Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Guerra Mundial Z
    Média
    4,3
    4802 notas e 718 críticas
    distribuição de 718 críticas por nota
    202 críticas
    242 críticas
    188 críticas
    50 críticas
    27 críticas
    9 críticas
    Você assistiu Guerra Mundial Z ?

    718 críticas do leitor

    Victor S.
    Victor S.

    Segui-los 9 seguidores Ler as 5 críticas deles

    5,0
    Enviada em 30 de junho de 2013
    Achei o filme bacana pelo rumo inesperado que tomou, não se sujeitou a usar as fórmulas desgastadas e já sem graça de zumbi. Esse filme só provou que pode sim, sempre ser reinventado novos rumos para uma história que tanto é explorada.
    Lethícia G.
    Lethícia G.

    Segui-los 21 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 30 de junho de 2013
    Um filme realmente muito bom. Cenas incríveis, com desenvolvimento inteligente e surpreendente. Daqueles filmes que você fica o tempo todo ansioso e curioso, com certeza é super recomendado.
    Romualdo G.
    Romualdo G.

    Segui-los 23 seguidores Ler as 7 críticas deles

    2,5
    Enviada em 16 de julho de 2013
    Peguem caneta e papel pra anotar a dica mais importante que Brad Pitt nos ensina para sobreviver num Apocalipse Zumbi: Tenha o cabelo perfeito e seja um galã estiloso... só assim você sobreviverá. Agora prevejo que 80% da população deve morrer. A história gira em torno do funcionário das Nações Unidas, Gerry Lane (Pitt), que atravessa o mundo em uma corrida contra o tempo para deter uma pandemia que está derrotando exércitos e governos, e ameaçando dizimar a própria humanidade. O filme não dá explicações de onde vem essa praga, como ela surgiu e nem nada do tipo. As coisas simplesmente acontecem, porque tem que acontecer e o roteiro não perde tempo mastigando tudo pra gente. Guerra Mundial Z já foi adiado diversas vezes, passou por regravações várias vezes e seu final foi todo refeito estourando muito seu orçamento. Depois de tanto dinheiro gasto no que é o filme de Zumbi mais caro da história, Guerra Mundial Z resolveu tomar certas medidas pra poder lucrar mais no mercado internacional. A primeira coisa foi o 3D, mas não deu muita bilheteria os ingressos mais caros. A segunda coisa foi a censura, aí sim eles conseguiram lucrar. Não há nenhuma gota significativa de sangue e nenhuma cena violenta de gore sequer. Só há correria, pessoas desesperadas e os pseudos zumbis espertos que não comem carne humana... eles só dão uma mordidinha pra espalharem a infecção e é isso. A direção é boa no entanto e consegue uns ângulos interessantes, principalmente no que diz respeito a tomadas aéreas e planos abertos (Afinal, tem zilhões de zumbis pra mostrar). Os efeitos especiais estão críveis apesar da cena mais famosa do filme, aquela montanha de zumbis se formando no muro, ser feita de CG. A computação gráfica melhorou e os zumbis são tão rápidos que você nem percebe os clones dos mesmos zumbis misturados com zumbis em computação gráfica em algumas cenas. A câmera de mão e muitas vezes nervosa ajuda nas cenas de ação e agonia. O roteiro é esburacado e suas falhas são perceptíveis como o fato do rádio acabar a bateria, mas na outra cena estar funcionando. Ou o avião explodindo e apenas o nosso protagonista e mais uma ajudante sobreviver de maneira muito conveniente e outras coisas do tipo. O 3D não vale o ingresso, pois não tem profundidade, escurece ainda mais o filme e só trabalha o primeiro plano. A trilha sonora ajuda a criar cenas de impacto e apesar da luta pela sobrevivência, também há alguns pouquíssimos alívios cômicos (Principalmente da parte dos Zumbis que parecem galinhas cacarejando). Nosso galã Brad Pitt não passa disso: Um galã. Seu visual simplesmente não casa com o ambiente e mais parece que ele está fazendo um comercial de shampoo do que lutando pra sobreviver (Taí uma dica para as marcas Seda e Garnier Nutrisse). Parece impossível de acreditar, mas mesmo sem sangue, sem quase nenhuma originalidade (Um cara que fica com cabelo impecável o tempo todo e uma montanha de zumbis são coisas originais num filme do gênero, não?), sem terror e com furos no roteiro, Guerra Mundial Z não é um filme ruim e está um pouquinho só acima a média. O que falta de verdade na obra é um pouco mais de alma, mais elaboração e um tempero mais regado de criatividade.
    Harisson G.
    Harisson G.

