Meu AdoroCinema
As Montanhas Se Separam
Nota média
4,0
13 publicações
  • Folha de São Paulo
  • Télérama
  • Almanaque Virtual
  • Boston Globe
  • Cineweb
  • Critikat.com
  • New York Times
  • The Guardian
  • The Hollywood Reporter
  • Variety
  • Zero Hora
  • Rubens Ewald
  • Screen International

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

13 críticas da imprensa

Folha de São Paulo

por Inácio Araújo

O que Jia nos mostra é a China. Mas o que vemos podia se dar essencialmente, com alguns detalhes diferentes, apenas, em qualquer parte do mundo. "As Montanhas se Separam" é [...] a tragédia magnificamente bem narrada da civilização neoliberal.

A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

Télérama

por Louis Guichard

Como Antonioni em seu tempo, Jia Zhang-ke cria um distanciamento progressivo das relações humanas, um eclipse dos sentimentos num fundo de materialismo, tecnologia e migrações sem fim.

A crítica completa está disponível no site Télérama

Almanaque Virtual

por Filippo Pitanga

O resultado final fica tão bem amarrado em uma sublime catarse não apenas visual como cênica, catalisada pela atuação magistral da musa do diretor: Zhao Tao.

A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

Boston Globe

por Ty Burr

Talvez o maior cineasta da última geração de diretores chineses, Jia Zhang-ke está no auge de seu comando artístico aqui [...] O filme se expande, quase sempre de uma boa maneira, e permite que o público tire suas próprias conclusões.

A crítica completa está disponível no site Boston Globe

Cineweb

por Neusa Barbosa

Tao, afinal, é uma espécie de metáfora de um grande país dividido entre seus valores e cultura tradicional e um capitalismo cada vez mais selvagem, mudando a face da nação [...] Jia faz uma síntese não só de seu país, mas do mundo contemporâneo...

A crítica completa está disponível no site Cineweb

Critikat.com

por Raphaëlle Pireyre

Através deste destino repleto de renúncias, Tao representa nada menos que uma alegoria da China em suas mudanças histórias, presa entre a fábula vulgar do neocapitalismo e o respeito impossível das tradições eternas.

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

New York Times

por Manohla Dargis

A abordagem do diretor Jia Zhang-ke faz com que o espectador precise fazer um certo trabalho interpretativo; basta prestar atenção e ter um pouco de paciência.

A crítica completa está disponível no site New York Times

The Guardian

por Peter Bradshaw

"As Montanhas se Separam" de Jia Zhang-ke é um misterioso e muito ambicioso trabalho de um cineasta cuja criatividade está evoluindo diante de nossos olhos.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

The Hollywood Reporter

por David Rooney

Apesar de um terceiro ato que demonstra a falta de confiança de Jia Zhang-ke ao trabalhar com a língua inglesa, a bela sequência final apaga todos os equívocos e reafirma a profundidade emocional e a extraordinária pertinência de "As Montanhas se Separam".

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

Variety

por Scott Foundas

Neste estágio de sua carreira, Jia Zhang-ke estabeleceu um nível tão alto para o seu trabalho que é difícil não esperar que um filme dele seja, no mínimo, excelente. E, mesmo falhando às vezes, " As Montanhas se Separam" é nada mais nada menos que um trabalho de grande ambição e profundo humanismo...

A crítica completa está disponível no site Variety

Zero Hora

por Daniel Feix

O que torna "As montanhas se separam" um filme gigante é não apenas sua capacidade de se comunicar com todos os tipos de público, de todas as origens, mas também a abordagem da questão de maneira tão segura e complexa que parece fazer sentido em qualquer lugar do mundo.

A crítica completa está disponível no site Zero Hora

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

Rodado nas proporções antigas [...], o fato é que a primeira parte, com cerca de 45 minutos [...] é extremamente lenta e difícil de seguir. [...] O fato que não é culpa do moço, mas o filme vai melhorando muito nessa segunda parte mais solar e romântica.

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

Screen International

por Dan Fainaru

Usando seus personagens como peões no jogo de xadrez da história, "As Montanhas se Separam" culmina em um futuro nostálgico onde os chineses buscam pela identidade nacional e cultural que perderam.

A crítica completa está disponível no site Screen International
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top