Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Apenas Uma Chance
    Média
    4,1
    92 notas e 12 críticas
    distribuição de 12 críticas por nota
    7 críticas
    2 críticas
    3 críticas
    0 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Apenas Uma Chance ?

    12 críticas do leitor

    alberlia
    alberlia

    Segui-los 15 seguidores Ler as 70 críticas deles

    5,0
    Enviada em 8 de janeiro de 2015
    Assistimos no Netflix um filme baseado em uma história real. "Apenas uma chance" retrata a vida de Paul Potts, um tenor britânico. Fala das dificuldades e medos que precisou enfrentar para "assumir" a ópera. Lindo filme.
    Sisi S
    Sisi S

    Segui-los 10 seguidores Ler as 10 críticas deles

    5,0
    Enviada em 8 de julho de 2014
    Lindo, lindo, lindo...há tempos não via um filme tão humano e tão doce. Nunca desista dos seus sonhos!!! É a lição!!!!
    Rafael R.
    Rafael R.

    Segui-los 6 seguidores Ler as 35 críticas deles

    5,0
    Enviada em 27 de julho de 2014
    Fui assistir APENAS UMA CHANCE. Sabe um filme CHATO? Tipo, aqueles filmes que tu diz: “Me ferrei legal, perdi o meu tempo” Estou me perguntando até agora: “Será que perdi o meu precioso tempo indo ver um filme chato pacaramba? Um filme sem sentido algum, em que mais vale a pena rasgar o ingresso, levantar-se do cinema E IR PRA CASA? Pois é, eu me perguntei como uma produção grandiosa poderia perder tempo E DINHEIRO em criar um filme tão SEM GRAÇA e achato assim. Um filme sem sentido algum, sem empolgação alguma, em que, só o que é bom, é o ambiente fresco, legal e escuro do cinema. SPOILER: Vou entregar parte do filme agora. Se tu é criado por vó, pule para “O filme é meio...”. Bem, no filme, o garoto VIVE CORRENDO. É impressionante. Corrida, corrida, corrida, corrida, corrida, corrida e corrida. Aí, quando você ACHA que acabou a correria, ELE TEM QUE CORRER MAIS AINDA pra não apanhar dos amiguinhos da escola. E mais corrida, e mais corrida, e mais corrida, e mais corrida. Você vê o garoto correndo O TEMPO TODO. PS: Uma pergunta: Se no filme, ele vive correndo, por quais motivos então o garotinho é gordinho? Atividade física não acelera o metabolismo? Estranho. O filme é meio chatonildo, saca? Sabe o que é “Chatonildo”? Não? Então VAI FICÁ SEM SABER. A música de Ópera sempre fez parte da vida do garoto ou do rapaz (DEFINA COMO QUEIRA, POIS O GAROTO CRESCE EM DOIS MINUTOS NO FILME, LOGO, JÁ TÔ CHAMANDO DE “RAPAZ” ENTÃO) ah, foi mal, contei essa parte do filme sem te avisar, ta? Foi mal aê....Tu não vai morrer por isso né? Bem, era bacana o modo de como ele “SENTIA” a música, e não meramente cantava, ele SENTIA a música meeeeeesmo. Seu pai nunca o motivou. SPOILER: Irei contar algumas partes do filme novamente. Se você cresceu soltando pipa no ventilador, pule para “Achei algo bem bacana no filme...”. A mãe desse rapaz sempre dava apoio para que ele continuasse cantando, já o pai...bem, o pai era mais difícil de dar esse apoio. O pai achava isso babaquice, a mãe, não. Achei algo bem bacana no filme, ACHO QUE O FILME NESSE MOMENTO COMEÇOU A MUDAR, ocorreu um beijo tão bonito no filme que chegou a tirar fôlego de quem assistia. Foi bem bonito mesmo. Sabe, esse rapaz cresceu muito perturbado, pois era constantemente ameaçado pela vida, pelas pessoas, pelo destino, pela falta de SORTE que nunca batia em sua porta. Era ameaçado pelos colegas de classe, por colegas de rua, por clientes, enfim...ELE NÃO ACREDITAVA MAIS EM NADA NA VIDA. Tudo na vida dele é chato, sem graça. Mas chega um momento no filme QUE TUDO MUDA ! O momento dele cantar. Ele participa de um evento em que, pela primeira vez, ELE CANTA. No evento ele é chamado de gordo, de animal que fugiu do zoológico, e tals e tals e tals, e tals...Mas quando ele abriu a boca para cantar: TODOS CHORAVAM A APLAUDIAM FORTEMENTE DE PÉ. Daí o filme começa a mostrar ele cantando Ópera...Mas, na boa? Vocês que tem nada pra fazer e