Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Muita Calma Nessa Hora
    Críticas AdoroCinema
    3,0
    Legal
    Muita Calma Nessa Hora

    Poder Feminino

    por Francisco Russo

    Por mais que o cinema brasileiro faça sucesso, há nele uma lacuna quase permanente nas duas últimas décadas: os filmes voltados para o público jovem. De vez em quando surge um Podecrer aqui ou Apenas o Fim ali, mas são exceções à regra. Muita Calma Nessa Hora foi produzido pensando em cobrir esta ausência. Para tanto trouxe Felipe Joffily, um diretor que estreou no cinema trazendo o difícil mundo dos pitboys, em Ódiquê?, e um elenco repleto de comediantes. Há em cena de Sérgio Mallandro a Marcelo Adnet, passando por Leandro Hassum, Lúcio Mauro Filho, Maria Clara Gueiros, Marcos Mion, Nélson Dantas e outros tantos. Uma aposta, de certa forma, arriscada.

    O grande risco era que suas participações soassem como se estivessem em seus programas televisivos de origem, ou seja, uma mera esquete sem correlação com a trama. Não é o que acontece. Apesar de muitas vezes surgirem estereotipados, suas presenças servem sempre ao roteiro, criando situações que ajudam o desenrolar da trama principal. Trama esta que traz algo de novo, na simples presença feminina como protagonista.

    O cinema está repleto de filmes onde homens no cio estão em busca de garotas. As séries American Pie e Porky's estão aí como prova. Muita Calma Nessa Hora inverte a situação colocando três mulheres como protagonistas. O que a princípio pode aparentar ser um mero detalhe na verdade é crucial para a condução da história, especialmente pelo tom empregado. Sim, pois o objetivo das amigas Mari (Gianni Albertoni, péssima), Tita (Andréia Horta, bem em cena) e Aninha (Fernanda Souza, a de melhor timing cômico) é o mesmo: ficar - ou deixar de ficar, no caso de Mari - com alguém, seja ele quem for. A promiscuidade também está presente, mas de forma bem mais amena do que nos filmes estrelados pela ala masculina. O motivo? A presença feminina e seu modo de tratar a questão.

    Há também no filme uma série de citações, desde sucessos do YouTube e termos da internet até trechos de músicas antigas de forte apelo popular. Quase sempre elas surgem através de Estrella (Débora Lamm, correta), uma hippie em busca do pai. Estrella é também um dos elos de ligação do filme com o passado, trazendo referências a Raul Seixas e sua sociedade alternativa. Outro é a comparação com Menino do Rio. O espírito do filme dirigido por Antônio Calmon em 1981 não apenas inspirou Muita Calma Nessa Hora como se materializou, através de uma homenagem usando a famosa música homônima, sob a voz de Caetano Veloso.

    Muita Calma Nessa Hora é um filme leve, feito para os que gostam deste estilo de comédia jovem. A história das amigas que resolvem curtir um final de semana de baladas e azaração não chega a ser novidade, assim como a exploração de belas paisagens naturais como pano de fundo. De negativo, há o irritante merchandising de uma empresa de telefonia, presente até mesmo na inserção de seu slogan publicitário em uma conversa supostamente natural. Apesar disto, conta com alguns bons momentos, em especial os estrelados por Marcelo Adnet e Maria Clara Gueiros. Um filme razoável, que serve como distração para desanuviar a mente.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top