Meu AdoroCinema
Cinquenta Tons Mais Escuros
Nota média
1,7
24 publicações
  • Omelete
  • Preview
  • Variety
  • Quarto Ato
  • Boston Globe
  • Ccine10
  • CineClick
  • Cinepop
  • ScreenCrush
  • Screen International
  • Screen Rant
  • Cineweb
  • Cinema com Rapadura
  • Cineplayers
  • Critikat.com
  • Folha de São Paulo
  • Observatório do Cinema
  • O Globo
  • Papo de Cinema
  • Rubens Ewald
  • Télérama
  • The Hollywood Reporter
  • Veja
  • Collider

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

24 críticas da imprensa

Omelete

por Marcelo Hessel

O diretor entende o potencial do material de E.L. James - que sempre foi comportado demais para virar um softcore decente - e cria neste segundo filme uma farsa perfeita para os nossos tempos de cinismo.

A crítica completa está disponível no site Omelete

Preview

por Suzana Uchôa Itiberê

A presença de Kim Basinger como Elena, a mulher que introduziu Christian no mundo do sexo e da submissão, é um adendo intrigante, mas pouco explorado (quem sabe na parte final). [...] Paciência, mesmo porque a expectativa da crítica já não era muito animadora.

A crítica completa está disponível no site Preview

Variety

por Guy Lodge

E, ainda assim, mesmo com todas as deficiências estruturais e psicológicas do filme, é difícil não gostar de "Cinquenta Tons Mais Escuros" em seus próprios termos absurdos e limitados.

A crítica completa está disponível no site Variety

Quarto Ato

por Gustavo Nery

[...] aceitar isto como algo ótimo é vender-se muito fácil à indústria e assumir um nível de artificialidade tão tosco que beira ao irreal romance à palmadas de Grey e Steele. Já fomos mais complexos, e alguns roteiros cinematográficos também.

A crítica completa está disponível no site Quarto Ato

Boston Globe

por Meredith Goldstein

Mesmo com um Jamie Dornan que melhorou suas técnicas de atuação, o filme ainda pertence a Dakota Johnson, uma atriz capaz de deixar mais leve um filme que pretende ser mais sombrio.

A crítica completa está disponível no site Boston Globe

Ccine10

por Igor Pinheiro

O apelo sexual do filme, que é a base da história, acaba sendo quase insignificante uma vez que nada parece ser o que longa realmente se propõe, tornando tudo muito inconvincente.

A crítica completa está disponível no site Ccine10

CineClick

por Iara Vasconcelos

Vemos uma mulher confusa e sem muita iniciativa, que continua com as mesmas dúvidas do passado e muda de opinião facilmente diante de presentes caros, vestidos de princesa e floreios. Já o tipão "misterioso" de Grey se mostra cada vez menos convincente.

A crítica completa está disponível no site CineClick

Cinepop

por Renato Marafon

Vendido como um thriller psicológico, "Cinquenta Tons Mais Escuros" decepciona ao entregar um romance mundano, sem grandes aspirações ou enredo bem delineado. As únicas cenas de suspense são aquelas que podemos ver no trailer...

A crítica completa está disponível no site Cinepop

ScreenCrush

por Matt Singer

Eu já li cartões de felicitação com mais suspense do que a narrativa de "Cinquenta Tons Mais Escuros" [...] O público merece algo melhor do que esta imbecilidade.

A crítica completa está disponível no site ScreenCrush

Screen International

por Tim Grierson

Ocasionalmente sexy e ocasionalmente tolo, "Cinquenta Tons Mais Escuros" é um filme repleto de bobagens, com seus prazeres culpados sendo indistinguíveis de seus esquisitos momentos melodramáticos.

A crítica completa está disponível no site Screen International

Screen Rant

por Sandy Schaefer

Ao passo em que "Cinquenta Tons de Cinza" oscilava na escala de qualidade de suas intenções artísticas e de sua narrativa, graças aos esforços de um diretor que conseguiu elevar o fraco texto original, "Cinquenta Tons Mais Escuros" é mais consistente em sua mediocridade - para o bem e para o mal.

