Meu AdoroCinema
  • Meus amigos
  • Meus cinemas
  • Notas Express
  • Minha coleção
  • Minha conta
  • Promoções
  • Desconectar
Um Limite Entre Nós
Média
4,0
401 notas e 45 críticas
16% (7 críticas)
42% (19 críticas)
24% (11 críticas)
16% (7 críticas)
0% (0 crítica)
2% (1 crítica)
Você assistiu Um Limite Entre Nós ?

45 críticas do leitor

Anderson  G.
Anderson G.

Segui-los 47 seguidores Ler as 222 críticas deles

4,0
Enviada em 28/02/17
“Fences” é um filme completamente apaixonante, ele é conturbado, familiar, impiedoso, romântico, carismático e brutal, gravada 50% nos fundos de uma casa num subúrbio americano na década de 50 ele mostra a historia de Troy Maxson (Denzel Washington), um pai de família de 53 anos que trabalha como lixeiro e briga para sustentar sua família, vivendo a I8 anos com sua esposa Rose (Viola Davis), ele começa a enfrentar problemas em seu relacionamento e em sua família. É um roteiro ajustado, capaz de ter uma cena com 20 minutos de duração entre 3 personagens sentados conversando, o filme é única e exclusivamente dialogo, e o melhor de tudo, isso deixa o filme altamente atrativo, suas 2 horas e pouco pareceram 20 minutos a mim, o roteiro lotado de diálogos ótimos somados a estupendas atuações fazem um filme que tinha tudo para ser arrastado ter um ritmo espetacular. Temos uma historia familiar, com acontecimentos que podem acontecer em qualquer família, ele é lindo ao demonstrar a beleza dos causos em familia, sim, ele é bonito ao demonstrar os problemas, por mais incrível que isso possa parecer, o filme não tem um grande moral, ele apenas mostra como o amor pode ser bruto, que não escolhemos quem amamos nem como amamos, mas simplesmente, amamos. Temos uma fotografia boa, com uma paleta de cores extremamente cinza, uma tímida trilha sonora -embora a musica se faça presente de uma maneira extremamente sentimental na película- uma ótima montagem e ângulos de câmera que praticamente atuam como um personagem no filme, em meio aos diálogos a câmera emenda contra planos e planos sequencias, ela vira, desvira, perfila e é até subjetiva quando precisa, a câmera atua na historia como nos meros telespectadores, e mesmo quando a camera fica paradinha no tripe, os personagens se movimentam de um lado para o outro, como se estivessem num teatro, é muito delicioso. Em termos de atuações, temos o de melhor no cinema em 20I6, Denzel Washington é um personagem completamente incrível, sua atuação é apavorante e ao mesmo tempo completamente emocional, ele engole a câmera, rouba a cena, ele cresce a tal ponto que ficamos sem reação, queremos jogar a pipoca fora, sentar grudado na tela, ouvir suas historia e suas lições, aprender sobre a crueldade do amor, o odiar, o amar, o temer e o respeitar. Viola Davis também está maravilhosa, ela não siplimente chora, ela baba, lacrimeja, cai, levanta, ela se entrega completamente a personagens, aquele cantinho de tela que sobra no filme, ela agarra com força, sua carga dramática é enorme, e quando Denzel não aparece no filme e deixa a câmera livre para Viola, ela também a engole com extrema ferocidade, ficaria muito feliz se ambos levassem o óscar de atuação - mas sabemos que apenas Viola vai levar- . E parabéns a Denzel Washington que brilha também na direção, I0 anos depois ele volta a dirigir, e concretiza o melhor trabalho de sua carreira. Por fim, temos um filme simples, que entra na casa de uma família para nos contar suas hitorias, não temos um filme tecnicamente brilhante, temos um ritmo fabuloso, atuações incríveis, e uma historia que marca, por fim, temos um ótimo filme que é cinema puro.
Roberta Yuri N.
Roberta Yuri N.

Segui-los Ler as 5 críticas deles

0,5
Enviada em 26/02/17
Detestei... Talvez eu não tenha sensibilidade suficiente para ter conseguido "captar" a essência desse filme, mas simplesmente odiei. Fala muito, muito, muito mesmo, cheguei a ficar cansada do diálogo deles. Achei um filme que bate,bate,bate e depois tenta assoprar...
Kamila A.
Kamila A.

