Meu AdoroCinema
    Maze Runner: A Cura Mortal
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    Maze Runner: A Cura Mortal

    Despedida de honra

    por Lucas Salgado
    A saga Maze Runner chegou aos cinemas em 2014, num momento em que estavam na moda filmes baseados em franquias literárias adolescentes sobre distopias futuras. Agora, quatro anos depois, o momento é outro. Jogos Vorazes chegou ao fim e Divergente foi encerrado sem um capítulo final, isso sem falar em inúmeros outros projetos que não passaram de um filme. Ainda assim, a franquia mostra que tem algo para dizer.

    Maze Runner: A Cura Mortal mantém o nível dos longas anteriores. Pode não entregar momentos apoteóticos, mas também não apresenta nada que seja completamente trágicos. De certa forma, é possível afirmar que Maze Runner talvez seja a franquia mais regular das citadas anteriormente. Jogos Vorezes teve momentos melhores, mas também teve pontos baixos bem mais evidentes.


    Após serem traídos por Teresa (Kaya Scodelario) ao final de Prova de Fogo, Thomas (Dylan O'Brien), Newt (Thomas Brodie-Sangster) e companhia tentam uma forma de enfrentar a C.R.U.E.L. e, principalmente, resgatar Minho (Ki Hong Lee). Eles se veem obrigados a invadir a cidade que serve de base de operações da empresa, e acabam buscando a ajuda de uma pessoa do passado deles. Ao mesmo tempo, Teresa e Ava (Patricia Clarkson) trabalham para acharem uma cura para a epidemia que atinge todo mundo.

    Ainda que haja certos problemas em termos de desenvolvimento de personagens, especialmente Janson (Aidan Gillen), Maze Runner se destaca por trabalhar bem essa área cinzenta. Não é tão oito ou oitenta quando a maioria dos filmes do gênero. Pode até escorregar em um momento mais vilanesco do que o necessário - como Ava contemplando a beleza do muro que construiu -, mas é interessante notar que não trabalha com a noção de redenção. As pessoas possuem visões de mundo diferentes e só. Se a traição de Teresa no longa anterior havia sido uma grande surpresa, aqui a personagem ganha espaço para mostrar o seu lado.

    A direção é mais uma vez de Wes Ball, que ganhou uma chance na franquia após viralizar com o curta Ruin. O cineasta demonstra um bom domínio de cena, se saindo particularmente bem nas sequências de ação. Por sinal, a cena de abertura do novo longa é inquietante e envolvente. E não fica só nela. Ainda que não haja mais o labirinto, o lado da correria continua parte importante do projeto.


    Dentre os pontos negativos, é impossível não tratar da duração exagerada do filme. São 141 minutos de duração, o que faz deste o mais longo filme da trilogia. Isso interfere diretamente no ritmo da produção, que fica bem arrastada em seu ato final, inclusive oferecendo mais de um momento de possível término.

