Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Nasce uma Estrela
    Média
    4,5
    1633 notas e 168 críticas
    distribuição de 168 críticas por nota
    86 críticas
    49 críticas
    18 críticas
    6 críticas
    5 críticas
    4 críticas
    Você assistiu Nasce uma Estrela ?

    168 críticas do leitor

    Anderson  G.
    Anderson G.

    Segui-los 154 seguidores Ler as 256 críticas deles

    4,0
    Enviada em 13 de outubro de 2018
    “nasce uma estrela ”, talvez o grande filme com cara de oscar desse ano, um filme que fala sobre a busca pelo sentimento da essência e verdade das coisas, com cenas fantásticas e um estilo de filmagem própria o primeiro longa dirigido por Bladley Cooper é uma grata surpresa. Primeiramente, falando em termos de roteiro, o filme não reinventa a roda de modo algum, até mesmo é um remake de um remake de um remake, mesmo o desenrolar sendo clichê, o filme conta com muitas sutilizas, spoiler: nosso protagonista é um homem desesperado por buscar a verdade nas coisas, principalmente, na vida e na arte. Somos colocados na visão de Jack, um cantor famoso e consagrado que começa a perder a inspiração devido a arte estar em um momento pop, a onde tudo é maquiado para ser apresentado ao publico, perdendo assim sua essência, assim, nosso protagonista encontra Ally, em um bar drag de esquina, enquanto tomava seu whisky Jack topa com a mais pura essência da musica e se apaixona primeiramente pela musica e depois, pela cantora, quanto percebe que a mesma também é pura em sua essência, o romance acontece e com o passar do tempo Ally começa sucumbir ao pop, começa a perder sua essência, levando Jack ao desespero, que tenta retomar, tenta, tenta, até que no final, o mesmo percebe que sua própria essência não é mais aceita e comete suicídio. Essa busca dá essência pode ser encarada como uma tentativa de buscar as raízes da arte, uma critica ao mundo atual que pega um cantor, coloca dançarinos, muda seu visual, pinta seu cabelo e lhe dá um nome, sufocando assim seu talento e essência natural, pois como é exposto no próprio filme, não adianta ter apenas o talento, é preciso ter algo a dizer. Curiosamente, o filme serve com uma critica até mesmo Lady Gaga, que é uma atriz talentosa mas que sucumbi ao mundo pop matando assim sua essência pura. ------FIM DO SPOILER---- . Falando de atuações, Lady Caga e Cooper estão bem no filme, ambos fazendo sua melhor atuação – Embora Lady Caga não tenha uma carreira tão extensa como atriz- Mas mesmo assim, não chega a ser um primor absoluto, mas são ótimas atuações, principalmente nas cenas de cantorias, que com certeza irá dar uma indicação ao oscar aos dois, merecidamente, indicação que também irá ganhar Sam Elliot, o irmão de Jack, todas as suas participações são precisas, viscerais e arrebatadoras, o ator pouco participa da drama, mas quanto aparece, rouba completamente a cena. Copper adota um estilo de filmagem que quase mescla Lars Von Trier e Yorgos Lanthimos, ele dá muita liberdade a improvisação dos atores – Isso faz até um paralelo com o sentido do filme, que é a busca pela naturalidade da arte- essa liberdade é muito boa em algumas cenas, porem gera um problema, em algumas cenas alguns atores não tem a reação adequada a improvisação de seu companheiro de tela, isso deixa a cena estranha, porem Cooper se redime ao usar ângulos fechados e câmeras de mãos de forma perfeitas em muitas cenas, principalmente nas musicais, o diretor deixa de usar plano sequencias em cenas que clamam por essa técnica, porem acaba usando o plano sequencias em outras cenas mais simples, Cooper pauta mal o primeiro ato do filme, pois é extremamente encurtado, o que causa uma falta de introdução ao universo dos dois protagonistas. No mais, tecnicamente, outro destaque do filme é a edição e mixagem de som, são altas, precisas, de alta qualidade, se você ver em um cinema de qualidade vai perceber que toda cantoria e solos de guitarras, não desafina nem por um segundo, o que consequentemente me faz falar da trilha sonora, que é original e é perfeita, linda, natural, ela realmente reflete a pureza e essência do longa e com certeza será a grande favorita a categoria de melhor canção original do oscar. Por fim, o primeiro filme de Cooper não é perfeito, mas é um soco, ele é forte, preciso, com uma mensagem poderosa, dramático, romântico, engraçado, um filme que se destaca em tudo e que merece ser visto e revisto.
    J. Heleno Paiva
    J. Heleno Paiva