Segui-los 122 seguidores Ler as 439 críticas deles

2,5
Enviada em 18/04/17
Baseado na aclamada peça teatral escrita por August Wilson (que também fez a adaptação cinematográfica do texto) e vencedora do Pulitzer Prize for Drama e do Tony Award de Melhor Peça, Um Limite Entre Nós, filme dirigido e estrelado pelo ator Denzel Washington, mantém a essência teatral do texto, na medida em que sua força maior vem dos diálogos e das palavras escritas por Wilson. O filme se passa na década de 50 e acompanha o relacionamento entre uma família afro-americana, que vive num bairro proletário e que se depara com os desafios de ser um negro naquela conjuntura histórica. O patriarca, Troy Maxson (Denzel Washington), é alguém cujos sonhos foram tolhidos pela falta de oportunidade que era dada aos negros norte-americanos. Entender isso é fundamental para compreender a relação que ele estabelece com o filho Cory (Jovan Adepo), um atleta em ascensão e que, ao mesmo tempo, é reprimido em casa pelas experiências frustradas do pai – que, curiosamente, não vai permitir que ele agarre as oportunidades de crescimento que se apresentam para ele. Uma outra dinâmica importante do filme é a que se estabelece entre Troy e a sua esposa Rose (Viola Davis, em atuação vencedora do Oscar 2017 de Melhor Atriz Coadjuvante). Ela oferece o contraponto necessário na relação deles com o filho Cory. Ela representa o amor, o perdão, a resiliência e a fé num futuro melhor para todos eles. É justamente nas interações entre eles que o lado mais positivo de Troy aparece. Um Limite Entre Nós é um filme que se desenvolve de uma maneira bem interessante. O longa começa com uma verborragia sem fim, em que Troy tenta – forçosamente – parecer engraçado, quando ele não tem nada disso dentro dele. A história vai se encontrando na medida em ela se desenrola para nós da plateia e seu cerne central encontra-se na figura de Troy, um homem que é a representação exata de uma criação dura, o produto fiel de uma realidade inóspita e que aprendeu, da maneira mais difícil, quais eram as suas responsabilidades como homem e pai de família. Na sua cegueira diante do papel que exerce, ele se impede de enxergar as mudanças ao seu redor e de ter compaixão por aqueles que mais o amam. Essa é uma lição que a teimosia de Troy não vai deixá-lo aprender, mas que vai ser de muita valia para aqueles que estão ao seu redor.
Paula C
Paula C

Segui-los Ler a crítica deles

5,0
Enviada em 05/03/19
Excelente filme! É preciso prestar atenção nas historias contadas pelos personagens para um bom entendimento. Todos eles fizeram uma boa interpretação.
Crismika
Crismika

Segui-los 7 seguidores Ler as 127 críticas deles

3,5
Enviada em 13/11/18
Um belo filme, com atuações extremamente fortes principalmente por Denzel Washington e Viola Davis, que dão um show de interpretação. A primeira metade do filme é cansativo, pois são diálogos longos e talvez não tão bem dirigido pelo próprio Denzel Washington que assina a direção, mas do meio para o final o filme vai crescendo e ganhando força, principalmente na interpretação de Viola Davis que sempre brilha em suas cenas.
Alisson Felipe B.
Alisson Felipe B.

Segui-los Ler a crítica deles

5,0
Enviada em 29/10/18
Sem palavras ! Com uma história que hoje em dia, ainda se vive assim ...temos muito o que aprender ainda !
Douglas Felipe S.
Douglas Felipe S.

Segui-los Ler a crítica deles

4,5
Enviada em 12/08/18
Ótimo filme!! Umas das melhores atuações do Denzel e a Viola Davis sempre fantástica nas atuações... não foi a toa que rendeu um Oscar para ela. Denzel tbm merecia o Oscar para esse filme!! Recomendo a todos!!
Yan Y
Yan Y

Segui-los 1 seguidor Ler as 45 críticas deles

4,0
Enviada em 04/03/18
Ótimo roteiro e excelentes atuações. Uma prova de para ter um grande filme não precisa de muito e nem de efeitos especiais. Os diálogos são em ritmo alucinantes, que prendem o espectador. A fotagrafia cinza, fria, do quintal, dão o clima de que logo algo romperá a paz daquela família. Uma ótima visão da verdade de muitas famílias. 1 Oscar merecido a Viola. O Denzel não fica atrás na atuação como personagem principal. A academia teve trabalho naquele ano de 2017.
Dagoberto M.
Dagoberto M.

Segui-los 8 seguidores Ler as 186 críticas deles

3,5
Enviada em 01/03/18
Um filme que com o passar do tempo de exibição começa a irritar ao percebermos a permissividade da mulher nos anos 50.
Vilmar O.
Vilmar O.

Segui-los 15 seguidores Ler as 350 críticas deles

4,0
Enviada em 09/12/17
Bom filme. Um dramalhão. É bem teatral. Atuações de gala dos protagonistas. Oscar merecido. Vale a pena conferir.
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top