Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Winter, o Golfinho
    Críticas AdoroCinema
    4,0
    Muito bom
    Winter, o Golfinho

    UMA INCRÍVEL CONEXÃO

    por Roberto Cunha

    Filmes que relatam o relacionamento diferenciado entre seres humanos e animais costumam cair nas graças do público com extrema facilidade. Estão aí inúmeros exemplos, tanto no cinema quanto nos seriados de televisão, como os saudosos Lassie e Flipper, que não deixam dúvidas. Uma das prováveis razões, talvez, esteja no sonho do bicho homem de se comunicar com eles.

    Winter, O Golfinho, além de ter este componente da comunicação, conta ainda com um elemento adicional de cortar - e conquistar - corações: é inspirado em uma história real. Nela, um menino órfão de pai e com dificuldades de relacionamento encontrou um golfinho machucado na praia, preso numa rede, e daí em diante criou um elo entre eles capaz de mudar para sempre o destino de ambos.

    Como nada na vida parece ser fácil e a produção, claro, pretende explorar o drama, não faltarão uma série de percalços que o pequeno herói e sua amiga aquática precisarão enfrentar. E exatamente por essa razão sobrarão momentos emocionantes, daqueles de dar nó na garganta, com a luta de todos para salvar o animal que tinha grandes chances de morrer.

    O roteiro, é verdade, faz uma tremenda salada e pega forte no tempêro, adicionando coisas do tipo soldados que retornam da guerra, deficientes físicos, fúria da natureza e até questões financeiras. Da série coisas que poderiam ser evitadas, o pelicano Telha é a dose de humor em filmes família, mas a sequência do helicóptero de brinquedo é totalmente descartável.

    Entre as curiosidades, a origem do nome Winter e a citação da lenda da deusa Hutash e sua ponte de Arco-Íris, quando transformou suas vítimas em golfinhos, conhecidos mundialmente como "crianças do mar". Quem já teve a oportunidade de ver as pinturas marinhas do mago Wyland reconhecerá esse título "Children of the sea" facilmente.

    No elenco cheio de nomes conhecidos, como Morgan Freeman, Ashley Judd e Kris Kristofferson, é o menino Nathan Gamble quem rouba a cena com sua simpatia e capacidade de provocar maremoto nos próprios olhos e até inundações (prepare-se) nos do espectador.

    A direção do ator Charles Martin Smith, o agente Oscar Wallace de Os Intocáveis, é correta e coerente com outro filme do gênero também tocado por ele: Bud, O Cão Amigo. Para dar o clima e o tom necessário dessa mensagem positiva, de manter a esperança sempre e valorizar a família, a trilha do premiado Mark Isham (Crash - No Limite) e músicas como a do Westlife são vitais.

    Assim, esqueça um exagero aqui ou ali na fantasia e lembre que o longa é estrelado pela própria golfinho sobrevivente. Ou seja, mesmo sabendo como tudo acabou, deixe-se envolver pela magia de uma bela história da mãe natureza e seus filhos, da terra e do mar, numa incrível conexão.

    Assista os trailers, veja imagens e curiosidades em Winter, O Golfinho.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    Mostrar comentários
    Back to Top