Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    A Livraria
    Nota média
    2,6
    15 publicações
    • Diário de Pernambuco
    • Observatório do Cinema
    • Cineweb
    • Estado de São Paulo
    • O Globo
    • The Hollywood Reporter
    • Variety
    • Almanaque Virtual
    • Cineplayers
    • Folha de São Paulo
    • Preview
    • Screen International
    • Veja
    • Zero Hora
    • Críticos.Com.Br

    Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

    15 críticas da imprensa

    Diário de Pernambuco

    por Breno Pessoa

    O ritmo crescente das tentativas de sabotar o bem-intencionado negócio e os esforços incansáveis dos opositores diminuem o senso de realidade da trama, que adquire tons fantasiosos. [...] uso recorrente da narração ao longo de todo o filme. Em muitos casos cansativo, o recurso funciona bem em "A Livraria".

    A crítica completa está disponível no site Diário de Pernambuco

    Observatório do Cinema

    por Rodrigo Scharlack

    Esteticamente, o filme beira a perfeição. A cidade inglesa é fria, cinza e triste. Enquanto isso, as cores vão se mesclando de acordo com as peças e personagens, trazendo mais movimento para trama.

    A crítica completa está disponível no site Observatório do Cinema

    Cineweb

    por Alysson Oliveira

    Um dos maiores acertos do filme é ter Emily Mortimer interpretando Florence – ela se mostra uma atriz capaz de transmitir a sutileza da personagem, mesmo quando a diretora, o filme e a trilha sonora (assinada por Alfonso de Vilallonga) pesam.

    A crítica completa está disponível no site Cineweb

    Estado de São Paulo

    por Luiz Zanin Oricchio

    O filme tem visual bonito, boas interpretações e defende o potencial civilizatório dos bons livros. Como ser contra? Mas o enredo gira em falso em sua falta de verossimilhança, feita de conflitos tão implausíveis como superficiais.

    A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

    O Globo

    por Daniel Schenker

    Coixet assina o roteiro deste filme simpático. Além de Mortimer e Nighy, Patricia Clarkson se destaca interpretando Violet, determinada a atrapalhar os planos da protagonista. “A Livraria” tem sua suavidade minimizada por eventuais tiradas ácidas.

    A crítica completa está disponível no site O Globo

    The Hollywood Reporter

    por Jonathan Holland

    Sua influência subversiva, incorporado por performances ótimas de Emily Mortimer e Bill Nighy, é o que torna o filme realmente interessante.

    A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

    Variety

    por Guy Lodge

    Essa foi uma adaptação frustrantemente incoerente, nas quais algumas das observações mais sagazes de Fitzgerald sobre política e elegância da supostamente tranquila vida de vila inglesa, se perdem um pouco. O protagonismo emocional de Emily Mortimer ajuda a dar vida para esses processos quietos, empoeirados.

    A crítica completa está disponível no site Variety

    Almanaque Virtual

    por Raíssa Rossi

    O problema, entretanto, é a falta de profundidade tanto dos personagens quanto do drama em si, assim como na ingenuidade da autora de que algo em "A Livraria" poderia realmente funcionar. O enredo é tão pouco crível, sem surpresas e fatos que prendam a atenção que logo cai na monotonia.

    A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

    Cineplayers

    por Francisco Carbone

    Sua construção dramática sensível não abre maiores possibilidades técnicas ou autorais a um filme que aparenta apenas querer entreter a maior parte da plateia, intuito esse que se crê alcançado. Mas no que concerne seu potencial cinematográfico, "A Livraria" não vai além.

    A crítica completa está disponível no site Cineplayers

    Folha de São Paulo

    por Lúcia Monteiro

    Com uma narração em voz-over por vezes dispensável, o filme custa a encontrar seu tom. No início, tem ares de melodrama histórico; depois, aproxima-se de narrativas edificantes protagonizadas por mulheres destemidas.

    A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

    Preview

    por Suzana Uchôa Itiberê

    A diretora Isabel Coixet [...] conduz a história com rédea curta na emoção e o resultado é uma obra contida, sem muito apelo ao grande público. [...] falta uma energia extra, aquele ímpeto que talvez a aproximasse mais da mulher contemporânea.

    A crítica completa está disponível no site Preview

    Screen International

    por Demetrios Matheou

    A adaptação de Coixet joga fora os elementos do romance de Fitzgerald, deixando apenas um drama mórbido sobre o triunfo dos realistas. Apesar de ganhar três Goyas e ter uma bilheteria espanhola impressionante, é improvável que a resposta dos críticos vai ser positiva no resto do mundo.

    A crítica completa está disponível no site Screen International

    Veja

    por Miguel Barbieri Jr.

    O drama, pouco estimulante, é baseado no livro da inglesa Penelope Fitzgerald, estrelado por ingleses (!), falado em inglês (!!) e ambientado numa vila de pescadores da Inglaterra (!!!). [...] A trama, contudo, não aprofunda conflitos e deixa no ar um certo ranço conformista.

    A crítica completa está disponível no site Veja

    Zero Hora

    por Carlos André Moreira

    O resultado é que A Livraria parece vacilar sobre que tom assumir entre o humor seco e o drama – algo que a prosa de Fitzgerald equilibrava naturalmente – e ampara-se em uma narração em off ocasional e ainda assim redundante.

    A crítica completa está disponível no site Zero Hora

    Críticos.Com.Br

    por Luiz Fernando Gallego

    O pior desse tipo de filme é jogar com a ideia de que defende “cultura”, leitura, literatura, quando não passa de um amontoado de clichês mal alinhavados...

    A crítica completa está disponível no site Críticos.Com.Br
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top