Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Carol
    Nota média
    4,0
    33 publicações
    • Boston Globe
    • Critikat.com
    • Quarto Ato
    • The Guardian
    • The Playlist
    • Télérama
    • Variety
    • Washington Post
    • ScreenCrush
    • Chicago Sun-Times
    • Chronic'art.com
    • CineClick
    • Cinema em Cena
    • Cinemascope
    • Cineplayers
    • Cinepop
    • Cineweb
    • Collider
    • Diário de Pernambuco
    • Folha de São Paulo
    • New York Post
    • Omelete
    • Papo de Cinema
    • Screen International
    • Screen Rant
    • The Hollywood Reporter
    • Zero Hora
    • Almanaque Virtual
    • Estado de São Paulo
    • O Globo
    • Revista de Cinema
    • Rubens Ewald
    • Cinética

    Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

    33 críticas da imprensa

    Boston Globe

    por Ty Burr

    Levando todo o filme em conta, a grande estrela do longa é o seu diretor, Todd Haynes [...] "Carol" é um filme para apreciar com os olhos, os ouvidos e todos os sentidos.

    A crítica completa está disponível no site Boston Globe

    Critikat.com

    por Damien Bonelli

    A alquimia deste encontro nasce de pequenos toques e olhares, transações eróticas conduzidas com campo e contracampo, cuja sensualidade aquece cada plano com um fogo que queima muito tempo após os créditos finais.

    A crítica completa está disponível no site Critikat.com

    Quarto Ato

    por Gustavo Nery

    O resultado é uma narrativa bem contada e explorada, de forma que torna-se perceptível a presença do livro nas telas. Uma história [...] dirigida competentemente por Todd Haynes e em uma produção que alcança êxito.

    A crítica completa está disponível no site Quarto Ato

    The Guardian

    por Peter Bradshaw

    É uma obra repleta de sensualidade, ricamente construída e delicadamente detalhada e fabricada: as roupas, os cabelos, os autómoveis, os vagões dos trens, os toca-discos, o batom e os cigarros são todos apresentados de forma sublime. A combinação de todos esses elementos é inebriante em si própria.

    A crítica completa está disponível no site The Guardian

    The Playlist

    por Eric Kohn

    Uma fábula sutil de atração mútua, que reflete o trabalho de um diretor e uma equipe técnica no auge de sua forma, retratando situações complexas de maneira magnificamente pessoal.

    A crítica completa está disponível no site The Playlist

    Télérama

    por Pierre Murat e Yasmine Youssi

    É na minúcia exacerbada que explode a invenção do cineasta: a precisão da luz que ele exige de seu genial diretor de fotografia, Ed Lachman. E a precisão com a qual dirige as suas atrizes. Cate Blanchett interpreta Carol como Greta Garbo...

    A crítica completa está disponível no site Télérama

    Variety

    por Justin Chang

    [...] mesmo as grandes expectativas não são suficientes te preparar para o impacto surpreendente de "Carol", uma história de amor primorosamente desenhada, profundamente sensível [...]

    A crítica completa está disponível no site Variety

    Washington Post

    por Ann Hornaday

    "Carol", uma adaptação do romance de Patricia Highsmith, dirigida por Todd Haynes, captura seu espectador e o coloca em um sonho inebriante e delicadamente coreografado, lançando um feitiço tão sedutor quanto sua personagem-título.

    A crítica completa está disponível no site Washington Post

    ScreenCrush

    por Erin Whitney

    A grande qualidade de "Carol" é pintar um retrato belíssimo de duas forças se atraindo fora dos limites de gênero, idade e normas sociais. Uma das histórias de amor mais universais dos nossos tempos, "Carol" é uma experiência imperdível.

    A crítica completa está disponível no site ScreenCrush

    Chicago Sun-Times

    por Richard Roeper

    Cate Blanchett interpreta [...] com sua magnificiência de costume, mas é a Therese de Rooney Mara que deixa a impressão mais duradoura. Esta é o melhor desempenho de Rooney em sua carreira, e ela merece seriamente sua indicação ao Oscar.

