Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Clube da Luta
    Média
    4,6
    4987 notas e 1549 críticas
    distribuição de 1549 críticas por nota
    661 críticas
    412 críticas
    249 críticas
    137 críticas
    84 críticas
    6 críticas
    Você assistiu Clube da Luta ?

    1549 críticas do leitor

    Nuwanda P
    Nuwanda P

    Segui-los 19 seguidores Ler as 2 críticas deles

    5,0
    Enviada em 15 de fevereiro de 2013
    Brilhante, é essa a palavra que pode resumir o filme. Diferente do que muitos pensam, o filme não trata somente de luta, de sangue e de violência, vai muito além, mostra a vida em um ângulo critico e banal. Um filme que deve ser assistido inúmeras vezes, para se captar a essência. Ótimas atuações, maravilhosas frases de efeito, roteiro incrível , surpreendente, nada previsível. Elencado como um dos melhores filmes que já assisti, totalmente recomendado. Maravilhoso!
    Sílvia Cristina A.
    Sílvia Cristina A.

    Segui-los 92 seguidores Ler as 45 críticas deles

    5,0
    Enviada em 12 de fevereiro de 2013
    David Fincher surpreende com um olhar dissecador sobre a realidade. Para quem quiser ver as mazelas de uma sociedade controlada pelo consumo e pela solidão, o que resta fazer é olhar atentamente as feridas abertas , expostas pelo cineasta. "Clube da luta" tornou-se uma obra estigmatizada pelo atentado em um cinema do shopping Morumbi , na cidade de São Paulo, promovido por um psicopata que atirou a esmo nos espectadores do filme. Na época várias discussões surgiram a respeito da capacidade que o filme tinha de despertar o lado violento de cada um. Muitos estudos apontam para o poder transformatório do cinema no imaginário coletivo e também nas ações e pensamentos individuais . Sabe-se que o cinema promove profundas mudanças na forma de pensar e de agir a longo prazo. Entretanto, "Clube da luta" é muito mais sobre a sociedade de consumo do que a violência. Fincher devassa uma sociedade em que são os objetos que compramos que nos possui e não nós a eles, como disse o sexy e irreverente alter ego do personagem protagonista. Diferentemente da sociedade de consumo , onde se quer acumular dinheiro e todos os tipos de poder , neste filme , os participantes do clube querem perder. Homens atormentados pelos mais variados dramas encontram uma válvula de escape para suas dores perdendo as lutas e não as vencendo, o oposto radical das sociedades capitalistas e competitivas , que dividem as pessoas em vencedoras e perdedoras . Em "Clube da luta" ganha quem perde. O filme merece alguns minutos da nossa atenção antes de ser rotulado como uma apologia à violência. A linguagem fragmentada e acelerada, ás vezes incomoda um pouco, mas nos remete claramente ao mundo anunciado nos catálogos de lojas, que vendem promessas de felicidade na forma de eletrônicos , eletrodomésticos e uma série de objetos dispensáveis ; nos remete a uma sociedade em que tudo acontece muito depressa , em que mal temos tempo para questionar o que acontece ao nosso redor , o que acontece a nós mesmos. Uma das mais belas passagens de "Clube da luta" é quando a personagem interpretada por Helena Bonham Carter se compara ao vestido que usa, ao dizer que aquela roupa que foi amada intensamente por alguém durante um dia, foi comprada por ela por apenas um dólar. O que realmente desejamos comprar na sociedade de consumo? "Clube da luta" analisa também o tema de se falar muito e de quase nada se ouvir . O protagonista interpretado por Edward Norton afirma participar de grupos de apoio à diversas doenças , por encontrar em tais reuniões pessoas capazes de ouvir o que os outros dizem. Mais que ouvir. Elas realmente se importam, choram, compartilham, emergem para um sentido mais significativo da vida , quando mergulham nas profundezas da dor alheia. A cada leitura , "Clube da luta" se revela como algo mais delicado e urgente: abaixo do consumo e da incomunicabilidade está a solidão.
    Jonas Furtado Bittencourt
    Jonas Furtado Bittencourt

