Meu AdoroCinema
  • Meus amigos
  • Meus cinemas
  • Notas Express
  • Minha coleção
  • Minha conta
  • Promoções
  • Desconectar
Amor e Dor
Média
2,9
5 notas e 2 críticas
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
100% (2 críticas)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
Você assistiu Amor e Dor ?

2 críticas do leitor

Lidiana C.
Lidiana C.

Segui-los 21 seguidores Ler as 10 críticas deles

2,5
Enviada em 05/09/13
Amor e Dor: reduzindo a imagem da mulher ao nada Filme dirigido e escrito pelo cineasta chinês Lou Ye ( Borboleta Púrpura), a película conta a história da chinesa Hua (Corinne Yam) que vai para Paris estudar, e acidentalmente conhece o construtor civil Mathieu ( Tahar Rahim), homem rude e sem qualquer instrução, no entanto, as diferenças culturais não impedem que os dois iniciem uma relação doentia. Filme de 2011. Antes de começar a falar do filme, creio que o nome deveria ser "O que as mulheres não podem aceitar dos homens", ou "Eu sou uma idiota e não tenho amor próprio", e por aí vai. Porque entre Hua e Mathieu poderia existir todos os tipos de sentimentos, menos amor. Não pelo que eu particularmente entendo como amor, aquele que cuida, que respeita, que quer ver o outro feliz. Em momento algum Mathieu fez isso por Hua. É o típico homem machista e egocêntrico. Mas vamos por partes. Já no início do filme Hua aparece implorando amor a um ex-namorado que ela conheceu em Pequim, e que não queria mais nada com ela na França. Pressupõe-se então que Hua mudou-se para França apenas por causa deste homem. Ela sai desorientada pelas ruas de Paris, quando é atingida acidentalmente por uma barra de ferro que Mathieu segurava e é aí que os dois se conhecem. Mesmo o primeiro encontro sendo para mim algo grotesco e desrespeitoso, ainda quis dar mais uma chance ao filme pois pensei que Hua estava tão triste e deprimida que não tinha mais nada a perder, no entanto, eu estava enganada porque o que vem a seguir é um grito latente à misoginia, machismo, estupro, e a imagem da mulher apática que deve aceitar calada tudo do "seu homem" Cenas de sexo excessivas que cansam, uma mulher culta com um futuro promissor se sujeitando a abusos físicos e verbais, simplesmente não entra na minha cabeça. E não é porque Mathieu não teve oportunidade de estudar, ele é assim. Creio até que o filme foi preconceituoso quanto a isso já que Mathieu é a personificação do homem das cavernas, enquanto que o namorado de Hua que morava em Pequim, professor universitário, culto, era um verdadeiro príncipe. Qualquer pessoa bem informada sabe que a violência contra a mulher não escolhe classe social. Eu ainda quis dar uma chance ao diretor e pensei: "talvez ele queira mostrar o como existem mulheres afundadas nesse tipo de relação!" Mas não! Não se pode pegar uma personagem e torna-la vítima de suas escolhas! Por que não mostrar uma mulher forte, que diz "não"? Mesmo que o preço que ela tenha que pagar seja alto? Este não é um filme romântico. Lou Ye foi completamente infeliz com seu roteiro e direção, talvez o único mérito do filme seja questionar essas relações doentes.
Eder Luis Santana
Eder Luis Santana

Segui-los 4 seguidores Ler as 49 críticas deles

2,5
Enviada em 23/11/12
Love and bruises é um filme monótono. Seus personagens centrais são irritantes e na metade do filme já espera-se ansiosamente para que a história termine o quanto antes. De um lado, uma chinesa que pode ser considerada a antítese da mulher moderna ao deixar-se dominar pela brutalidade masculina. Do outro, um homem dominador e agressivo que prefere uma mulher passiva e sem ambições na vida. O grande mérito do filme talvez seja exatamente essa criação de personagens que despertem aversão aos espectador. Mas, infelizmente, a narrativa demora para deslanchar e a vontade de se ver longe dessas duas figuras tornam a obra massante. Não é um drama que te envolve ao ponto de levar-te para dentro de um problema, é mais um drama que faz com que você queira exterminar as figuras principais da história.
Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top