Meu AdoroCinema
Deus da Carnificina
Nota média
3,2
27 publicações
  • Cineweb
  • A Tarde
  • Cinema10
  • Cineplayers
  • Cinepop
  • Critikat.com
  • Estado de São Paulo
  • Instituto Moreira Salles
  • O Globo
  • The Guardian
  • The Hollywood Reporter
  • Chicago Sun-Times
  • Cinema com Rapadura
  • Preview
  • CineClick
  • Cinética
  • Omelete
  • Rolling Stone
  • Télérama
  • Variety
  • Zero Hora
  • Bravo
  • Críticos.Com.Br
  • O Globo
  • Revista Interlúdio
  • New York Times
  • Rubens Ewald

Cada revista ou jornal tem seu próprio sistema de avaliação, que será adaptado ao sistema AdoroCinema, de 0.5 a 5 estrelas.

27 críticas da imprensa

Cineweb

por Neusa Barbosa

Polanski faz justiça ao texto, assinando um filme notável por sua intensidade minimalista ao sustentar a ironia que se infiltra nas entrelinhas.

A crítica completa está disponível no site Cineweb

A Tarde

por João Carlos Sampaio

Polanski sabe explorar a riqueza das situações mínimas apresentadas pela história, usando closes e chamando o espectador a participar, ao discutir educação, cultura e valores morais.

A crítica completa está disponível no site A Tarde

Cinema10

por Jean Garnier

Mesmo não sendo memorável, Polanski revela as sutilezas do embate humano quando se depara com a anarquia para enfrentar seus demônios.

A crítica completa está disponível no site Cinema10

Cineplayers

por Heitor Romero

["Deus da Carnificina"] cumpre bem com seu objetivo de entreter o público com um humor negro afiadíssimo enquanto promove reflexões a respeito dos padrões de moral que regem uma situação coletiva de constante decadência ...

A crítica completa está disponível no site Cineplayers

Cinepop

por Raphael Camacho

"Deus da Carnificina" é uma dramédia com ótimos diálogos e excelentes desempenhos.

A crítica completa está disponível no site Cinepop

Critikat.com

por Ariane Beauvillard

Entre esta dialética de transformações de tons e de poderes surge às vezes uma forma de loucura, de perversão ou de depressão que torna os personagens mais complexos, tirando-os do retrato social banal e humanizando-os.

A crítica completa está disponível no site Critikat.com

Estado de São Paulo

por Luiz Carlos Merten

"Deus da Carnificina" pode ser muito engraçado, mesmo que o riso tenha como fronteira a dor de constatarmos nossa humana fragilidade.

A crítica completa está disponível no site Estado de São Paulo

Instituto Moreira Salles

por José Geraldo Couto

O desconforto dos personagens, em última análise, é o nosso próprio desconforto, pois a todo momento somos levados a contemplar nossas próprias fraquezas, vaidades e patifarias. O que alivia é o humor – negro, perverso, polanskiano, mas ainda assim libertador.

A crítica completa está disponível no site Instituto Moreira Salles

O Globo

por Marcelo Janot

Polanski [...] sabe mais do que ninguém como fazer de "Deus da carnificina" um filme sobre a eterna obsessão das sociedades ditas civilizadas em dividir o mundo entre vítimas e culpados.

A crítica completa está disponível no site O Globo

The Guardian

por Philip French

Este trabalho de mestre tem uma trilha magnífica e grande controle das cenas. A edição explora o espaço dramático entre os personagens e dita o ritmo emocional do filme, dando aos personagens a liberdade de atuarem dentro dos limites da visão do diretor.

A crítica completa está disponível no site The Guardian

The Hollywood Reporter

por Todd McCarthy

Rápida, cáustica, soberbamente atuada e com um ritmo dos mais velozes jamais feitos [por Roman Polanski], a adaptação desta premiada peça de teatro garante todas as risadas e a selvageria da peça teatral.

A crítica completa está disponível no site The Hollywood Reporter

Chicago Sun-Times

por Roger Ebert

Este filme não é particularmente memorável, mas Polanski mostra excelente técnica de direção, e os atores parecem se divertir bastante.

A crítica completa está disponível no site Chicago Sun-Times

Cinema com Rapadura

por Darlano Dídimo

... Minuto a minuto fica cada vez mais evidente a genialidade do trabalho textual de Reza e Polanski. Eles sabem como criar situações que sempre soam naturais e, porque não, familiares ...