    Segui-los 1394 seguidores Ler as 549 críticas deles

    3,0
    Enviada em 13 de novembro de 2019
    Sempre tive uma relação de amor e ódio com esse filme. Às vezes eu assisto e acho o melhor filme já feito, outras acho uma completa bosta. Veja bem, David Fincher já é um diretor cerebral, seus filmes são frios e seus personagens não soam humanos. Aí ele vai e adapta uma história fria, sombria que em última análise fala sobre vários aspectos podres da humanidade...Todavia, o filme é uma crítica contundente às formas de viver que mantém os homens atados à insatisfação. É um filme intencionalmente brutal e demente, uma crítica ácida ao homem moderno, uma análise fatalista da masculinidade em suma(apesar de em última análise todas essas mensagens que o filme se propõe a passar sejam tolas e hipócritas, mascarando anarquia selvagem com um discurso burguês de libertação das amarras opressoras da vida segura de classe média alta, as atitudes e discurso do personagem Tayler Durden ilustram bem isso). Enfim boa parte das críticas que se pode fazer e do porque muita gente não curti muito é que ele foi elevado para um patamar do qual nem pretendia pertencer, várias teorias mirabolantes e elogios desproporcionais. O filme pode ter tido um impacto na época mas hoje em dia todos os temas que aborda já estão datados e não fazem mais sentido. Ótimas atuações do elenco principal e técnica apurada fazem valer apena. Recomendo, mas foi bem superestimado. Junto com O Iluminado, o filme mais ridiculamente superestimado das últimas décadas. Está longe de ser ruim, mas a exaltação quase religiosa à esta bobajada é foda. E estou falando isso como quem gosta do filme e já o assistiu várias vezes. Gosto muito do humor e da atuação de Norton, além da direção sempre tecnicamente competente de Fincher. Um filme divertido, mas chamar isso aqui de maravilha do cinema é forçar demais. Brad Pitt está constrangedor, aliás...Seu personagem já é uma piada mesmo, então encaixa bem.
    anônimo
    Um visitante
    5,0
    Enviada em 8 de junho de 2013
    " Segundo o Sr. Durden, "As coisas que você possui, acabam possuindo você". Tema implícitamente abordado por Marx, que falou da alienação na sociedade. Clube da luta é um desafio moral e pertubador, uma brutal e poética experiência visual."
    anônimo
    Um visitante
    5,0
    Enviada em 5 de agosto de 2013
    Um dos 10 melhores filmes que eu já tive o prazer de assistir. Incrível do começo ao fim. Uma crítica ao consumismo e à alienação. Brad Pitt dando show de atuação assim como fez em 12 macacos. O Norton é prefeito para o papel. Sua inércia e loucura são interpretadas de forma incríveis que chega a da pena do personagem e ser cômica ao mesmo tempo. Tyler Durden Vive! Filme obrigatório para quem adora cinema.
    Anderson  G.
    Anderson G.

    Segui-los 592 seguidores Ler as 268 críticas deles

    4,5
    Enviada em 26 de novembro de 2016
    um dos maiores falados filmes do anos 90 e sempre uma figurinha carimbada entre os melhores filmes cults, mas “Clube da Luta” faz por merecer toda a sua fama, porque ele conversa com o anseio de vazio do telespectador , todos gostaríamos de ter um amigo como Tyler durden, nosso protagonista não tem nome, a cidade em que a historia se passa não tem nome, pode ser qualquer um em qualquer lugar, pode ser nós, pois todos em algum momento da vida temos a sensação que não importe o quanto nos esforçamos, não somos felizes, e nosso protagonista apenas tomou uma atitude quanto a isso...A luta em si é um elevação ao animal interior de cada um, numa luta, é a onde nos livramos de todas as amarras sociais que a sociedade impõem, e eu tenho muito mais a falar sobre isso, mas não vou me estender aqui. Fora as brilhantes criticas ao consumismo e a morte o filme não é apenas um roteiro perfeito, mas tecnicamente o filme também é incrível, as atuações são ótimas, a fotografia é limpa o tempo inteiro, menos nos poroes a onde ocorrem as lutas, a edição é impecável e a trilha sonora é única, Fincher faz um trabalho impecável ao adaptar o livro do também impecável chuck palahniuk, a única coisa que me desagrada no filme é quando o clube da luta fica grande demais e seu final utópico, ele destoa um pouco da identificação do telespectador com o filme, mas são pequenos detalhes para o que apesar de todas as criticas é sim um filme espetacular.
    Lucas M.
    Lucas M.

    Segui-los 5 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 25 de setembro de 2013
    Excelente o enredo, o elenco e tudo. Tem uma frase do filme, "se você acorda em um lugar diferente, e em uma hora diferente, pode acordar sendo uma pessoa diferente?" é isso o que o filme propõe, um jeito inovador do protagonista resolver seus problemas pessoais, tal como o de insônia, buscando a liberdade com um ser totalmente imaginário que "é livre de todas as formas de que o protagonista não é". Cada frase, cada cena... quando o protagonista buscava ajuda com pessoas que tinham problemas maiores do que o dele, saía de uma igreja cuja a mesma era local de reunião de apoio pessoas com câncer de testículo ( permanecendo juntos - remaining together) , "toda noite eu morria, e toda noite eu nascia de novo, Ressuscitado!." Pra quem não assistiu, assistam. UM SOCO NA MENTE!!!!
    Sidney  M.
    Sidney M.

    Segui-los 13674 seguidores Ler as 1 080 críticas deles

    4,5
    Enviada em 18 de fevereiro de 2015
    Clube da Luta é um dos melhore filmes da carreira de David Fincher. O roteiro desse filme é insano demais, ás vezes tu não acredita no que está acontecendo. O elenco da um show, com interpretações excepcionais de Edward Norton e Brad Pitt. Se você gosta de filmes bem bolados com desfechos surpreendentes recomendo muito este clube da luta.
    Maria Luiza B.
    Maria Luiza B.

    Segui-los 5 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 13 de setembro de 2013
    Um filme destinado a espectadores intelectualizados e atentos. Ótimo em todos os aspectos.
    Lyrion Matheus
    Lyrion Matheus

    Segui-los 34 seguidores Ler as 70 críticas deles

    5,0
    Enviada em 15 de março de 2013
    Atuações impecáveis dos protagonistas. Até os figurantes dão conta do recado, merecem destaque. Que história. Me deixou boquiaberto. Vale a pena assistir, assistir de novo, assistir de novo...
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top