto de sobrevivência alienado a uma ambientação e uma mixagem e edição de som maravilhosos. Temos um roteiro que é caracterizado por três núcleos que se unem em torno de um objetivo, resgatar e auxiliar os soldados franceses e ingleses presos na praia de Dunkirk, o roteiro contem poucos diálogos e pouca construção de personagem, e deixa o telespectador mais distraído completamente perdido, mas quem prestar atenção, ira se maravilhar pela narrativa quase orquestral que Nolan constrói. O roteiro conta a historia de resgate dos soldados britânicos e franceses seguindo por três pontos, pelo mar, a onde conta a historia de um civil que disponibiliza seu barco para ajudar no resgate, de forma área, a onde conta a historia de três pilotos responsáveis para dar proteção aérea aos soldados presos na praia, e por terra, a onde mostra a angustia dos jovens soldados lutando para sobreviver. “Dunkirk” não ameniza, e faz o telespectador sentir o horror da guerra em sua mais forte plenitude, não temos lição de moral ou uma mensagem a transmitir, temos apenas o horror e desespero. Raríssimas vezes um filme se destaca por sua mixagem e edição de som, mas Dunkirk é um filme que grita “ME ASSISTA NUM CINEMA, E DE PREFERENCIA, NO IMAX” pois sua qualidade sonora é algo inexplicável, extremamente apavorante, de dar pulos na cadeira e roer as unhas, de se abaixar junto com os soldados e segurar a respiração para não se afogar, alinhado a isso temos uma trilha estonteante, temos uma trilha que chama a atenção e esta sempre presente, e uma mais fugaz que dita o ritmo do filme, temos um “TIC, TIC, TIC, TIC” o tempo inteiro, esse som, é nossos batimentos cardíacos, que se aperta e se afrouxa conforme a tensão da cena, isso é maravilhoso e de uma grande inteligência, pois acabamos se alienando a esse som e ele dita não apenas o filme como a nossa angustia, foi uma jogada de mestre a introdução desse simples elemento que pode passar desapercebido por muitos, também temos que citar a ótima montagem do filme, que aliena os três núcleos com perfeição, a fotografia azulada que nos mostra um clima extremamente tropical e lindo, contraponto o terror mostrado em cena, e por ultimo, mas não menos importante, a direção de arte, que cumpre o seu papel com maestria, mostrando todos os detalhes, roupas, acessórios, barcos, aviões, é lindo de se ver. Nolan tem um orçamento gigante para os seus filmes, e poderia trazer praticamente os atores que quisesse, pois fora o dinheiro, ainda tem nome, mas não, não temos nemhum ator no filme para se colocar no cartaz gigante, nosso maior nome aqui é Mark Rylance, ganhador de um oscar de melhor ator coadjuvante, e claro, Fionn Whitehead, mais conhecido por sua banda do que como ator, mesmo assim, todos os atores estão bem no filme e cumprem seus pais, e isso passa ainda mais uma ideia de como a guerra foi feita por anônimos em meio a multidão. Nolan é um dos nomes mais discutido dos últimos anos na indústria, uns o amam, outros o odeiam, eu particularmente acho que ele é supervalorizado demais, mas gosto de todos os filmes dele, em especialmente “Dunkirk”, ele sabe ser comercial e ao mesmo tempo complexo, faz filmes de qualidade que chegam e são reconhecidos pelo grande publico, então se as únicas opções são amar ou odiá-lo, eu fico com amar, mas com ressalvas. “Dunkirk” é um filme interessante que com certeza vai levar óscar de edição e mixagem de som e talvez mais alguns oscars técnicos, mas não vai passar disso, mesmo assim, é um ótimo filme que vale a pena ser gastado o ingresso.
    cinetenisverde
    cinetenisverde