    A crítica completa está disponível no site Chicago Sun-Times

    Chronic'art.com

    por Murielle Joudet

    Embora o olhar que contempla este mundo excessivamente delicado seja tanto o de Therese quanto o de Haynes, o caminho febril de seu olho cheio de lágrimas serve entretanto como contraponto salvador à reconstituição fetichista...

    A crítica completa está disponível no site Chronic'art.com

    CineClick

    por Daniel Reininger

    Inteligentemente adaptado e com grandes atuações, esse é um grande filme, que não só conta uma bela história de forma incrível, mas também levanta questões sociais cada vez mais relevantes...

    A crítica completa está disponível no site CineClick

    Cinema em Cena

    por Pablo Villaça

    Delicado ao construir o relacionamento entre as duas mulheres, Haynes emprega boa parte da narrativa para retratar a aproximação das duas, deixando claro que o que há ali é mais do que apenas sexo (se fosse, tampouco seria problema).

    A crítica completa está disponível no site Cinema em Cena

    Cinemascope

    por Frederico Cabala

    O que impressiona mais ainda são os trabalhos de atuação que fazem Cate Blanchett e Rooney Mara [...] "Carol" possui força narrativa que une riqueza estética e excelentes atuações para formar um discurso altamente necessário ainda hoje.

    A crítica completa está disponível no site Cinemascope

    Cineplayers

    por Heitor Romero

    [...] mais do que uma análise sobre os desafios de uma mulher dentro de uma sociedade machista, ou sobre a homossexualidade enrustida ou sobre a libertação pessoal, Carol vai além e retrata a figura feminina por si só, independente de qualquer fator externo...

    A crítica completa está disponível no site Cineplayers

    Cinepop

    por Raphael Camacho

    Além da história muito bonita, uma adaptação muito profunda e interessante, Blanchett e Mara simplesmente valem o ingresso. Belo filme!

    A crítica completa está disponível no site Cinepop

    Cineweb

    por Alysson Oliveira

    A forma carinhosa como Haynes sempre filmou os outsiders traz uma aura de respeito ao casal de personagens e suas escolhas. Em momento algum o diretor esbarra no sensacionalismo. A única cena de sexo está lá para mostrar o crescimento da intimidade entre as duas...

    A crítica completa está disponível no site Cineweb

    Collider

    por Thalia Shogomonian

    As cenas de amor são estéticas, elegantes, e acima de tudo discretas, um retrato artístico da consumação do amor, de uma maneira que apenas Haynes consegue fazer.

    A crítica completa está disponível no site Collider

    Diário de Pernambuco

    por Júlio Cavani

    Dos lançamentos da temporada do Oscar, Carol é o que tem o maior poder transformador. O amor entre as lésbicas interpretadas por Rooney Mara e Cate Blanchett é transmitido de forma tão verdadeira que é praticamente impossível alguém ver o filme sem torcer para elas ficarem juntas.

    A crítica completa está disponível no site Diário de Pernambuco

    Folha de São Paulo

    por Ana Ribeiro

    Os minutos passam arrastados até que elas comecem a se tocar. E sim, tem beijos, bocas, peitos, pele, mãos e a fúria do encontro de dois corpos femininos que se desejam.

    A crítica completa está disponível no site Folha de São Paulo

    New York Post

    por A.O. Scott

    Há uma abundância de melodrama, no entanto, e um toque mais que sutil de filme noir. Mas "Carol" filtra um romance de relativa felicidade através de camadas de ansiedade, medo e suspense psicológico.

    A crítica completa está disponível no site New York Post

    Omelete

    por Marcelo Hessel

    Ao associar a construção do olhar de Therese com a criação de uma consciência da sua própria identidade sexual, o esteta Todd Haynes faz com "Carol" um filme que pode muito bem ser considerado belo e distante [...] mas sem dúvida é um dos seus relatos mais testamentais.

    A crítica completa está disponível no site Omelete

    Papo de Cinema

    por Matheus Bonez

    Se a trama por si se trata de uma questão polêmica e tratada de forma sutil, mas nunca leviana, é a presença de Blanchett e Mara e a química entre as duas que mantém o interesse até o fim.

    A crítica completa está disponível no site Papo de Cinema

    Screen International

    por Tim Grierson

    De fato, tal estética (a construção sóbria de Todd Haynes) produz uma melancolia rica e infinita, mas também pode deixar o filme contido demais para o seu próprio bem.

    A crítica completa está disponível no site Screen International

    Screen Rant

    por Sandy Schaefer

    A adaptação literária é menos ousada nos dias de hoje do que já foi (no ano em que o livro foi publicado). [...] "Carol" não consegue ser realmente ousado, mas ao mesmo tempo ele é um drama de ritmo envolvente e vibrante.

    A crítica completa está disponível no site Screen Rant

    The Hollywood Reporter

    por Todd McCarthy

    O excelente desempenho de Cate Blanchett e Rooney Mara, como duas mulheres que traçam um precário caminho em direção a um relacionamento romântico, em 1952, faz de Carol algo além de especial.

    A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

    Zero Hora

    por Daniel Feix

    Essa capacidade de nuançar pessoas e lugares, explorando e às vezes aprofundando elementos do livro a partir dos recursos da linguagem do cinema, faz de "Carol" um filme especial. Um dos melhores da temporada em Hollywood.

    A crítica completa está disponível no site Zero Hora

    Almanaque Virtual

    por Celso Rodrigues Ferreira Junior

    Tudo em “Carol” evidencia a sensibilidade de Haynes no enfrentamento das questões existenciais mais íntimas. [...] Contudo, a deslumbrante direção de arte e as elegantes opções estéticas de Haynes não impedem que a trama de “Carol” se revele, afinal, enfadonha e pouco inspirada.

    A crítica completa está disponível no site Almanaque Virtual

    Estado de São Paulo

    por Luiz Zanin Oricchio

    Hoje, o relato pode parecer até um tanto anacrônico. Mas, se observarmos bem de perto, e sem tanta efusão, veremos que o drama de Carol e Therese não se acha tão desconectado assim do presente.

    A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

    O Globo

    por Carlos Helí de Almeida

    O filme é construído como um estudo sobre as regras da atração, [...] e, como tal, articula-se em torno de olhares, gestos, ângulos de câmera, sombras e cores de tirar o fôlego, mas sem tensão — ou seria tesão?

    A crítica completa está disponível no site O Globo

    Revista de Cinema

    por Júlio Bezerra

    A questão é que, embora sejam convincentes em suas respectivas fragilidades, as personagens são muito menos felizes na encenação do amor entre elas – e, claro, não ajuda em nada a ansiada (por nós e por elas) cena de sexo ser tão pouco calorosa.

    A crítica completa está disponível no site Revista de Cinema

    Rubens Ewald

    por Rubens Ewald Filho

    Embora reconheça qualidades na narrativa do filme, me aborrece o roteiro que não faz os personagens discutirem ou se explicarem ou se exporem com suas razões e problemas. As coisas acontecem e “desenacontecem” e pronto. Apesar disso, Carol tem seu público e sua torcida. Dá para entender o porquê.

    A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald

    Cinética

    por Eduardo Valente

    [...] os elementos estéticos isolados impressionam, os atores estão bem, a filmagem é precisa, o pano de fundo relevante. Como encontrar a chave do mistério? [...] tudo que acontece depois parece aguardar que alguma fagulha, alguma faísca se acenda na tela, que a mágica aconteça, mas em vão [...]

    A crítica completa está disponível no site Cinética
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top