Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Vingadores: Ultimato
    Nota média
    3,9
    22 publicações
    • Cinema com Rapadura
    • Cinepop
    • Collider
    • Omelete
    • The Guardian
    • CineClick
    • Screen Rant
    • Chicago Sun-Times
    • Estado de São Paulo
    • Observatório do Cinema
    • O Globo
    • ScreenCrush
    • Télérama
    • The Playlist
    • Variety
    • Washington Post
    • Cineweb
    • Critikat.com
    • New York Times
    • Screen International
    • The Hollywood Reporter
    • Folha de São Paulo

    Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

    22 críticas da imprensa

    Cinema com Rapadura

    por Denis Le Senechal Klimiuc

    Devastador, este é o efeito de “Vingadores: Ultimato”. Um gigantesco estrondo que transforma esta experiência cinematográfica em algo arrebatador, cuja vivência ficará na memória por um longo tempo.

    A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

    Cinepop

    por Renato Marafon

    Épico, audacioso e impecável, "Ultimato" consegue encerrar com louvor a história dos nossos heróis e abrir portas para um novo ciclo que promete ser ainda mais surpreendente que este.

    A crítica completa está disponível no site Cinepop

    Collider

    por Matt Goldberg

    Em "Ultimato", o investimento [nos filmes interiores da franquia] rendem fruntos com um filme épico que consegue ser ao mesmo tempo empolgante, hilário e poderoso. "Vingadores: Ultimato" não é apenas tudo o que a gente queria de um blockbuster, é algo que só o MCU poderia fazer.

    A crítica completa está disponível no site Collider

    Omelete

    por Marcelo Hessel

    "Ultimato" funciona acima de qualquer expectativa: não só entrega uma experiência catártica maior que Guerra Infinita como ainda firma posições definitivas em relação aos destinos do MCU.

    A crítica completa está disponível no site Omelete

    The Guardian

    por Peter Bradshaw

    Em toda a sua grandiosidade surrealista, em todo o seu delirante absurdo, há uma enorme onda de entusiasmo por esse poderoso final, finalmente trocando emoções eufóricas e nos dando despedidas pungentes. O espetáculo puro e exótico é irresistível.

    A crítica completa está disponível no site The Guardian

    CineClick

    por Daniel Reininger

    O filme passa rápido, com ritmo fluído e narrativa coesa. [...] Claro, existem alguns erros e atalhos de roteiro, mas nada que tire o brilho dessa produção incrível, que deve ter sido um verdadeiro inferno para roteirizar, filmar, conciliar agendas do elenco e editar.

    A crítica completa está disponível no site CineClick

    Screen Rant

    por Molly Freeman

    Além de desenvolver melhor os conflitos dos personagens, "Vingadores: Ultimato" apresenta um espetáculo de super-heróis como nunca visto antes no Universo Cinematográfico Marvel - ou em qualquer outro filme de super-herói antes.

    A crítica completa está disponível no site Screen Rant

    Chicago Sun-Times

    por Richard Roeper

    "Vingadores: Ultimato" passa como uma brisa através de seu tempo de quase três horas sem nenhum momento monótono ou um tropeço no desenvolvimento da trama. [...] Em um filme cheio de performances maravilhosas, os destaques são Scarlett Johansson, Chris Hemsworth e acima de tudo Robert Downey Jr..

    A crítica completa está disponível no site Chicago Sun-Times

    Estado de São Paulo

    por Luiz Carlos Merten

    Mais drama, mais intensidade dos conflitos, mas não, necessariamente, menos ação nem menos efeitos. O filme é mais ambicioso, necessita de mais tempo para que o espectador possa absorver tudo. A perda e a reação, por isso a duração de mais de três horas.

    A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

    Observatório do Cinema

    por Caio Lopes

    É seguro dizer que quase nada do que foi visto nos filmes anteriores passou batido pelos roteiristas, que resgatam pontos passados de novas e inventivas perspectivas.

