Meu AdoroCinema
Cazuza - O Tempo Não Pára
Sessões Vídeos Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Filmes Online Curiosidades Bilheterias Filmes similares Notícias
Média
4,1 170 notas e 14 críticas
21% 3 críticas 36% 5 críticas 29% 4 críticas 7% 1 crítica 0% 0 crítica 7% 1 crítica

14 críticas do leitor

Organizar por
Críticas mais recentes
  • Críticas mais úteis
  • Por usuários que mais publicaram críticas
  • Por usuários com mais seguidores
Luis R.

Segui-los 24 seguidores Ler as 605 críticas deles

3,5Bom • Atualizado em 26/12/2014

Bom!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

moreiraum

Segui-los 19 seguidores Ler as 28 críticas deles

4,0Muito bom • Atualizado em 27/09/2014

Bem como era o Cazuza: nu e cru, direto, libertino. O cara foi genial, sua inspiração era vida. Mas o gatilho para que suas idéias fluísse o levou à doença cruel. O filme deixa registrado um cara amigo, filho mas muito próprio. As tomadas são bem legais e a sequência da história de 10 anos em uma hora e meia cobre seus principais pontos. Esse filme é genial, as interpretações são fantásticas e nosso poeta está bem eternizado.

Luiza M.

Segui-los 12 seguidores Ler a crítica deles

4,5Ótimo • Atualizado em 19/09/2013

Em primeiro lugar, é impossível falar do filme sem citar a incrível semelhança e imediata associação entre ator e personagem. Não só a brilhante aproximação física, mas Daniel de Oliveira encarnou com veemência a personalidade geniosa, determinada, impulsiva e desmedida do ídolo. O filme encaixa perfeitamente os legados sonoros deixados por Cazuza, ao passo que mostra também o quanto pagou por sua "vida louca, vida", os tabus que quebrou e os limites que passou. Não o trata como Deus, mas como gênio, louco e, sobretudo, vivente. Só sinto muito a ausência de Ney, pois como sabemos, é outro gênio que muito se fez presente na trajetória contada pelo longa.

Cleiton D.

Segui-los 15 seguidores Ler as 7 críticas deles

3,5Bom • Atualizado em 18/07/2013

Recebi um email de uma Psicóloga, uma tal de Karla Christine. Falando do filme do Cazuza, falando realmente muita besteira sobre o Cazuza, o chamou de Marginal e disse que por suas atitudes de delinquente ele não deveria ser um ídolo. Infelizmente não vivi a era Cazuza, mas tenho amigos que viveram e cada um tem uma concepção de cazuza, ele foi realmente um cara muito loco que viveu tudo de uma vez, mas critica-lo não é sensato, ele é um verdadeiro ídolo nacional, é exagero, hoje com tantos cantores(a) fúteis e músicas medíocres, nós mantemos e precisamos manter a memória de artistas como ele para valorizar a própria musica nacional. Independente dos erros Cazuza é um grande musico e artista isso nunca vão destruir.

Kamila A.