    Segui-los 15200 seguidores Ler as 1 122 críticas deles

    5,0
    Enviada em 25 de julho de 2017
    Dunkirk é o pedido de desculpas bem empacotado de Christopher Nolan por ter feito de Interestelar um filme bem meia-boca. Aqui não temos dramas muito bem desenvolvidos de personagens, o que favorece o estilo esquemático de Nolan, que vem acompanhado de uma equipe competentes na edição, fotografia, atuações, design de som, trilha sonora e o próprio Nolan, que dirige e descreve este evento da Segunda Guerra com uma maestria ultrarrealista histórica e naturalista que faz jus ao uso dos 70mm na filmagem. Nos sentimos imersos na ação, seja ela dentro de um navio, de um caça ou em um imenso píer lotado de soldados loucos para voltar para casa, acuados pelo inimigo. O filme exibe atores de peso sem que eles atuem em prol de si mesmos. Do estreante Fionn Whitehead ao veterano Kenneth Branagh, todos estão muito bem. A câmera de Nolan nos mostra a visão subjetiva de soldados fugindo da guerra e de pilotos preocupados com seus conterrâneos lá embaixo. Os momentos na praia e no mar, tensos por natureza, se tornam mais tensos por conta da trilha sonora espetacularmente conduzida por Hans Zimmer, que não poupa esforços em ser notado, e consegue em quase todas as cenas. Porém, este é um filme que é feito para se tornar clássico, épico e quase um documentário de sua época, seja esta a Segunda Guerra ou o momento atual, onde vivemos uma crise polítia que poderia desencadear situação semelhante. Emergindo um patriotismo humanista modesto, mas honesto, Dunkirk é tudo menos um filme de guerra comum. Filmes de guerra comuns exageram no drama. Este é um retrato fiel da luta humana pela sobrevivência e pela cooperação. Assista no cinema. cinetenisverde.com.br
    Kamila A.
    Kamila A.

    Segui-los 3584 seguidores Ler as 570 críticas deles

    4,5
    Enviada em 11 de agosto de 2017
    Dunkirk, filme dirigido e escrito por Christopher Nolan, se passa durante a II Guerra Mundial, quando após a invasão da França pelas tropas nazistas, em 10 de maio de 1940, os alemães conseguiram avançar no território francês rapidamente, ao ponto de deixarem sitiados mais de 300 mil soldados das forças francesas, inglesas, belgas e holandesas. Em decorrência disso, uma missão que ficou conhecida como Operação Dínamo foi deflagrada e, tendo como líder o Vice-Almirante Bertram Ramsey, o resultado foi o resgate de quase 340 mil soldados das tropas aliadas, sob intenso bombardeio das tropas alemãs. O roteiro escrito por Christopher Nolan se divide entre o que acontece na cidade francesa de Dunquerque (a Dunkirk que dá nome ao filme), por meio do retrato da situação em que os soldados estavam, bem como por meio das especulações do alto comando sobre as verdadeiras intenções do então Primeiro-Ministro Winston Churchill (e que residia na resposta à pergunta de ouro: quantos homens seriam evacuados?) e aquilo que estava acontecendo em solo inglês, quando a Marinha britânica ordena que barcos civis e mercantes saiam em busca do resgate desses verdadeiros heróis de guerra. É interessante notar a maneira como Nolan estrutura seu filme. A ameaça das tropas nazistas é quase velada, na medida em que os soldados em Dunquerque não tocam no nome dos inimigos e nem mesmo nós, da plateia, conseguimos vê-los. Eles estão sempre à espreita, bombardeando, atacando e esperando um momento de distração desses soldados. Ainda assim, Nolan também acerta por enfocar o seu olhar sob os soldados que estavam naquele campo de batalha. Mesmo sem conhecermos as suas histórias pregressas, iremos torcer para que eles saiam dali sãos e salvos. É difícil tentar definir uma obra como Dunkirk. O filme é um longa de ação, que se passa num panorama histórico e que tem uma carga dramática fortíssima. Chega a ser interessante demais ver um filme que se passa na II Guerra Mundial, em que, pela primeira vez, a coragem e o heroísmo não estão do lado dos norte-americanos, e sim dos ingleses. A convergência entre os trabalhos do diretor, do elenco e da equipe técnica está muito presente – em destaque na montagem de Lee Smith, na maravilhosa trilha sonora de Hans Zimmer (e que tem um papel fundamental na trama de Dunkirk) e no trabalho da equipe de som. Para voltar um pouco à reflexão do início desse parágrafo, é como se essa convergência nos mostrasse que Dunkirk nada mais é do que um grande suspense psicológico sobre a dinâmica da guerra e sobre os efeitos que ela possui naqueles que estão envolvidos diretamente – e indiretamente, uma vez que, mesmo não estando no campo de batalha, não estamos imunes ao conflito – nela.
    Ane L.
    Ane L.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 4 críticas deles

    3,0
    Enviada em 21 de agosto de 2017
    Os efeitos do filme sao indiscutíveis!Parece que se esta "dentro" da guerra, porém a história em si achei bem vaga e superficial, pq nao se aprofunda na história de nenhum personagem.
    Cid V
    Cid V