    A crítica completa está disponível no site Observatório do Cinema

    O Globo

    por Sérgio Rizzo

    Por mais que a trama se desenvolva em diversos planos, as três horas de duração de "Ultimato" não escondem barrigas e redundâncias. Mas é preciso entender que o público-alvo [...] está inclinado a vibrar, aplaudir e urrar com a simples aparição de seus personagens favoritos na tela.

    A crítica completa está disponível no site O Globo

    ScreenCrush

    por Matt Singer

    Ele é mais leve e mais claro do que "Guerra Infinita", com alguns momentos próximos do depressivo (e outros, perto do pastelão). Mesmo com o destino de metade do universo em risco, "Ultimato" mantém uma ritmo vibrante.

    A crítica completa está disponível no site ScreenCrush

    Télérama

    por Cécile Mury

    Foram necessárias três horas para terminar com grandeza as aventuras dos Vingadores. Dirigido por Anthony e Joe Russo, "Ultimato" consegue realizar um apanhado de melhores momentos de seu próprio universo.

    A crítica completa está disponível no site Télérama

    The Playlist

    por Charles Barfield

    [Os personagens lidam] com a perda de maneira incrivelmente catártica, empolgante e satisfatória. No entanto, se você não for alguém que conhece cada personagem por nome, prepare-se para embarcar num filme confuso de três horas de duração.

    A crítica completa está disponível no site The Playlist

    Variety

    por Peter Debruge

    "Vingadores: Ultimato" é o filme mais expansivo até agora, e se esforça para fornecer uma catarse emocional para vários dos personagens favoritos dos fãs. É até seguro dizer que o filme muda o foco de exibições de efeitos para o custo mais humano do heroísmo, que vem em grande sacrifício pessoal.

    A crítica completa está disponível no site Variety

    Washington Post

    por Michael O'Sullivan

    O filme é ao mesmo tempo triste e profundamente satisfatório, complicado e surpreendentemente cômico. Se muitos de nós cresceram com o MCU, os filmes em si também se tornaram mais complexos, como um bom vinho. Se "Guerra Infinita" foi sobre o fracasso, "Ultimato" é sobre aceitação e seguir em frente.

    A crítica completa está disponível no site Washington Post

    Cineweb

    por Neusa Barbosa

    Sendo o epílogo da série de filmes dos Vingadores, este aqui sinaliza também o fim da linha para alguns personagens - um deles, em particular, deve provocar grande comoção. Será que é definitivo?

    A crítica completa está disponível no site Cineweb

    Critikat.com

    por Anthony Moreira

    Apesar de abordar a questão da morte, "Vingadores: Ultimato" acena o futuro com serenidade, como se pode ver pela presença abundante de figuras paternas (Tony e Howard Stark, Scott Lang e Clint Barton), cuja relação com seus filhos impede a perspectiva do desaparecimento.

    A crítica completa está disponível no site Critikat.com

    New York Times

    por A.O. Scott

    "Vingadores: Ultimato" acerta pontuações, encerra as pontas soltas e dá uma volta com vitória. Além disso, os protagonistas algumas faíscas cômicas, bem como algumas lágrimas honestas.

    A crítica completa está disponível no site New York Times

    Screen International

    por Tim Grierson

    Depois de mais de uma década, a primeira era do MCU chega a um final imperfeito e divertido com "Vingadores: Ultimato". Não marca o ápice da franquia, mas explora habilmente nosso gosto por personagens bem desenhados, permitindo ao espectador uma última oportunidade de curtir o heroísmo estimulante.

    A crítica completa está disponível no site Screen International

    The Hollywood Reporter

    por Todd McCarthy

    O que é mais evidente aqui, por incrível que pareça para um filme derivado de histórias em quadrinhos e dirigido por efeitos, são as performances dos atores, especialmente de Downey, Ruffalo, Evans, Hemsworth, Brolin e Paul Rudd como o Homem-Formiga.

    A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

    Folha de São Paulo

    por Ivan Finotti

    “Vingadores: Ultimato” [...] é uma bomba mais poderosa que a manopla que Thanos usou para matar metade da população do universo na primeira parte da história. É piegas. É lento. É escuro. É barulhento.

    A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top