    Segui-los 145 seguidores Ler as 397 críticas deles

    3,0
    Enviada em 17 de fevereiro de 2020
    Superestimado, mas ainda sim, um belo filme. Como já era de se esperar, Lady Gaga domina o show, com sua atuação dramática surpreendentemente convincente e seu óbvio talento musical. Nós sentimos por sua personagem Ally, entendemos seus conflitos e nos importamos com seu destino, ela de longe é o que faz o filme vibrante e leve de se acompanhar, apesar de se tratar de um drama. Bradley Cooper(também diretor do filme) está bem como(quase) sempre, ele consegue emergir bastante no personagem, embora ele não seja tão interessante ou carismático quanto sua co-estrela. E para um debut na direção desta estirpe, tendo Estúdio grande bancando e com um orçamento folgado, podia se supor que este não seria um trabalho difícil, mas a direção de Cooper até surpreende com algumas sequências super bem elaboradas, principalmente no momento que talvez vá ficar mais marcado do filme : Quando Jack puxa Ally para o palco e eles cantam o gigantesco hit ''Shallow'', que capitania uma excelente playlist. Falando em playlist, assistindo o filme múltiplas vezes, você até chega a pensar que eles devem tê-la de roteiro, pois o enredo do longa em si é um papel fino. Com uma trama clichê, previsível, e com uma carga dramática que, com exceção dos minutos finais, não desperta qualquer emoção genuína, A Star is Born é um remake apenas competente em seus aspectos laterais que consegue ser elevado pela ótima performance da pop star Lady Gaga e direção sensível de Bradley Cooper, que consegue captar com compaixão e nuance o romance destrutivo destas duas pobres almas. Se não fosse por estes superlativos, o filme teria sucumbido pelo seu pecado original: Ser, em seu âmago, uma novela mal escrita de fórmula cansada. Enfim, não é nenhuma maravilha em termos cinematográficos, mas é sim um bom filme sobre as virtudes e perversões do sucesso.
    Wesley S.
    Wesley S.

    Segui-los 7 seguidores Ler as 4 críticas deles

    1,5
    Enviada em 16 de novembro de 2018
    Decepção, minha nota só não é pior pelas apresentações musicais que salvaram o filme e esse filme ter uma nota de melhores filmes da história é a mesma coisa que dar um oscar de melhor filme para o filme Crô, assistam Bohemian Rapsody e veram à diferença de uma obra-prima para um filme vanglorizado.
    Giselle Leigh
    Giselle Leigh

    Segui-los 1 seguidor Ler as 13 críticas deles

    0,5
    Enviada em 24 de janeiro de 2020
    Sem dúvida, a pior versão de todas! A de 1976 com Barabra Streisand é muitíssimo melhor! Lady Gaga é uma péssima atriz! Roteiro fraco. O filme tem pouquíssimos bons momentos. Tiraram tudo o que havia de kegal nas versões anteriores e colocaram coisas ridículas como a boate gay no começo do filme que nada tem a ver com a história. Quem já assistiu os filmes de 1976 , 1954 com a grande Judy Garland e a original de 1937 com Janet Gaynor sabe que estamos diante de um fiasco! Uma refilnagem inútil e completamente dispensável!
    Marcio P
    Marcio P

    Segui-los Ler a crítica deles

    0,5
    Enviada em 21 de outubro de 2018
    Péssima mensagem, um viciado em drogas e alcoólatra que se suicida ao final do filme, porra ta de sacanagem, vamos dar bons exemplos tantas histórias de superação para produzir e fazem uma merda dessas, ridículo !
    Wildney C.
    Wildney C.

    Segui-los 11 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 3 de setembro de 2018
    Um filme realmente emocionante, onde a linha do tempo é contada atraves da música, não espere por uma linha do temoo coesa se você nao prestar atenção nas letras e na evolução da personagem Ally e decadencia do personagem interpretado por Bradley. É uma história bde amor clichê sim, porém com um toque moderno e uma trilha sonora que leva vc do apice a decadência e apice de novo e ao fim de tudo. Atuação de Gaga realmente convence voce acreditar na personagem e esquecer que ali esta uma das maiores e exentricas popstar da atualidade, você ve uma Ally simples e nascendo como estrela. Bradley da um show a parte, ótima atuação e química com Gaga. Trilha sonora com certeza deve ser indicado ao Oscar, principalmente a musica final. Assisti a premier no festival de Venezia
    Marcelle G
    Marcelle G

    Segui-los Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 14 de outubro de 2018
    Filme sensacional! Emocionante! Um dos melhores que já vi. Parabéns ao elenco, direção, produção, todos. Músicas lindas, atores perfeitos.
    Jackson A L
    Jackson A L

    Segui-los 446 seguidores Ler as 512 críticas deles

    4,0
    Enviada em 11 de fevereiro de 2019
    Um filme que conta com uma bela trilha sonora, uma boa performance de Bradley Cooper (assim como na direção do longa) nos show ao vivo junto com Lady Gaga que teve uma ótima atuação. Só não me agradei muito com a quantidade de tempo mostrando Jackson Maine se drogando/bebendo, irritou tantas cenas iguais. Mesmo assim, foi muito bom!
    Rafael M.
    Rafael M.

    Segui-los 2 seguidores Ler as 5 críticas deles

    2,0
    Enviada em 27 de outubro de 2018
    Confesso que me decepcionei muito! Fui com muita expectativa devido a crítica especializada,porém,pra quem gosta de filme do gênero....
    Admilson C
    Admilson C

    Segui-los Ler a crítica deles

    0,5
    Enviada em 24 de novembro de 2018
    A fotografia de todo o filme é enfadonha. As personagens são muito superficiais. O que deu energia ao filme foram as cancoes. Mesmo assim, só a metade eram realmente boas. Além disso, esse romancezinho forcado, fracassado e com quebra de expectativa é o clichezão que já cansou.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top