estão vindo aqui ler esse meu texto, PODERIA FAZER UMA PERGUNTA PRA VOCÊS? Só uma perguntinha: VOCÊS ENTENDEM ÓPERA? Sabe o que está sendo dito na hora da música? POIS EU NUUUUUCA ENTENDO PORR%$ NENHUMA. Mas tudo bem, segura aí que você vai entender por qual motivo eu te perguntei isso. Bem...O garoto é chamado para participar de muitas coisas e demonstrar sua voz... Chegou a viajar. Ficou de frente com um dos maiores cantores de Óperas DO MUNDO. Entrou numa escola somente disso e na hora de cantar, SPOILER: Vou relatar aqui um momento do filme, pule para “De volta pra casa...” O rapaz ficou de frente para o MAIOR CANTOR DE ÓPERA DO MUNDO, pois ele teria que provar que canta bem, mas na hora, FICOU NERVOSO, começou a errar, teve que beber água, falava coisas que nem precisava. e foi reprovado em seu exame, pois segundo o jurado, ELE NUNCA PODERIA CANTAR ÓPERA NA VIDA. De volta pra casa, ele casou-se, e diga-se de passagem (A GAROTA DELE É UMA GATINHA, CARA), ela aparece com roupas íntimas e isso foi lindo de mais no filme, sabe. Ela não era vulgar. Uma boa pessoa mesmo. Teve um momento que ela faz a pergunta que eu já fiz aqui pra vocês que estão lendo esse texto: O QUE ESSE CANTOR DE ÓPERA ESTÁ CANTANDO? Kkkkkkkkkkkkkkkkkk...Não sou somente eu que não entendo.....kkkkkkkk....A própria namorada de um cantor de Ópera não sabe também....kkkkkkk. como nós, meros mortais, iríamos saber? Bem, as coisas começam a ficar mais complicadas daqui pra frente no filme. SPOILER: Pule para “Numa briga com a...” Do nada, ele começa a passar mal. Estranho. Bem estranho mesmo. Ele cantava e passava mal, DO NADA... Ele mesmo nunca tinha tido isso. Num exame médico, foi diagnosticado com uma doença na garganta. Teve que parar de cantar. Uma pena. Tudo reforçava que ele NUNCA PODERIA CANTAR, assim como fora dito no passado pra ele. Numa briga com a namorada, ou noiva, ou esposa, ou sei lá qual o nome se dá...Ele faz um pedido de desculpas EM INGLÊS E CANTANDO EM ÓPERA... 1° Momento em que chorei no filme e que começou a valer o ingresso. Chorei sim. Não deu pra agüentar, pois pela 1° vez eu entendi a Ópera sendo cantada e como tinha falado com vocês aqui antes, é difícil entender a Ópera, mas o filme nos fez entender a partir da lí. Mas depois que o filme me encantou, começou e começou a valer o ingresso, AÍ VOLTOU A FICAR CHATO NOVAMENTE... Aí FERROU TUDO DE VEZ.... Eu torcia para dar intervalos comerciais, sabe? Mas esqueci que cinema não tem...Aí tive que ficar até o final mesmo. Meses se passaram e um concurso de talentos estava para ocorrer na televisão. Ele ficou sabendo pela internet. E o que mais me chamou a atenção foi que ELE COMEÇOU A FAZER A INSCRIÇÃO SEM MEDO ALGUM.(DAÍ O FILME COMEÇA A FICAR BOM NOVAMENTE E TOMARA QUE INTERVALOS COMERCIAIS NÃO ENTREM AGORA MEEEEEEESMO)... Foi um desafio para consigo mesmo. O medo batia em sua porta. O desespero de fracassos passados em sua mente. Operações na garganta. Cantores profissionais que falaram que ele nunca poderia cantar Ópera. TUDO PASSOU POR SUA CABEÇA. Mas repito, ELE COMEÇOU A INSCRIÇÃO SEM PERGUNTAR NADA. Estou terminando esse texto aqui, pois somente me lembro que quando ele foi se apresentar no concurso de talentos, eu não conseguia enxergar mais nada. Não, não, A LUZ NO CINEMA NÃO TINHA ACABADO, nem as imagens do filme não estavam turvas e escuras a toa devido uma falha no equipamento do cinema. Tudo ficou escuro porque eu não mais me agüentava em prantos no cinema. Eu baixei minha cabeça e as lágrimas desciam gigantescamente. E aquele filme que eu falei lá em cima no começo do texto que: - Era chato - Que tinha perdido o meu tempo - Que a produção investiu equivocadamente. -Que eu queria sair do cinema. Nesse momento, esse filme protagonizou UM DOS MAIORES FINAIS DE FILME MAIS EMOCIONANTES DOS ÚLTIMOS 3 ANOS NO CINEMA MUNDIAL. Agora, recomposto. Obrigado por existir, diretor. O mesmo de “O diabo Veste Prada”.
    Carlos R.
    Carlos R.

