Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Apenas Deus Perdoa
    Média
    2,9
    79 notas e 12 críticas
    distribuição de 12 críticas por nota
    1 crítica
    0 crítica
    1 crítica
    3 críticas
    3 críticas
    4 críticas
    Você assistiu Apenas Deus Perdoa ?

    12 críticas do leitor

    Maiko D
    Maiko D

    Segui-los 558 seguidores Ler as 303 críticas deles

    2,5
    Enviada em 12 de abril de 2015
    Vi muita crítica negativa. É um filme diferente, talvez por isso eu gostei. Está tudo tão igual, comum. Senso comum, que fica uma mesmice danada. É o que vende. Assisti por acaso, passando na tv a cabo. Não pesquisei sobre o filme. No fim, vi escrito algo sobre Alejandro Jodorowski aí resolvi ler algo sobre o filme. Mas, não foi ele quem dirigiu. Mas, o filme tem uma direção diferente, um enfoque diferente. Tendo em vista o famoso Hollywoodiano do filme, a gente pensa que é a personagem principal, fiquei surpreso, realmente não se espera vê-lo nesse tipo de filme. Enfim, não achei perda de tempo, tampouco me arrependi. "Dá para assistir" uma vez.
    Sidney  M.
    Sidney M.

    Segui-los 9931 seguidores Ler as 1 080 críticas deles

    3,5
    Enviada em 24 de maio de 2015
    Estranho, complexo, mas de qualquer forma conseguiu prender minha atenção. A fotografia e a trilha sonora são destaques.
    Nelson J
    Nelson J

    Segui-los 16224 seguidores Ler as 1 208 críticas deles

    2,5
    Enviada em 8 de agosto de 2016
    Gosling em um filme muito diferente, inclusive nos quadros e gráficos. Ele e o irmão controlam lutas e tráfico em uma cidade da Ásia, mas seu irmão estupra e mata uma menor e é morto pelo pai da jovem. Gosling perdoa, dadas as circunstãncias, mas sua mãe que prefere o irmão morto quer vingança e isto custará suas vidas. O policial cantor e espadachin é uma peça rara.
    Phelipe V.
    Phelipe V.

    Segui-los 239 seguidores Ler as 204 críticas deles

    1,5
    Enviada em 22 de julho de 2013
    Nicolas Widing Refn continua aqui sua saga de querer convencer seu público que a gratuidade na violência sem necessidade narrativa, a falta de expressão de seus personagens e punhetagem visual sejam confundidos com estilo. Só que aqui parece que atinge um outro nível. O cara simplesmente pegou uma história que poderia ser contada num curta de 20 minutos e enfiou cenas longuíssimas e sequências desnecessárias e transformou num longa. É, em certo nível, até um pouco de pegadinha com espectador a forma com que ele instiga cena-a-cena sem que não haja conteúdo por trás, apenas forma. Personagens perdidos, cenas avulsas, momentos criados apenas pela finalidade gráfica, enquanto a narrativa fica de segundo plano. Estou rindo até agora dessa tentativa fracassada de Ryan Gosling de criar um personagem. Ele já não é um ator muito bom, e se pega um personagem tão vazio, que é uma reprise das piores coisas do motorista de Drive, nunca que vai conseguir dar escopo. Sua escolha por não mudar em momento ALGUM de expressão facial no filme e sua composição corporal com gestos mecânicos soa preguiçosa, o que gera cenas que causam uma extrema vergonha-alheia, principalmente quando o diretor resolve, sem mais nem menos, enquadrar apenas o rosto do personagem por longos segundos. Se algo no filme vale além de sua trilha-sonora onipresente, são algumas escolhas fotográficas. O vermelho e o azul sempre presentes parecem querer dizer alguma coisa, e apesar de na verdade não passarem de um elemento visual a mais, geram quadros que, isolados, tornam-se pura arte. Kristin Scott Thomas também vale a conferida. Apesar de Refn oferecer muitos poucos momentos pra atriz brilhar, insistindo em planos abertíssimos em que nem podemos ver direito as características pessoais dadas por ela à personagem, quando aparece, rouba a cena por sua impiedade e falta de discernimento moral (isso fica bem evidente na cena em que a mãe reencontra o filho pela primeira vez). Recebeu elogios demais, depois do sucesso de Drive, e resolveu fazer um filme pra sustentar o próprio ego. Que na verdade, é um gigantesco embuste. Refn está deixando cada vez mais claro a farsa em forma de cineasta que é. Only God Forgives é raso, esquecível e muito, muito desnecessário.
    Rodrigo Gomes
    Rodrigo Gomes

    Segui-los 1788 seguidores Ler as 515 críticas deles

    0,5
    Enviada em 19 de agosto de 2013
    A questão é, porque Ryan Gosling se presta a atuar em um filme desse tipo? Um ator consagrado em excelentes roteiros e com elencos de peso, atuando em um filme sem sentido, com um roteiro bizarro e personagens estranhos, sem nenhum tipo de produção que mereça destaque ou reconhecimento. Este é mais um daqueles longas de fim de noite, horríveis. Sem dúvida, entra para a lista dos piores filmes.
    Asia Mundi
    Asia Mundi

