Meu AdoroCinema
Roubo nas Alturas
Sessões Vídeos Créditos Críticas dos usuários Críticas da imprensa Críticas do AdoroCinema Fotos
Filmes Online Curiosidades Bilheterias Filmes similares Notícias
Críticas AdoroCinema
2,5 Regular
Roubo nas Alturas

INVESTIMENTO DE RISCO

por Roberto Cunha

Claramente inspirado no rat pack de Sinatra e Dean Martin, Steven Soderbergh fez enorme sucesso com a trilogia Onze Homens e um Segredo, reunindo um grupo de atores famosos. A fórmula, pelo jeito, ainda faz efeito e pode ter lá o seu charme, pois Roubo nas Alturas está em cartaz há sete semanas nos Estados Unidos e pagou o orçamento de US$ 75 milhões.

Para os padrões hollywoodianos, o desempenho pode não ser lá grande coisa, mas é o suficiente para dizer que não foi reprovado por lá. E existe a possibilidade de isso acontecer também por aqui, devido aos protagonistas Ben Stiller e Eddie Murphy terem aceitação junto ao grande público.

Na história, Josh Kovacs (Stiller) comanda com extrema competência uma equipe de funcionários de um dos prédios mais badalados de Nova York. O local é habitado por gente endinheirada, entre eles Arthur Shaw (facilmente interpretado por Alan Alda), ocupante da cobertura que vai preso pelo FBI por armar uma fraude financeira. O problema é que Kovacs descobre que o ricaço enganou seu pessoal envolvendo o dinheiro deles na falcatrua e não quer deixar barato, convidando um vizinho trambiqueiro (Murphy) para ajudá-lo a recuperar a grana.

Ainda no elenco, rostos mais novos, Gabourey Sidibe (Preciosa) e Michael Peña (Atirador), até nomes mais sumidos, como Matthew Broderick (Negócios de Família), meio perdido em cena, e Téa Leoni (As Loucuras de Dick e Jane), bem como uma agente do governo doidinha.

O argumento explora um "conflito de classes" dos tempos modernos, que será resolvido de uma maneira pra lá de descompromissada com a realidade e com pitadas de ação e suspense. Conduzido pelo experiente Brett Ratner (da trilogia A Hora do Rush), o roteiro de Ted Griffin (Onze Homens e Um Segredo) e Jeff Nathanson (Prenda-me Se For Capaz), pode-se dizer, foi bem aproveitado, mas os crimes cometidos (com duplo sentido) são muitos, como a sequência rídicula dentro de um shopping.

As licenças criativas para que a trama tenha fluidez rolam soltas. Algumas abusam demais das leis da física (são surreais) e as piadas são fracas, como um diálogo sobre lésbicas durante o planejamento ou a inserção de um cachorro no meio da ação. Entre as citações curiosas, o ator Steve McQueen e uma Ferrari 250 Luso Berlinetta 1963. A trilha sonora de Christopher Beck (Se Beber, Não Case! e Amor a Toda Prova) é boa e impõe seu ritmo.

Portanto, todo cuidado é pouco na hora de apostar no filme. Para quem espera uma comédia, principalmente, pela presença de dois nomes atrelados ao gênero, o lucro pode ser pequeno. Porque o humor existe, mas vai provocar risadas somente naqueles com riso mais frouxo. Com trocadilho, não chega a ser uma roubada, mas o investimento é de risco.

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema

Comentários

  • Wilhian M.

    ótima comédia policial pra passar o tempo , recomendo !

  • Osvaldina L.

    adorei o filme sou fã de eddie marphy e adoro filmes com mta ação

Mostrar comentários