Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Moonrise Kingdom
    Média
    4,4
    491 notas e 118 críticas
    distribuição de 118 críticas por nota
    28 críticas
    54 críticas
    26 críticas
    8 críticas
    1 crítica
    1 crítica
    Você assistiu Moonrise Kingdom ?

    118 críticas do leitor

    Eliandra Chagas
    Eliandra Chagas

    Segui-los 35 seguidores Ler as 103 críticas deles

    5,0
    Enviada em 17 de novembro de 2013
    “Moonrise Kingdom” mostra a história de Suzy (Kara Hayward) e Sam (Jared Gilman), uma garota e um garoto, ambos com 12 anos, que decidem fugir e viver juntos em uma ilha – linda, a propósito. O filme é engraçado, inusitado e tem cenas que chegam a lembrar “A lagoa azul” ao mostrar o descobrimento do corpo e do amor, além da incrível autossuficiência dos adolescentes – o que tem uma explicação perfeitamente lógica: Sam, o menino, é escoteiro. Um longa maravilhosamente excelente, hilário e original.
    Sisi S
    Sisi S

    Segui-los 10 seguidores Ler as 10 críticas deles

    2,0
    Enviada em 23 de fevereiro de 2013
    Não gostei do filme. Nota 2.0 - fraco. Fiquei desapontada, esperava mais :(
    Ric Brandes
    Ric Brandes

    Segui-los 73 seguidores Ler as 102 críticas deles

    4,0
    Enviada em 28 de julho de 2014
    Sempre alerta! Aventura e romance em mais uma obra ímpar de Wes Anderson. Moonrise Kingdom segue a linha de um diretor genial, que sabe impor sua marca em cada trabalho. Mais uma obra com toque de mestre, que surpreende e cativa o espectador com características próprias e muito bem definidas. A história se passa nos idos dos anos 60, em uma comunidade isolada, de rígidos costumes. E aí, entre personagens únicos e curiosos, surgem os jovens protagonistas Sam e Suzy. No auge de seus 12 anos, unidos por dificuldades e segredos, juntam forças e partem em busca de seus ideais. Fugindo de tudo e de todos, compartilham uma aventura inesperada e um amor surpreendente. Moonrise Kingdom trabalha com maestria as questões de família, amizade e amor juvenil, trazendo um elenco de peso: Bruce Willis, Edward Norton, Bill Murray e outra figuras carimbadas nos filmes do diretor se juntam a jovens atores que surpreendem em grandes atuações. Outro ponto que merece destaque é a temática dos escoteiros, que tem forte presença e evoca inúmeras situações de humor e aventura, com cenas surreais. Eis um filme curioso e surpreendente, que merece destaque por sua ousadia criativa, com o selo de qualidade de Wes Anderson. Por Ricardo Brandes
    Estevan Magno
    Estevan Magno

    Segui-los 3034 seguidores Ler as 490 críticas deles

    3,0
    Enviada em 28 de janeiro de 2015
    Com uma câmera na mão e uma boa ideia na cabeça se faz um bom filme, exemplo vivo disso é Wes Anderson - e claro Quentin Tarantino, mas ele não entra nessa crítica - o diretor e roteirista texano construiu um enredo infantil numa simples história de romance e introduziu alguns elementos que são peça chave no desenvolvimento das crianças, como: crescer e amar, amizade e exclusão, família e supervisão, brincadeiras e aventuras. E o desenvolvimento desses temas faz com que o peculiar Moonrise Kingdom não seja mais uma historinha da Sessão da Tarde, mas sim um concorrente ao Oscar de 2014. O enredo se passa numa Ilha, o cenário e a fotografia são peculiares - casas simples, as mesmas roupas para identificar a personagem, cada objeto ou fala da personagem definem seu carácter. Nessa ilha moram um casal e seus filhos, um policial e uma turma de escoteiros. A história começa quando um desses escoteiros desaparece e ao que tudo indica, para fugir da Ilha com uma garota (filha do casal). A busca pelas crianças destaca e realça a importancia das relações citadas na introdução no desenvolvimento infantil, e o papel de cada personagem no filme. Já que falei tanto das personagens, vamos a elas: Edward Norton interpreta o chefe dos escoteiros que não tem certeza sobre suas escolhas na vida; Bill Murray e Frances McDormand formam o casal em crise, que depois do desaparecimento da filha estremecem seus laços e transparecem a fragilidade de sua família; Bruce Willis é um policial sem rumo na vida com o desejo de construir algo maior, mostrando a importância da adoção na vida de uma criança e de um adulto. Por fim temos os fugitivos, as crianças Jared Gilman e Kara Hayward, que desenrolam boa parte do filme e tem os diálogos mais importantes, mesmo esses sendo um pouco fora do comum com algumas respostas curtas e diretas - o que realça o charme do roteiro de Wes Anderson. Resumindo, as atuações estão excelentes, principalmente das crianças, num papel difícil e atípico - diferente daquelas crianças americanas dos filmes hollywoodianos. Concluindo, Moonrise Kingdom pode não ser um filme espetacular, mas é muito agradável e reflexivo, do jeito como só uma criança pode ser. O filme vai te prender também pela trilha sonora repetitiva porém perfeita, sem deixar de realçar o gênero de cinema criado por Anderson. Com certeza um diferencial de Hollywood, onde estamos enfrentando uma aparente crise criativa, Wes Anderson é uma esperança para as novas gerações.
    Felipe F.
    Felipe F.

