Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Z - A Cidade Perdida
    Nota média
    3,9
    27 publicações
    • Chronic'art.com
    • Collider
    • Folha de São Paulo
    • Observatório do Cinema
    • Télérama
    • Cinepop
    • Almanaque Virtual
    • Chicago Sun-Times
    • Cinema com Rapadura
    • Cinema em Cena
    • Cineplayers
    • Critikat.com
    • Estado de São Paulo
    • New York Times
    • Omelete
    • ScreenCrush
    • The Guardian
    • The Hollywood Reporter
    • The Playlist
    • Cineweb
    • Screen Rant
    • Boston Globe
    • O Globo
    • Rubens Ewald
    • Variety
    • Washington Post
    • Veja

    Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

    27 críticas da imprensa

    Chronic'art.com

    por Guillaume Orignac

    Mais uma vez, o lirismo do cineasta é um lirismo às avessas, tenso até o ponto da ruptura, para melhor liberar a sua potência destruidora. [...] James Gray reduz os acasos da vida ao lento envenenamento do espírito, açoitado por uma maldição inaugural.

    A crítica completa está disponível no site Chronic'art.com

    Collider

    por Chris Cabin

    Este filme úmido, profundamente humano, se torna uma clássica fábula de aventura, na qual um explorador condecorado pelo governo busca descobertas, surpresas e uma nova reputação numa terra desconhecida na qual a vida vale pouco mais do que o jantar de uma tribo faminta do local.

    A crítica completa está disponível no site Collider

    Folha de São Paulo

    por Marcelo Gleiser

    O filme é um tributo ao espírito desbravador que inspirou - e inspira - tantos a expandir as fronteiras do possível, abrindo portas para todos nós.

    A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

    Observatório do Cinema

    por Giovanni Rizzo

    Gigantesco em vários os sentidos, até mesmo em cinema. "Z: A Cidade Perdida" parece ter saído de uma outra época, parece ter sido realizado com a classe primordial dos grandes épicos hollywoodianos dos anos 1940.

    A crítica completa está disponível no site Observatório do Cinema

    Télérama

    por Louis Guichard

    Construir um filme intimista com a matéria de um épico de aventuras: esta é a façanha inesperada de James Gray. [...] O resultado, magnífico e sutil, não se encaixa em nenhuma categoria existente. Por trás do classicismo aparente, "Z - A Cidade Perdida" é um protótipo.

    A crítica completa está disponível no site Télérama

    Cinepop

    por Pablo R. Bazarello

    A direção de Gray é luxuosa, sem ser excessivamente chamativa. De fácil identificação, e com o carisma de seus atores, tira totalmente o que poderia ser um filme sonolento do terreno da apatia, lhe garantindo vida o suficiente para nos manter interessados nesta longa jornada...

    A crítica completa está disponível no site Cinepop

    Almanaque Virtual

    por Zeca Seabra

    Um filme sem pragmatismos sobre um homem que busca a solidão, mas que nunca está sozinho, forçando o espectador a explorar contornos familiares escondidos entre os deslocamentos trágicos deste Dom Quixote britânico.

    A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

    Chicago Sun-Times

    por Richard Roeper

    Seguindo a tradição de filmes como "Fitzcarraldo" e "Apocalypse Now", este é o tipo de aventura que transporta o público para um mundo tão exótico, exuberante, misterioso e perigoso que parece ser em um outro planeta.

    A crítica completa está disponível no site Chicago Sun-Times

    Cinema com Rapadura

    por Rogério Montanare

    Se existe um problema em “Z – A Cidade Perdida”, ele está enraizado na obsessão com que o diretor deseja evidenciar a fixação de seu protagonista diante de sua “legação”. Com muitas idas e vindas, a narrativa torna-se truncada e até cansativa em alguns momentos.

    A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

    Cinema em Cena

    por Pablo Villaça

    Sienna Miller [...] transforma a sra. Fawcett em uma personagem bem mais complexa do que poderíamos supor a princípio, evitando compô-la apenas como “a esposa do herói” e convertendo-a em uma mulher independente, forte e que protagoniza o momento mais tocante da projeção em um monólogo no terceiro ato.

    A crítica completa está disponível no site Cinema em Cena

    Cineplayers

    por Pedro Tavares

    E no retorno ao melodrama - e ao cinema clássico americano - Gray entoa "Era Uma Vez em Nova York" de forma mais explícita:  os planos, a forma como os valores são exibidos e sua conclusão.

    A crítica completa está disponível no site Cineplayers

    Critikat.com

    por Fabien Reyre

    "Z - A Cidade Perdida" avança disfarçado, como um lobo entre os cordeiros. Sob seus trejeitos de bela narrativa de aventuras [...], o filme oferece a história de um desejo não concretizado, um fetiche de conquista adiada muitas vezes, contrariada por uma comunidade científica cética e incompetente.