    Segui-los 21 seguidores Ler as 197 críticas deles

    2,5
    Enviada em 10 de fevereiro de 2020
    Soldados aliados se veem encurralados em Dunkirk, onde a morte pode vir por terra ou ataque aéreo. Dentre esses se encontra um assustado soldado francês (Bonnard) que consegue furar o bloqueio do exército britânico que, em manobras de evacuação, não permite que seus compatriotas, mesmo aliados, ingressem em seus vasos de guerra. O Sr. Dawson (Rylance), por sua vez, leva um filho e o amigo desse nessa arriscada empreitada de solidariedade civil. Mais em: https://magiadoreal.blogspot.com/2020/02/filme-do-dia-dunkirk-2017-christopher.html
    Reginaldo B.
    Reginaldo B.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 8 críticas deles

    2,5
    Enviada em 23 de agosto de 2017
    Bem fraco , efeitos especiais amadores, história longa c poucos detalhes,cansativo não gostei produção bem fraca dava p ver q foi feito no fundo dos estúdios
    Ric Brandes
    Ric Brandes

    Segui-los 72 seguidores Ler as 102 críticas deles

    4,5
    Enviada em 31 de julho de 2017
    O gênero de guerra é um dos mais presentes e marcantes na história da Sétima Arte, desde seus primórdios. E o diretor britânico Christopher Nolan (A Origem, Interestrelar e Batman,o cavaleiro das trevas) resolveu aventurar-se nestas águas turbulentas e tão navegadas, em busca de uma nova visão sobre o tema. Em Dunkirk, o diretor consegue explorar os recursos cinematográficos com maestria, deixando de lado as questões tecnológica e do 3D em cena. E com genialidade, consegue inserir o espectador em uma experiência de imersão dentro da segunda Guerra Mundial, mais precisamente na história real da grande batalha de Dunkirk, onde mais de 300 mil soldados aliados foram evacuados de forma heroica, pelo mar, em meio ao cerco inimigo. É fato que Dunkirk tem qualidade acima da média, e consegue se sobrepor com maestria aos demais filmes do gênero, trazendo uma história eletrizante e envolvente. Já nos primeiros minutos, uma sequencia de ação provoca o espectador e convida a acompanhar a ação, junto a um grupo de soldados. Tiros. Bombas. Correria. A guerra e seu lado mais perverso da sobrevivência humana. O drama e a tensão do conflito podem ser sentidos por terra, ar e mar, mesclando terrenos e cenários em uma só história com vária subtramas. O filme pode parecer confuso, em alguns momentos, mas certamente tem aprovação unânime do público e crítica. Como curiosidade, entre o talentoso elenco, estão Tom Hardy (Mad Max) no papel de um heroico piloto de guerra, e Harry Styles (cantor do OneDirection) em um excelente papel.Um elenco de qualidade, que traz ainda mais realismo e emoção ao filme. Por fim, Dunkirkacerta com louvor ao trazer esta experiência eletrizante para os espectadores, com uma nova visão sobre a guerra. Peca em sua parte final, ao alterar e reescrever, em nome do patriotismo do diretor Britânico, a realidade dos fatos históricos que culminaram no resgate dos mais de 300 mil soldados em Dunkirk. Sim, é quase unânime a opinião de que a cena final de Dunkirk, forçada e desnecessária, poderia ter sido mais realista. Mas nada que tire o brilho desta superprodução, que conquista com louvor o coração do público e crítica. E na mensagem final, fica claro que, na guerra, não existem heróis ou vencedores. Somente seres humanos lutando entre si, de forma irracional. Os verdadeiros heróis de guerra são aqueles que lutam para que ela não aconteça! Super recomendo Dunkirk, para quem curte um filme de qualidade, baseado em fatos reais. Por RicBrandes
    Felipe F.
    Felipe F.

    Segui-los 1078 seguidores Ler as 490 críticas deles

    5,0
    Enviada em 2 de julho de 2018
    Um dos melhores filmes de guerra já feito e um dos melhores filmes da carreira de Nolan. Dunkirk te faz sentir estar na guerra com muita tensão e com técnicas de filmagens incríveis. A fotografia é esplêndida e a trilha sonora de Hans Zimmer é impecável. Com ótimas atuações e um roteiro perfeito, Dunkirk é um filmaço.
    Alyson F.
    Alyson F.

    Segui-los Ler a crítica deles

    2,5
    Enviada em 28 de julho de 2017
    É um destes filmes em que o marketing evolui a sua expectativa em detrimento da realidade. Não há envolvência e carisma como em "Resgate do Soldado Ryan", nem uma história que conquiste o coração dos espectadores como em "Platoon", muito menos originalidade e conceito como em "Apocalypse Now". Me pareceu mais um espetáculo de efeitos explosivos e audiovisuais, ambientados no cenário da 2a grande guerra. Em resumo, seria como ver "Os Vingadores" ´gastando´ o Kenneth Branagh nele.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top