Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Tancredo - A Travessia
    Críticas AdoroCinema
    4,0
    Muito bom
    Tancredo - A Travessia

    Para Entender o Luto

    por Francisco Russo

    21 de abril de 1985. Morria Tancredo Neves, primeiro presidente civil do Brasil em mais de duas décadas. O choro compulsivo da população não era propriamente pelo falecimento de seu governante, mas pelo fim de um sonho. Um sonho de democracia, que levou milhões às ruas nas principais capitais pedindo o simples direito de votar. Um sonho de esperança, materializado naquele homem que significava novos tempos na política brasileira, apesar de já ter 75 anos. Um sonho de mudança, para um país que sempre foi apenas do futuro, ignorando o presente. Um sonho destruído.

    O grande mérito de Tancredo – A Travessia é conseguir transmitir ao espectador a dimensão do que significou a ascensão e morte de Tancredo Neves para o Brasil. Entre o sonho e a realidade, o que se vê é um país extremamente complexo onde não apenas a vontade bastava. Havia também o jogo político, com seus inevitáveis interesses, e ainda a liberdade comedida, com limites sobre até onde se poderia agir. Em depoimento, Miro Teixeira conta uma declaração esclarecedora de Theotônio Vilela: “Vocês não entenderam. Ou é este projeto ou não vai ter anistia”. Retrato da ditadura, onde a vontade era imposta sem que houvesse muito espaço para negociações. Retrato do Brasil daquela época.

    Entretanto, a história de Tancredo começa bem antes da década de 80. De forma bastante didática é apresentada toda sua trajetória política, passando por períodos marcantes do país. O suicídio de Getúlio Vargas é apresentado através de uma encenação com atores, baseada na peça teatral “O Tiro que Mudou a História”, que chama mais a atenção pelos nomes conhecidos presentes do que propriamente por sua utilidade para o documentário. A crise após a renúncia de Jânio Quadros, com as negociações que fizeram com que Tancredo assumisse como primeiro-ministro de um Brasil parlamentarista, é também apresentada em detalhes. Assim como o golpe militar que deu início à ditadura, em 1964.

    Através de vários depoimentos e muitas imagens de arquivo, que ajudam bastante a contar uma época ao mesmo tempo distante e que deixou tantas marcas nos dias atuais, Tancredo – A Travessia é uma aula de história sobre a política brasileira nos últimos 60 anos. Imprescindível para quem deseja entender a formação recente do país e o real significado da campanha Diretas Já, uma época onde “parecia que o Brasil estava voltando para casa”, como diz a atriz Maitê Proença. Uma travessia que conta com, pelo menos, uma cena emocionante: o hino nacional cantado em pleno Congresso Nacional, após a emenda das eleições diretas para presidente não ser aprovada. De arrepiar.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top