A crítica completa está disponível no site Screen Rant

Cineweb

por Alysson Oliveira

A direção é incapaz de superar as situações estapafúrdias, os diálogos constrangedores e a canastrice de Dornan. Dakota, que é boa atriz, não tem como vencer as limitações do papel de uma garota um tanto tola e cegamente apaixonada.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

Cinema com Rapadura

por Thiago Siqueira

Por mais que ultrapasse frequentemente e involuntariamente a fronteira do hilariante em sua breguice, “Cinquenta Tons Mais Escuros” é um filme retrógrado e perigosíssimo, que [...] reforça e romantiza uma cultura de dominação masculina e a noção de que o lugar da mulher é servindo o seu macho provedor.

A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

Cineplayers

por Francisco Carbone

Com tanta coisa ruim a se notar em cena, ou melhor, com tão pouca coisa boa, a trilha sonora continua poderosa e o filme clama para ser encarado como uma novela cada vez mais.

A crítica completa está disponível no site Cineplayers

Critikat.com

por Josué Morel

O segundo volume da adaptação cinematográfica do fenômeno "Cinquenta Tons de Cinza" não podia merecer menos seu título ["Cinquenta Tons Mais Escuros"], uma vez que sua trama carrega duas características específicas: menos nuances e menos escuridão.

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

Folha de São Paulo

por Thales de Menezes

Às vezes alguém diz que determinada obra é um retrato de seu tempo. Pode ser ou não um elogio, dependendo da época. No caso de "Cinquenta Tons Mais Escuros", a expressão cabe bem. E, como estes tempos, o filme é medíocre.

A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

Observatório do Cinema

por Giovanni Rizzo

O sexo é mais uma enganação, mais uma negociação do filme, como se o peitoral de Dornan e os seios de Jonhson estivessem no pacote de quem paga o ingresso.

A crítica completa está disponível no site Observatório do Cinema

O Globo

por André Miranda

Para “Cinquenta tons mais escuro”, continuação do romance erótico, a tal tensão sexual deixa de fazer sentido. Anastasia já foi amarrada de todos os jeitos no primeiro filme e já está careca de saber que Christian é um sujeito atormentado

A crítica completa está disponível no site O Globo

Papo de Cinema

por Robledo Milani

O pior, no entanto, é o forçado psicologismo que a todo momento se manifesta durante a trama de "Cinquenta Tons Mais Escuros". Busca-se um passado traumático para o rapaz, com se suas preferências sexuais fossem um vício maldito do qual ele necessitasse se ver livre.

A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

O galã Dornan é um loirinho aguado e de corpo trabalhado, mas que não é ator nem aqui nem na sua natal Irlanda. [...] Os coadjuvantes conseguem ser ainda piores como a veterana Kim Basinger, reaparecendo transtornada pelas plásticas, numa ponta miserável. Mas o roteiro desta vez é ainda pior...

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

Télérama

por Cécile Mury

[...] o filme sofre pela total falta de química entre os dois protagonistas, interpretados por Dakota Johnson e Jamie Dornan [...] Simples: cinquenta mais cinquenta é igual a... zero.

A crítica completa está disponível no site Télérama

The Hollywood Reporter

por John DeFore

O roteiro de Niall Leonard e a direção de James Foley oferecem cenas de sexo seminuas o suficiente provando que quantidade não consegue substituir qualidade e química.

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

Veja

por Miguel Barbieri Jr.

Com cenas de sexo comedidas (para fisgar plateias maiores), a história fica centrada no romance vaivém dos protagonistas. [...]  Sarado e com visual repaginado, Dornan está mais sexy (de acordo com Grey), porém, nas cenas dramáticas, o ator tem a mesma expressão de uma porta.

A crítica completa está disponível no site Veja

Collider

por Matt Goldberg

Para um filme que não é nem sensual e nem romântico, "Cinquenta Tons Mais Escuros" falha completamente em tudo o que tenta fazer [...] toda a empreitada é uma gigantesca perda de tempo.

A crítica completa está disponível no site Collider
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top