Meu AdoroCinema
Sete Minutos Depois da Meia-Noite
Sessões
Vídeos
Créditos
Críticas dos usuários
Críticas da imprensa
Críticas do AdoroCinema
Fotos
Filmes Online
Curiosidades
Bilheterias
Filmes similares
Notícias
Média
4,3
145 notas e 16 críticas
31% (5 críticas)
44% (7 críticas)
19% (3 críticas)
6% (1 crítica)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)

16 críticas do leitor

Juarez Vilaca
Juarez Vilaca

Segui-los 33 seguidores Ler as 343 críticas deles

3,5Bom
missing__review_user.added

Um bom filme. Um drama familiar, cujo personagem principal é um adolescente de 13 anos. Bem dirigido e com bons atores principais. Quando procurei informações sobre esse filme duas coisas me intrigaram, embora o trailer desse a entender que seria mais um filme de super-heróis e crianças superdotadas, os horários das sessões não eram adequados para adolescentes e eram legendadas. Na verdade é um filme para adultos, embora não tenha nada de pornografia ou sexo, ou qualquer cena da espécie. Trata-se de um filme muito intrigante. Um quebra cabeças que vai sendo montado aos poucos, a medida que o filme evolui. O tema principal é o relacionamento dos pais com os filhos e a insistência, de nós, adultos, considerarmos as crianças incapazes de enfrentar as verdades da vida e por isso, inventarmos mentiras para todas as situações. Sem saber as verdades dos fatos Conor, o filho e personagem principal, é levado a imaginar uma série de situações inusitadas e ter visões irreais e fictícias que explicassem tantas situações negativas que o afligiam. Enganam-se quem acha que as crianças acreditam em tudo o que dizemos, elas fazem a checagem das informações com os fatos e tiram suas próprias conclusões. Por terem poucas informações, imaginam situações hipotéticas e inusitadas. Isso pode criar traumas para o resto de suas vidas. A verdade, no relacionamento pais/filhos, é a chave para um convívio saudável. Vale a pena assistir.

Birovisky
Birovisky

Segui-los 3 seguidores Ler as 67 críticas deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

(Sem espaços) - h t t p s : / / rezenhando . wordpress . com /2017/05/11/rezenha-critica-sete-minutos-depois-da-meia-noite-2016/ Mais uma indicação, desta vez de um dos meus melhores amigos. Sou daqueles que ama quando indicam filmes, porque adoro indicar também, eu vou lá e assisto mesmo, passo até na frente dos que eu já tinha anotado para assistir, mesmo o filme sendo ruim (ou não !). Confesso que enrolei um pouco para assistir, e me arrependo. Além disso, todas as circunstâncias que envolvem a história do filme me deixaram bem mal no seu final, chorei duas vezes inclusive (falo mesmo!). Não aconselho assistir acompanhado, este tipo de filme o melhor a fazer é assistir sozinho para chorar e refletir muita coisa, quase o julguei pela capa e não assisti, teria sido uma heresia incalculável. Se você já assistiu Ponte para Terabítia e Labirinto do Fauno com certeza vai gostar, confiram a rezenha crítica Sete Minutos Depois da Meia-Noite. A história é sobre Conor é um garoto de 13 anos de idade, com muitos problemas na vida, “um garoto velho demais para ser uma criança e jovem demais para ser um homem”. Seu pai é muito ausente além de rejeitálo, a mãe sofre um câncer em fase terminal, a avó é uma megera que o odeia e ele é maltratado na escola pelos colegas. Toda a noite, exatamente meia noite e sete (sete minutos depois da meia noite!) Conor tem o mesmo pesadelo, entretanto desde que o filme começa uma árvore em forma humana começa a conversar com ele, contando histórias trágicas em troca de uma história verdadeira de Conor. De início o menino exita, ainda sim a árvore forçadamente começa a contar suas histórias de vida, todas com finais trágicos causando um choque de sentimentos no garoto deixando-o bem confuso. A cada história somos imergidos em mundos fantásticos, totalmente diferentes um do outro conforme a história da árvore/monstro. O melhor de tudo é que a partir da segunda história começamos a notar que tudo que se passa ali na verdade é uma visão distorcida da vida de Conor e de uma forma bem implícita está a forma como ele deve agir para não continuar “se fudendo”, tudo, através da fantasia. Tanto que isso o próprio monstro deixa bem claro a Conor quando explica os reais motivos para sua aparição, que na verdade ele não veio para curar a mãe, e sim o menino. Muito foda! Uma curiosidade é que Liam Neeson (Busca Implacável, Batman Begins, A Lista de Schindler) interpreta o monstro, jamais descobriria se não fosse ler as curiosidades. Outra atriz de peso é Sigourney Weaver (Alien) interpretando a vó de Conor. Como adiantei, é uma obra bem próxima de Labirinto do Fauno, onde nada ali fará você dar risada, é uma fantasia obscura e melancólica. Tanto que nos primeiros minutos se for assistir desinformado pode até confundir com um filme de terror. A duração é perfeita, conseguindo equilibrar bem início, desenvolvimento e fim, e amigos, que final é esse? Na verdade durante o desenvolvimento já me escorreu uma lágrima em uma determinada cena bem complicada… O monstro/árvore é um dos personagens mais conscientes que eu pude conferir até hoje, porquê ele consegue extrair algo muito importante que transcende a quarta dimensão e afeta até quem está assistindo. Conseguiu ir lá no âmago do garoto e logicamente também de quem já sofreu com algum ente querido e está assistindo a obra. “Um dia você vai se lembrar deste dia e ficará mal por não ter dito nada. Mas quero que se lembre que ainda que você nada tenha dito em voz alta, eu sei tudo o que você sempre quis dizer.” Eu assisti semana passada e estou doido querendo reassistir, é aquele filme para assistir com várias pessoas diferentes e sempre emocionar-se. As últimas vezes que isso me ocorreu foi com Capitão Fantástico, A Vida Secreta de Walter Mitty e Os Intocáveis. Minha nota é 5/5.