    Segui-los 1201 seguidores Ler as 494 críticas deles

    4,0
    Enviada em 16 de fevereiro de 2019
    Um filme leve, divertido, com um baita elenco, uma boa história, boas atuações, ótima fotografia e trilha, ocorrem coisas bastantes absurdas como o raio, e os efeitos visuais que são raros não são muito bem feitos, no mais um bom filme.
    Geovanne R
    Geovanne R

    Segui-los 41 seguidores Ler as 113 críticas deles

    5,0
    Enviada em 4 de setembro de 2015
    Moonrise kingdom e belo filme, sutilmente puro. E lúdico ver o desenrolar do namoro de San e Susy, sem aquele paixão explosiva e altamente sensual, Moonrise kingdom passa aquela pureza do amor no seu estado inicial, a descoberta, e incrível! A relação deles como adolescentes deslocados, um entendendo o outro, o primeiro beijo, eles semi nus tudo de uma leveza única. Trilha sonora bastantes simples, que faz lembrar aqueles filmes de antigos de criança, não decepciona, pelo contrário faz tudo parecer ainda mais puro, e sem malícia. E perfeito, um longa altamente gostoso de se ver. Só tem alguns buracos, o San e literalmente e atingido por um raio, e segundos depois se levanta, parecendo aqueles desenhos animados, ficou meio que nada haver. O final bem explosivo, com uma mega tempestade, serviu mesmo para dar mais drama ao filme. Não precisava de tanta Mais quer saber! Num todo o longa e perfeito, a pureza dos protagonistas diferencia de tudo e o faz completamente único!
    Sidnei C.
    Sidnei C.

    Segui-los 80 seguidores Ler as 101 críticas deles

    4,0
    Enviada em 5 de agosto de 2013
    Moonrise Kingdom foi lançado nos cinemas e agora nas locadoras do Brasil assim mesmo, sem uma versão em português do título. Tantas vezes criticamos os títulos mal-traduzidos com que são lançados os filmes estrangeiros no Brasil, mas deixá-lo com o nome em inglês não ajudou nada esse filme por aqui, que teve excelente recepção nos Estados Unidos para um filme independente, arrecadando mais de 60 milhões de dólares. No seu 7º filme como diretor (e também roteirista), Wes Anderson se firma como aqueles casos raros hoje em dia em que o diretor consegue deixar sua assinatura ao longo de seus filmes, pequenas características que identificam o autor, como acontece com filmes de Woody Allen, por exemplo (mesmo que não participando deles como ator). Mais importante que isso, com Moonrise Kingdom ele chegou à sua maturidade como realizador. É sem dúvida seu melhor filme até hoje, com um roteiro conciso e excelente domínio da narrativa, direção de atores e fluidez cinematográfica. Moonrise Kingdom é simples, sem ser simplório, é sensível, sem ser melodramático, é engraçado também , sem ser exatamente cômico. E também é o filme de Wes Anderson mais pessoal. O tom outonal em que se passa o filme é reforçado pela belíssima fotografia, em tons saturados. Afinal, cor e música dão o tom do filme, que se inicia com um comentário e execução em grupos de instrumentos da passagem de uma famosa sinfonia. Ouvimos separadamente as cordas, os sopros, a percussão, para deduzirmos nesta metáfora o carinho que Anderson tem pelos "excluídos", querendo dizer que todos nós, com nossas diferenças, somos importantes para executar a orquestra que é a vida. A celebração da liberdade é representada pela fantasia presente nos livros que acompanham Suzy - e que acabam inspirando-a a lançar-se em uma aventura em que é acompanhada por Sam - o menos popular entre os escoteiros do grupo. Aventura esta que vai acabar mobilizando a todos, uns que decidem ajudar o jovem casal a fugir, outros que se esforçam em encontrá-los.
    Eduardo P.
    Eduardo P.

    Segui-los 54 seguidores Ler as 98 críticas deles

    4,0
    Enviada em 12 de março de 2013
    Um filme adorável e charmoso. O filme cresce na abordagem, o roteiro de uma originalidade elogiável cria personagens e situações extremamente humanas, tudo permeada com um humor delicado e diferente. O elenco é ótimo, destaque para o ótimo casal de crianças e Bruce Williams, que emociona e diverte em um papel que não tem nada à ver com que ele faz na franquia "Duro de Matar". A direção também é digna de elogios, assim como a trilha sonora e direção de arte. Esse filme era a escolha mais unânime para preencher o buraco do oscar, que esse ano teve 9 indicados à melhor filme, não 10.
    ymara R.
    ymara R.

    Segui-los 417 seguidores Ler as 262 críticas deles

    2,5
    Enviada em 23 de fevereiro de 2014
    ok.. Este vai pra minha lista de filmes mais #WTF???!!!
    Júnior S.
    Júnior S.

    Segui-los 642 seguidores Ler as 269 críticas deles

    5,0
    Enviada em 10 de março de 2013
    Apesar da sempre incômoda conotação pessoal que Wes Anderson sempre faz questão de por em seus filmes( Cores fortes com tons de amarelo e laranja são marcas registradas na filmografia do diretor, mas que no fim acaba dando um certo charme ao filme ) Moorise Kingdom é sem dúvidas, o filme mais injustiçado no Oscar 2013, junto com O Mestre, claro. Tudo é perfeito, a única furada da produção foi não terem arranjado um garoto mais bem afeiçoado pra estrelar o filme ( MEU DEUS! AQUELE MENINO É FEIO DEMAIS!!!!!!!! ) em contraste a bela Kara Hayward, ruivinha gata! Sem maldade pessoal. O Roteiro é 10! devia ter gahado o Oscar.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top