Meu AdoroCinema
  • Meus amigos
  • Meus cinemas
  • Notas Express
  • Minha coleção
  • Minha conta
  • Promoções
  • Desconectar
Brincante
Média
3,3
8 notas e 4 críticas
25% (1 crítica)
25% (1 crítica)
25% (1 crítica)
25% (1 crítica)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
Você assistiu Brincante ?

4 críticas do leitor

Eduardo L.
Eduardo L.

Segui-los 22 seguidores Ler a crítica deles

3,0
Alguns bons momentos, mas roteiro fraco. O filme fica no meio do caminho entre fazer uma biografia do Antônio Nóbrega e contar uma história.
F. V. Fraga
F. V. Fraga

Segui-los 68 seguidores Ler as 63 críticas deles

4,0
Brincante - O Filme (2014) é um documentário sobre Antonio Nobrega, construído sem uma narrativa convencional, abordando o trabalho do artista, através das suas diversas criações. Como ele mesmo afirma, "o filme é uma viagem sobre meu universo artístico". Dirigido por Walter Carvalho, que é conhecido por incontáveis trabalhos como diretor de fotografia, roteirista, diretor de documentários e longa-metragens. A arte de Nóbrega é espontânea, circense e ao mesmo tempo regional e universal. Ele mesmo se define como multi-artista, já que cria peças de teatro, danças e músicas. É uma expressão folclórica e moderna, que nasceu em meio à paisagem desértica de sua terra natal, no nordeste do país, influenciada por Ariano Suassuna, onde Antonio fez parte do Quinteto Armorial e foi artista mambembe. Mas é também urbana, ambiente onde o artista vive atualmente, mais precisamente na Cidade de São Paulo. O contraste mais interessante do filme está exatamente nas intervenções que o artista faz em lugares como o minhocão ou a estação de trem, principalmente com sua dança que mistura ritmos como Frevo, Capoeira e com alguns passos que podem lembrar até o Street Dance (Dança de rua). Em seu texto também reside uma miscelânea de referências à ícones culturais, da literatura e da história. Sua sonoridade harmoniza a música clássica com a música popular brasileira, principalmente do nordeste. Seus personagens, que às vezes espelham sua personalidade, são a encarnação da figura quixotesca. Carvalho é experiente em documentar artistas para o cinema, seja na pintura com Moacir Arte Bruta (2005), na escultura como diretor de fotografia de Francisco Brennand Filme (2012) ou até mesmo de músicos como em Raul - O Início, o Fim e o Meio (2012). O público desacostumado com docudramas e/ou que tenha assistido apenas filmes do diretor, como o de ficção Budapeste (2009) e/ou o biográfico Cazuza - O Tempo não Para (2004) pode sentir um pouco o peso das suas 1 h e 32 min. do longa. Entretanto, o fato de o filme não apresentar um enredo com início, meio e fim explícitos, não diminui em nada a qualidade da obra e o seu poder de narrativa e comunicação artística. Nota: 8 (Excelente "A gente não pode ficar somente na Orquestra Sinfônica. O Brasil precisa ser Brasil". Em Porto Alegre o filme encontra-se em cartaz no Espaço Itaú de Cinema. ____________________________ Para que quiser conhecer um pouco mais sobre Antonio Nóbrega e Walter Carvalho, recomendamos as entrevistas dos dois no programa Roda Viva.. Roda Viva - Walter Carvalho - 16/04/2012 Roda Viva | Antonio Nóbrega | 24/11/2014
Airlan C.
Airlan C.

Segui-los 10 seguidores Ler as 8 críticas deles

2,5
Uma linguagem que, no cinema, não me causou contentamento. Arte dos palcos
Luiz L.
Luiz L.

Segui-los 24 seguidores Ler as 5 críticas deles

5,0
Assisti este filme na mostra...uma alegria para a alma ver a riqueza da música...da dança..do universo de Antônio Nobrega retratado de maneira tão deliciosa na tela...com destaque para a dança e os ritmos que são interpretados nas ruas de São Paulo....fui dormir mais feliz....
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top