Phelipe A.
Phelipe A.

Segui-los 2 seguidores Ler as 46 críticas deles

4,0Muito bom
missing__review_user.added

Nós do site NãoSeiNada ganhamos um resumo do livro “Sete Minutos Depois da Meia Noite”, da Editora Novo Conceito durante a CCXP 2016, e após ler confesso que fiquei maluco para saber o restante da história desse menino que vê um monstro gigante sempre depois da meia noite. Fui assistir ao filme sem grandes expectativas mesmo sabendo que a história seria muito boa, se baseando no livro. É claro que é uma adaptação e alguns detalhes foram deixados de lado, mas “Sete Minutos Depois da Meia Noite” é uma boa adaptação. O diretor Juan Antonio Bayona conseguiu trazer para a tela todos os sentimentos que você tem quando lê a história, junto com o elenco que não deixou a desejar. Como o garoto Lewis MacDougall, que interpretou Conor, um menino que sofre com a doença da mãe, interpretada por Felicity Jones, e a nossa eterna Ripley de Alien a atriz Sigourney Weaver, que estava muito bem no papel da avó de Conor. Veja mais...

https://naoseinada.com.br/2017/01/02/critica-sete-minutos-depois-da-meia-noite/

Roger I.
Roger I.

Segui-los 1 seguidor Ler as 35 críticas deles

2,5Regular
missing__review_user.added

Fui numa expectativa e não achei assim tão grande coisa. Primeiro gostaria de falar a respeito da educação das pessoas. Mais uma vez pude ver como a educação neste país vai de mal a pior. Pessoas que chegam atrasadas na sessão ligam a lanterna dos seus celulares para achar o caminho da poltrona. Enquanto está no trailer até passa. Mas depois que o filme começa é inadmissível. Vamos aguardar pra ver onde país vai parar. Acho que o próximo passo é começar a fazer churrasco dentro da sala de cinema. Sobre o filme. Efeitos bacanas, nada do que você já viu antes. Historia triste mas nada comovente. Não sei se é culpa da Cinépolis ou os efeitos Dolby Surround não estão sendo utilizados, eu gosto muito de ouvir as caixas laterais em funcionamento. Infelizmente não foi o caso desse filme, ou a sala 7 do shopping em Jundiaí. Não sei dizer. Ponto para a voz do ator Lie Nielsen. Ele também aparece umas duas vezes em foto no filme. Preste atenção. Filme razoável pra Sessão da Tarde.

Nelson J.
Nelson J.

Segui-los 35 seguidores Ler as 454 críticas deles

4,0Muito bom
missing__review_user.added

Fábula para adultos sobre menino em conflito devido a grave doença da mãe e potencial óbito e luto. Ele luta contra o desejo de tê-la ao seu lado ou deixá-la ir para parar de sofrer. A relação com a avó, com o pai que vive no exterior e com os colegas de escola completam a situação crítica pela qual ele está passando. Eis que surge um monstro milenar, sempre sete minutos depois da meia- noite que conta 3 estórias com moral complexa e que aguarda que ele conte sobre os seus pesadelos. Filme de sensibilidade e emoção.

Ítalo M.
Ítalo M.

Segui-los 0 seguidor Ler as 2 críticas deles

4,0Muito bom
missing__review_user.added

Bom filme. Muito bem dirigido e atuado. Conta uma história envolvente do drama do protagonista de forma única fluida, além de contar com a presença da fantasia.

Nathália F.
Nathália F.

Segui-los 0 seguidor Ler a crítica deles

5,0Obra-prima
missing__review_user.added

É uma puta filme, que prende do início ao fim!!! Filmes de fantasia geralmente são carregados de ensinamentos e de filosofias, e esse não deixou a desejar!!! Mágico e com um final emocionante, recomendo fortíssimo 💙

Sidney  M.
Sidney M.

Segui-los 35 seguidores Ler as 722 críticas deles

3,5Bom
missing__review_user.added

Bem produzido, boa direção, história de uma bela reflexão. A voz de Liam Neeson é um show. Se pensar mais um pouco fica melhor.

anônimo
Um visitante
4,0Muito bom
missing__review_user.added

Filme tocante e de uma complexidade interessante. Apesar de tratar-se de fantasia e sonhos, é um filme muito real e longe de ser restrito ao público infanto-juvenil. Todo elenco muito alinhado, direção show e efeitos especial nota mil. Emocionante!!

Celso M.
Celso M.

Segui-los 59 seguidores Ler as 139 críticas deles

4,0Muito bom
missing__review_user.added

Tocante, sensível e dramático. Narra a estória de um garoto tentando lidar com as emoções causadas pelo luto certo. Uma viagem psicológica e verdadeira sobre um mundinho interior, capaz de transformar toda uma vida. Belo! Conor é um garoto de 13 anos de idade, com muitos problemas na vida. Seu pai é muito ausente, a mãe sofre um um câncer em fase terminal, a avó é uma megera, e ele é maltratado na escola pelos colegas. No entanto, todas as noites Conor tem o mesmo sonho, com uma gigantesca árvore que decide contar histórias para ele, em troca de escutar as histórias do garoto. Embora as conversas com a árvore tenham consequências negativas na vida real, elas ajudam Conor a escapar das dificuldades através do mundo da fantasia.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top