Segui-los 86 seguidores Ler as 283 críticas deles

4,0Muito bom • Atualizado em 28/05/2013

Os dois maiores poetas da geração dos anos 80 foram, sem dúvida alguma, Renato Russo e Cazuza. Além de serem ótimos letristas, com uma capacidade tremenda de traduzir sentimentos; Renato e Cazuza tinham muito mais coisas em comum: ambos eram extremamente intensos e meio “loucos”. Os dois, talvez prevendo o futuro que os aguardava, viviam cada dia como se fosse o último. Morreram jovens, em decorrência da mesma doença, a AIDS. Mas, por uma razão que ninguém entende, a nossa geração (a dos anos 90) só conhece a obra de um deles: Renato Russo. Com o objetivo de apresentar ao público jovem a personalidade e a música de Cazuza, de fazer com que a geração dos anos 80 relembre aquela figura e as aventuras vivenciadas naquele período e de prestar uma homenagem àquele que é um dos maiores compositores brasileiros; foi que Sandra Werneck (“Amores Possíveis”) e Walter Carvalho (o diretor de fotografia de “Central do Brasil”) se uniram para dirigir “Cazuza – O Tempo Não Pára”, um projeto inicialmente idealizado por Daniel Filho, diretor da Globo Filmes. O filme tem um roteiro levemente baseado no livro “Só as Mães São Felizes”, de Lucinha Araújo, a super mãe de Cazuza (Lucinha era superprotetora; preocupada com o filho e queria ter ele sempre por perto, pois assim achava que o salvaria de se meter em encrencas); e cobre a vida de Cazuza a partir do momento em que ele desperta para a sua vocação musical (pelas mãos de Ezequiel Neves – no filme interpretado pelo surpreendente Emílio de Mello –, ele se torna o líder do Barão Vermelho, de onde sairia para uma bem-sucedida carreira solo) até o dia de sua morte, em 1990, depois de sofrer com os efeitos do vírus HIV no seu corpo. A descoberta da infecção pelo vírus é um ponto de transformação e de divisão no filme, marcada também pela chocante e dura transformação física do ator Daniel de Oliveira, que incorpora (essa é a palavra certa) Cazuza. Entretanto, a doença em si não chega a ser um ponto de transformação na personalidade de Cazuza, uma vez que ele ganha mais força para trabalhar; continua sendo superprotegido e paparicado por Lucinha (Marieta Severo, ótima); em contraponto à figura do pai, João (Reginaldo Faria, que aparece pouco, mas é eficiente nas suas cenas), que libera, mas sabe cobrar no momento certo; e se mantém rodeado de amigos irradiando a mesma alegria e senso de humor irônico que possuía. “Cazuza – O Tempo Não Pára” tem falhas gritantes, a maioria delas no que diz respeito à linha de tempo do filme (os pulos no tempo são muitos). Entretanto, este é um longa que funciona e emociona – sem apelar para cenas de emoção barata –, ao se apoiar, justamente, naquilo que Cazuza fez de melhor: escrever (e, em outros casos, prever), cantar tudo aquilo pelo qual ele havia passado e, principalmente, viver. http://cinefilapornatureza.com.br/filmes/cazuza-tempo-nao-para/

Erick P.

Segui-los 6 seguidores Ler as 5 críticas deles

5,0Obra-prima • Atualizado em 29/01/2013

Um dos melhores filmes biográficos sobre artistas brasileiros já criados, em minha opinião. Conta a história de maneira envolvente, demonstra abertamente tanto a genialidade quanto os defeitos de Cazuza e mistura as cenas com recortes de gravações e filmagens originais para aumentar o realismo. E, certamente, podemos dizer que a história é fiel à realidade, uma vez que a própria mãe do Cazuza acompanhou o processo e aprovou o resultado final. Spoiler: Não é atoa que ela mesma (a original) aparece rapidamente assistindo na cena do último show, algo bem comovente, inclusive.

flaps

Segui-los 0 seguidor Ler a crítica deles

?Horrível • Atualizado em 29/01/2013

Esse filme é um lixo. Não retrata os momentos e os personagens mais importantes da vida dele. Mal feito, com sequências ruins e com péssimos diálogos.

Heloisa M.

Segui-los 5 seguidores Ler a crítica deles

5,0Obra-prima • Atualizado em 09/01/2013

Muito bom o filme, especialmente a atuação de Daniel de Oliveira. Melhor papel de sua carreira, com certeza.

wesleyaxe

Segui-los 18 seguidores Ler as 680 críticas deles

3,5Bom • Atualizado em 05/01/2012

Realmente um filme interessante, por se tratar de um artista tão importante pra nossa música, ainda mais por uma boa atuação de Daniel de Oliveira, nos mostra toda a intimidade do cantor, nos torna acessível a sua vida, que até então era restringido apenas à reportagens... bem legal.

Fábio Torres

Segui-los 1 seguidor Ler as 58 críticas deles

4,0Muito bom • Atualizado em 30/12/2011

Ótimo filme. Pra quem gostou de os 2 filhos de francisco e La bamba irá gostar desse filme também.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema