Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Sai da Frente
    Média
    3,7
    18 notas e 2 críticas
    distribuição de 2 críticas por nota
    0 crítica
    0 crítica
    2 críticas
    0 crítica
    0 crítica
    0 crítica
    Você assistiu Sai da Frente ?

    2 críticas do leitor

    Fernando M.
    Fernando M.

    Segui-los 24 seguidores Ler as 51 críticas deles

    3,0
    Enviada em 14 de fevereiro de 2015
    Sai da Frente é a primeira experiência do comediante Amácio Mazzaropi (1912-1981) na tela grande. Com muitos anos de experiência no teatro mambembe e no circo, com fama já consolidada no rádio, Mazzaropi, então com quarenta anos, encarna o humilde motorista Isidoro Colepicula, proprietário de um caminhão caindo aos pedaços chamado “Anastácio”. Filme da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, com direção e roteiro de Abílio Pereira de Almeida (nome famoso do Teatro Brasileiro de Comédia), é um nonsense situado numa São Paulo que ainda não é uma complicada metrópole. Com direito a sanduíches enormes, despertadores gigantes, um automóvel que reage automaticamente ao mundo, um escritório cheio de pessoas com nomes de meses, e os mais variados tipos urbanos, como policiais, funcionários públicos, um judeu e uma atriz de circo. O roteiro é frouxo, oscilando na qualidade da construção dos diálogos. Partindo da ideia de levar uma mobília para Santos e se envolver em variadas confusões, a história é construída para ser uma sucessão de gags aparentemente independentes, tendo apenas Isidoro e Anastácio como frágil fio condutor. O jeitão caipiresco de Mazzaropi ainda está engatinhando, e ele consegue ser engraçado mesmo com visível desconforto em falar frases pomposas do mestre Abílio. Com algumas críticas sociais aqui e ali, ao retratar a burocracia nas repartições públicas ou o palavrório vazio e tendência à corrupção dos políticos, o filme também tem dois momentos de tietagem explícita (ou sutilíssima ironia?): o quadro de Getúlio Vargas em uma repartição e o cachorro “Coroné” saudando-o em outra cena. Tudo tem uma cara de test drive. Da poderosa Vera Cruz em testar a sua mais nova aquisição, que lhe custou tanta grana; do mestre Abílio que procura dar ao filme um tom circense, pastelão, um diálogo de programa radiofônico, para tornar o astro mais à vontade; e Mazzaropi, mais desajeitado em ser ator frente às câmeras, do que ser um personagem desastrado.
    Igor San
    Igor San

    Segui-los 12 seguidores Ler as 95 críticas deles

    3,5
    Enviada em 22 de outubro de 2019
    Um filme bastante divertido. O único problema é a condução do mesmo, mas mesmo assim vale a pena conferir.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top