    A crítica completa está disponível no site Critikat.com

    Estado de São Paulo

    por Luiz Zanin Oricchio

    Há paraíso e inferno. E outra ainda, na obstinação do homem, e que supera seu plano de ascensão social: o desejo de contato com algum absoluto, com algo que ninguém teve ou viu. Fawcett era movido por esse fanatismo, talvez de fundo religioso.

    A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

    New York Times

    por Manohla Dargis

    Há muita coisa interessante em "Z - A Cidade Perdida", mas o que fica na cabeça são aqueles detalhes lapidares que normalmente faltam nas histórias sobre grandes homens...

    A crítica completa está disponível no site New York Times

    Omelete

    por Marcelo Hessel

    É mais do que conhecida a forma agridoce como o diretor encerra suas narrativas, e em "Z" não é diferente: na floresta Percy Fawcett encontra a si mesmo, mas ele nunca está sozinho. Passado e futuro se vislumbram e se completam.

    A crítica completa está disponível no site Omelete

    ScreenCrush

    por Matt Singer

    Este é um olhar atípico e fascinante sobre um terreno conhecido, transformando uma história genérica em uma fábula universal sobre as idas e vindas entre as vidas profissional e pessoal de cada adulto.

    A crítica completa está disponível no site ScreenCrush

    The Guardian

    por Jordan Hoffman

    Muito será dito sobre a habilidade cinematográfica de James Gray [...] mas por baixo do lento correr de um rio marcado pelas flechadas de nativos invisíveis e defensivos, há um roteiro fascinante e mercurial...

    A crítica completa está disponível no site The Guardian

    The Hollywood Reporter

    por Todd McCarthy

    [...] "Z - A Cidade Perdida" é um raro exemplo de cinema contemporaneamente clássico: sua narrativa virtuosa e metódica, o estilo tradicional e as temáticas obsessivas poderiam são aspectos que poderiam ser identificados e abraçados por qualquer produção realizada entre os anos 1930 e 1970.

    A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

    The Playlist

    por Rodrigo Perez

    O que talvez caracterize "Z" mais do que qualquer outro elemento é a rigorosa compulsão de Gray pela forma. A visão dedicada e composta dele não abre mão do ritmo lento, do teor meditativo e da relativa falta de ação.

    A crítica completa está disponível no site The Playlist

    Cineweb

    por Neusa Barbosa

    Com fotografia [...], o filme é capaz de evocar de forma visual intensa tanto a beleza natural da selva colombiana, onde ocorreram boa parte das filmagens, quanto seus incríveis perigos – como cobras, piranhas e feras.

    A crítica completa está disponível no site Cineweb

    Screen Rant

    por Sandy Schaefer

    "Z - A Cidade Perdida" é um épico histórico belo e ambicioso, mas talvez seja mais louvável intelectualmente do que cativante pelo aspecto emocional.

    A crítica completa está disponível no site Screen Rant

    Boston Globe

    por Ty Burr

    "Z - A Cidade Perdida" tem uma duração de 2 horas e 21 minutos, mas você raramente sente o peso da narrativa: esse é o nível de confiança que James Gray atingiu enquanto diretor.

    A crítica completa está disponível no site Boston Globe

    O Globo

    por Mário Abbade

    James Gray mantém a forma clássica de fazer cinema, com destaque para seus planos elegantes, longas tomadas, fotografia suave e narrativa cadenciada [...]. Toda essa suntuosidade tem um resultado irregular no todo, mas o resultado final é satisfatório.

    A crítica completa está disponível no site O Globo

    Rubens Ewald

    por Rubens Ewald Filho

    Resta lembrar que no elenco como coadjuvante está o vampiresco Robert Pattinson, de olhos de peixe morto, como parceiro negativo do protagonista. No final das contas, mesmo um pouco antiquado, o filme tem certo charme. Mas no mínimo podia ter vindo rodar em locais autênticos!

    A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

    Variety

    por Owen Gleiberman

    [...] "Z - A Cidade Perdida" é um filme criado de maneira precisa e filmado de forma elegante; é um longa muito sincero que é mais empolgante do que potente.

    A crítica completa está disponível no site Variety

    Washington Post

    por Stephanie Merry

    O protagonista, um homem que não é louco ou obcecado, não parece ser o tipo de pessoa que deixaria sua família para trás para retornar a um lugar que quase o matou. Mas, de qualquer forma, ele volta ao desconhecido. Essa escolha pode ser difícil de compreender, mas é empolgante de se ver.

    A crítica completa está disponível no site Washington Post

    Veja

    por Miguel Barbieri Jr.

    Com tantos filmes atuais movidos a efeitos visuais, é muito bom encontrar algo feito na raça, com os atores sentindo na pele as intempéries nas filmagens. Isso dá autenticidade a um épico ambicioso e imperfeito.

    A crítica completa está disponível no site Veja
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top