    Segui-los 4 seguidores Ler as 44 críticas deles

    1,0
    Enviada em 7 de agosto de 2016
    :Bem, antes de mais nada criei esse tema por puro desespero, pq estava naquele momento em que já tinha uns 90 temas e nada mais surgia em minha cabeça.Minha irmã já tinha sugerido porque ela tem o firme proposito de casar com Ryan Gosling,e além disso, o filme se passa na Tailândia e tem atores asiáticos, e blá, blá, blá. Então em uma gambiarra histórica ( porém ainda tem outras ao longo desse desafio) criei o tema “Filme com Ryan Gosling”. Certo, resumindo esse show de horror filme em uma palavra seria: “WHAT?” Não consegui entender nada. Eu não esperava muita coisa, mesmo porque eu nem sabia que era do mesmo diretor de “Drive” mas, definitivamente eu não estava preparada para toda a insanidade que eu presenciei nos mais longos 90 minutos de toda a minha vida. No filme acompanhamos dois irmãos traficantes Billy (Tom Burke) e Julian (Ryan Gosling) que vivem na Tailândia e usam uma academia de Muai Thai como fachada para seus negócios.Em uma noite o mais velho,Billy, estupra e mata uma menina de 16 anos.Ele acaba sendo morto pelo pai da garota, que foi forçado por um policial a se vingar.A maluca mãe dos dois,Jenna (Kristin Scott Thomas) que sempre gostou mais de Billy, vai até a Tailandia e obriga Julian a vingar a morte do irmão. Bem, então vamos ao rico cardápio do filme: chato, sonolento, insuportável, confuso do inicio ao fim, cenas intermináveis no mais completo silêncio, Ryan Gosling com cara de paisagem e completamente apático, uma fotografia vermelha eterna em todas as cenas que me deixou com dor de cabeça, personagens sem empatia ou carisma,um “Anjo Vingador” que tira uma espada do nada, mata as pessoas e depois vai cantar no karokê, enfim, vc escolhe.Acredito que o diretor estava tentando descobrir um novíssimo método de tortura, e desenvolveu todo o conceito dessa porcaria interminável. O pior é que ainda tem gente que acha que esse filme é arte, e consegue enxergar mensagens e mais mensagens outro eu só enxerguei uma enorme chatice. Se meu intelecto está abaixo dos outros por causa disso, paciência, mas eu não vou ficar fingindo que entendi, só pra acharem que eu sou inteligente, ou culta. Não entendi e não gostei.Simples. spoiler: Momento mais “WTF” que eu já vi recentemente: Ryan Gosling revirando as tripas da mãe morta. Oi?!?! spoiler: Enfim, no final, só posso dizer: “Parabéns pra mim, que consegui sobreviver a essa loucura”
    Joao Pedro F.
    Joao Pedro F.

    Segui-los 6 seguidores Ler as 2 críticas deles

    5,0
    Enviada em 15 de abril de 2014
    Filmaço! Prova da capacidade do cinema tem de provocar; simplesmente nos provocar. Nem todos gostam de serem provocados, se assustam quando saem da sua zona de conforto; este filme é isso, te tira do lugar comum; não é para qualquer um.
    Michel G.
    Michel G.

    Segui-los 4 seguidores Ler as 2 críticas deles

    2,0
    Enviada em 29 de julho de 2013
    Assim como o filme Drive(bom filme) o ator Ryan Gosling recebeu poucas falas. O fato do filme se passar Bangcoc e ter uma pitada de boxe tailandês, drogas, clubes de stripper teria tudo para ser um filme bem interessante, mas infelizmente acaba se tornando apenas mais um filme fraco sobre "vingança".
    thag
    thag

    Segui-los Ler as 2 críticas deles

    0,5
    Enviada em 24 de abril de 2014
    É o pior filme que já vi na vida. Diversas cenas em silêncio e flashbacks sem sentido. A história é vazia e confusa. Ryan só fala uma frase depois de uns 30 min de filme. O policial oriental maluco canta por mais tempo do que o Ryan falou o filme todo. Teve cenas que eu ri de tão surreal....
    Saulo A.
    Saulo A.

    Segui-los Ler a crítica deles

    0,5
    Enviada em 17 de outubro de 2016
    Geralmente só leio as críticas de alguns filmes mas nesse caso fiz questão de abrir uma conta e escrever aos curiosos como eu (que no caso ainda perdi 20min da minha vida começando a ver essa bosta) que NÃO PERCAM SEU TEMPO. Se existe arte por traz desse filme, me desculpem mas é arte para pessoas anormais. Pessoas normais acharão este filme chato, intediante, sem nexo algum, enfim, uma perda de tempo.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top