A crítica completa está disponível no site Cinema com Rapadura

Preview

por Suzana Uchôa Itiberê

"Deus da Carnificina" é teatro filmado, literalmente. Um projeto arriscado, sim, mas conduzido com maestria por um cineasta que sube tudo de ambientação.

A crítica completa está disponível no site Preview

CineClick

por Roberto Guerra

Feito de momentos capazes de nos levar a introspecções profundas, mas capaz também de nos fazer rir de forma descompromissada, "Deus da Carnificina" prova que bons personagens e diálogos bem escritos ainda são a base de um produto cinematográfico.

A crítica completa está disponível no site CineClick

Cinética

por Fábio Andrade

Em época que "pacificado" se tornou sinônimo de progresso, Polanski faz um filme necessariamente chulo em sua irreverência, desmontando fortalezas de clichês ideológicos para revirar as tripas de uma geração que tenta de toda forma esconder suas fragilidades.

A crítica completa está disponível no site Cinética

Omelete

por Marcelo Hessel

"Deus da Carnificina" é o tipo de material que muita gente, preocupada com o futuro-das-nossas-crianças, vai julgar indispensável por ser uma comédia que "faz rir e pensar".

A crítica completa está disponível no site Omelete

Rolling Stone

por Christian Petermann

Polanski [...] se contentou [...] em realizar teatro filmado clássico, apoiando-se no necessário poder dos diálogos e na química entre os atores.

A crítica completa está disponível no site Rolling Stone

Télérama

por Pierre Murat

A direção é realmente eficaz, mas ela não salva o filme. Talvez porque estas quatro pessoas grotescas não valem todo o interesse que o cineasta tem por elas. Elas não são tão ambíguas, nem misteriosas...

A crítica completa está disponível no site Télérama

Variety

por Justin Chang

O grande esforço feito para adaptar esta peça de teatro ao cinema apenas expõe seus artifícios, o que torna fácil rejeitar a tese da dramaturga, segundo a qual os indivíduos se opõem de acordo com o gênero, classe social e convicções pessoais.

A crítica completa está disponível no site Variety

Zero Hora

por Marcelo Perrone

A excelência dos movimentos de câmera, dos enquadramentos e da montagem, porém, parece lutar para escapar da verborragia e do tom acima que devem funcionar bem melhor no palco.

A crítica completa está disponível no site Zero Hora

Bravo

por Michel Laub

Presa a um imaginário um tanto conhecido, e a par de momentos isolados de humor e inteligência, a dramaturgia da autora acaba aderindo a certa banalidade de seu objeto.

A crítica completa está disponível no site Bravo

Críticos.Com.Br

por Luiz Fernando Gallego

Aliás, os personagens não deveriam lembrar marionetes, mas é o que ocorre a despeito do elenco, em princípio respeitável, mas insuficiente para vencer os estereótipos aos quais tentam dar maior vitalidade.

A crítica completa está disponível no site Críticos.Com.Br

O Globo

por Rodrigo Fonseca

Embora tenha um elenco que dispensa adjetivos, [...] a adaptação de Polanski não enfrenta o texto de Yasmina, sem ultrapassar (pela força da imagem) os limites das convenções da transposição de linguagem.

A crítica completa está disponível no site O Globo

Revista Interlúdio

por Bruno Cursini

E é em cima disto tudo que Polanski literalmente vomita neste "Deus da Carnificina": uma anedota sobre o momento de assimilação de nossas próprias tolice e insignificância; algo que, certamente, não lhe tornará mais querido no país que já proíbe sua entrada há mais de 30 anos.

A crítica completa está disponível no site Revista Interlúdio

New York Times

por A. O. Scott

"Deus da Carnificina" não deveria ser um filme, mas um jogo de tabuleiro. Um colega meu já propôs uma versão deste jogo com quatro pessoas lendo a peça em volta de uma mesa, o que já me parece mais divertido do que assistir ao filme do Sr. Polanski.

A crítica completa está disponível no site New York Times

Rubens Ewald

por Rubens Ewald Filho

... O fato é que Polanski fez tudo errado. Não se torce por ninguém, nem se conhece direito os personagens (porque num teatro todos compartilham o mesmo espaço e respiram diretamente o drama e o conflito).

A crítica completa está disponível no site Rubens Ewald
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top