    Segui-los 8 seguidores Ler as 3 críticas deles

    4,0
    Enviada em 23 de novembro de 2014
    Fiquei surpreso por sua narrativa e direção me envolverem tão carinhosamente ao longo do filme. A trilha sonora é uma mistura divertida e séria, alegre e dramática. Os atores são carismáticos. A fotografia é primorosa. É um filme inspirador e instigante.
    Érica S.
    Érica S.

    Segui-los 1 seguidor Ler as 8 críticas deles

    3,5
    Enviada em 13 de agosto de 2015
    Uma história interessante e motivadora sobre não desistir dos sonhos.
    Filipe G.
    Filipe G.

    Segui-los 84 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 2 de agosto de 2014
    Absolutamente Sim para esse magnífico filme. Infelizmente não mereceu o cuidado de distribuição a altura dessa belíssima e real história de superação e de vida. Emocionante e inspirador.
    Marília M.
    Marília M.

    Segui-los 9 seguidores Ler as 2 críticas deles

    3,5
    Enviada em 7 de setembro de 2014
    Não conhecia a história de Paul Potts e tive uma grata supresa ao assistir Apenas uma Chance. Além de uma linda história de superação, somos completamente inebriados pela sua voz e pela belíssima trilha sonora do filme. A ópera é uma linguagen universal: só é preciso sentí-la para se emocionar. Bravíssimo!!!
    Aline A.
    Aline A.

    Segui-los 5 seguidores Ler as 2 críticas deles

    4,0
    Enviada em 16 de agosto de 2014
    Uma história de superacão e de amor que envolve as dificuldades sofridas pelo personagem principal para realizar o seu sonho, ser um cantor lírico. Apresenta a influência do bulling sofrido por uma crianca, refletindo na sua auto-estima e descrenca na capacidade de realizacão. Mostra o amor puro entre dois jovens, a forca desse amor e a influência da amizade verdadeira na vida das pessoas. Para relaxar!
    Alexandre Mattos
    Alexandre Mattos

    Segui-los Ler as 4 críticas deles

    3,0
    Enviada em 25 de outubro de 2015
    Bom filme. Deixa evidente o poder que temos quando somos autoconfiantes, e o fracasso quando temos baixa autoestima ou idolatramos um outro ser humano.
    Lucas V.
    Lucas V.

    Segui-los Ler as 2 críticas deles

    5,0
    Enviada em 26 de abril de 2015
    Ótimo filme pra quem tem dificuldades na vida e sempre tenta supera-las.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top