    Os fãs de Maze Runner tiveram que esperar mais do que o previsto para ver o fim da adaptação cinematográfica da série, mas não devem se decepcionar. Pelo contrário, devem até se emocionar com alguns momentos bem impactantes da obra.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • Alberto
      gostei da historia tirando os erros de gravação foi um filme bom msm com a morte da teresa (foi merecida na minha opinião)o cruel começou errando desde o momento em que eles trataram os imunes como cobaias e não como humanos afinal eles só queriam o soro para retardar a doença ja mais pensaram na humanidade jamais pensaram que os imunes poderiam se reproduzir e assim salvar a humanidade eles só pensaram neles tanto que deixavam muitos do lado de fora para morrer gostei do final
    • Daniel Silva
      Achei que o olhar de alguns dos personagens principais às vezes era de riso enquanto que na cena não caberia.
    • BB
      Bem... umas mortes desnecessárias, né?! E acho que o Thomas acaba sendo a maior praga do filme, já que muitos morrem só para salva´-lo. E os imunes são bem egoístas... Deveriam procurar a cura, e ajudar a todos.
    • Roger
      Concordo em vários aspectos com você...principalmente do cenário. A questão do sangue de Thomas, não funciona assim, apenas colocar em contato com o infectado...há necessidade de purificação e extração de anticorpos específicos para os antígenos do Furor. E o filme segue em suas contradições na biologia molecular. Ademais, ótimo comentário sobre a trama.
    • Paulo Alencar
      Este filme me fez sentir sono, depois de ver tantos erros em cenas ao longo do filme já na metade eu já esperava que acabasse logo, esses seguranças são os novos stormtroopers rsrs moss é tanto erro na forma de agir que se torna muito previsível de que nada acorrera com os protagonistas, e teve uma cena para sacramentar a merda das ações dos guardas rsrs, logo depois que o portão foi explodido, tiroteio comendo, e eu tenho o desprazer de ver um guarda com escudo balístico recuar não se protegendo mas simplesmente abaixando o escudo balístico e saindo dando as costas (pra levar bala né só pode). Seria melhor que fosse 1:30h e ter feito uma boa direção do que deixar o filme longo e cansativo. Só acho
    • Sérgio
      GOSTEI DO FILME, FIQUEI TRISTE PELA MORTE DA TERESA E DO NEWT, E OUTRO PONTA SOLTA FOI QUE O VÍRUS E TRANSMISSÍVEL PELO AR, ENTÃO ELES NÃO ESTÃO A SALVO AINDA.
    • kaiksilva
      uma coisa que me decepicionou bastante, que o mundo no segundo filme estava destruido queimado pelo sol, o que o filme nos contou foi que o mundo todo estava assim, com isso, no terceiro filme parecia quase tudo restaurado água, plantas, arvores e o cenario do mundo.uma das coisas mesmo que eu não gostei foi isso, o desentendimento do cenario e o final, o final onde eles estão numa praia com montanhas ''inteiras'', como no filme 2 so tinha areia é deserto.eu até gostei bastante do filme em si, pois o roteiro as guerras é as varias caidas do thomas(dylan o´brien)mas ele conseguiu superar todas essas caidas, as ultimas cenas foram bem ''ruins'' pela morte da teresa(meio merecida) pois ela poderia ter pulado é não estaria morta no final do filme.outra morte so que não merecida foi a do newt(Thomas Brodie-Sangster) pois o thomas(dylan o´brien)sabia que daria para curalo com o sangue dele mesmo e o peito dele estava cortado, se vocês repararem na ''briga'' do tomas e o newt/kreng era so o thomas esfregar o sangue dele na boca ou sei la onde no newt.(eles poderiam fazer tipo um remake certo com os desertos e tudo queimado pelo sol e a cura pelo sangue do thomas mas isso nunca será possivel) (FILME RUIM DO C***********) obrigado pela atenção
    • Kelvi Yamazaki
      Na verdade a produção deste filme se tornou demorada, pq o ator Dylan O'Brien (Thomas) sofreu um acidente grave durante as gravações do longa, dai tiveram que suspender as gravações até a recuperação do ator.
    • Marcio Silva
      Nem lembrava mais do segundo filme, e esse demorou muito, parei de assistir em 1:50 e assisti o resto no outro dia.
    • Alice
      Com a demora do filme muitos deixaram de acompanhar, possui muitas pontas soltas, se for como no livro vai ficar chato com a morte da Teresa apesar de ela traí o Thomas, pois ela achava que estaria ajudando, quando ela descobri que estava sendo enganada ela tenta ajudar o Thomas, mas ela morre salvando o Thomas
    • Eldes Ferreira
      Como a crítica bem ressaltou, o filme tem ritmo, alguma emoção legítima e muitas pontas soltas. Porém, o que mais pesa neste filme é que se passou muito tempo do segundo e a maior parte do público não se lembra direito dos filmes anteriores e fica em dúvida quanto a boa parte dos personagens secundários e das tramas paralelas. Alguém sabe dizer por que a produção deste filme demorou tanto?
    • Adriano Henrique Jardim Do Car
      Sem dúvidas a melhor dessas trilogias citadas, jogos vorazes foi um fiasco.Minha maior crítica ao último filme (A Cura Mortal) foi o fato do principal ponto do filme ter ficado mal resolvido, não tendo havido um desfecho definitivo quanto a CURA. Se parar para analisar, não houve a concretização em relação ao vírus, foi descoberto que o sangue do Thomas é capaz de curar, mas não vieram a utilizar. Faltou ainda o desfecho final da cidade e dos zumbis, essa história de paraíso longe de tudo não colou muito bem. Ao meu ver ficou espaço para mais uma filme da franquia, devido as essas pontas abertas, o que não pode é deixar passar 10 anos para um novo filme (que não creio que vai nem sequer existir).
    • Wesley F.
      Trilogia legal.
    • Franklim A.
      Definitivamente a melhor dessas trilogias do mesmo estilo.Achei muito bom, cumpriu a proposta que fez, afinal nem todo filme precisa ser profundo e ter atuações a nível de Oscar.A ação seguiu em bom nível e não teve redenção forçada, pontos muito positivos.
    Mostrar comentários
    Back to Top