    Segui-los 61 seguidores Ler as 40 críticas deles

    5,0
    Enviada em 8 de janeiro de 2014
    Guerra Mundial Z é simplesmente um dos melhores filmes de ação e suspense que já assistir. é um ótimo filme, as cenas são fantásticas, e como ele descobre a cura para a doença( possivelmente nunca vista antes) é muito impressionante, usou conceitos básicos da área da biologia o que o torna mais admirável. Cenas realmente incríveis que demonstram a capacidade humana de solucionar problemas em situações difíceis. Além do mais possuí um doce gostinho no final de to be continued.
    Leo H.
    Leo H.

    Segui-los 11 seguidores Ler as 2 críticas deles

    3,0
    Enviada em 30 de junho de 2013
    "Guerra Mundial Z" é um thriller que consegue entreter e cativar o espectador, do início ao fim. O filme tem uma fotografia primorosa, a direção de Marc Forster é precisa e envolvente, sem falar nos efeitos especiais, que são impressionantemente bem feitos. Forster consegue, ainda, imprimir no filme uma atmosfera de tensão que, com sucesso, atinge seu objetivo: causar susto e surpresa no espectador. A maquiagem é um detalhe à parte, muito bem executada. Enfim... Nos quesitos técnicos, o que poderíamos esperar senão o melhor de um blockbuster que custou cerca de 200 milhões de dólares? Todavia, são nos quesitos mais artísticos e menos técnicos que "Guerra Mundial Z" peca. Brad Pitt tem uma atuação fraca, isso não significa que seja ruim, mas que não dá a seu personagem toda a carga dramática que poderia ser dada, ficando um pouco a desejar. Nem parece aquele Pitt que, com louvor, teve uma atuação quase irrepreensível no tocante "O Curioso Caso de Benjamin Button" (2008). Outra coisa que fica a desejar, nesse longa, é o 3D. Veja, o filme tem inúmeros e muito bem produzidos efeitos especiais, mas o 3D não é explorado como poderia ser, de forma a maximizar a sensação dos mesmos efeitos especiais. O grande diferencial do 3D só começa a ser percebido na segunda metade do filme; quando, na primeira metade, o recurso praticamente foi esquecido. O roteiro, em alguns aspectos, é interessante, bem pensado; em outros, é vexatório. Ora, se a motivação do personagem principal é totalmente plausível, aceitável, crível; o mesmo não se pode dizer da forma como o governo encontrou para descobrir a cura de uma pandemia. O protagonista/herói, interpretado por Pitt, após ter se livrado da luta contra zumbis, ter salvo sua família e estar seguro com a mesma, descobre que terá de voltar a enfrentar as feras para ajudar o governo encontrar cura para a pandemia que está si instaurando pelo mundo; caso contrário, tanto ele como a esposa e as filhas sairiam daquele ambiente seguro onde se encontravam. Ou ele se arrisca e garante o bem estar de sua família, ou tanto ele se coloca em risco como a sua família também. Que drama, não é?! Ponto positivo para o roteiro. Toda via, dá para levar a sério e acreditar numa história onde nenhum dos governos mundiais e nenhum dos gênios da ciência foram capazes de fazer o que apenas um único homem comum fez: chegar à raiz de onde se originou essa epidemia mundial que está transformando seres humanos em zumbis? Porque escolher um único homem para combater uma pandemia quando se pode ter os melhores cientistas do mundo? Não faz sentido! Apesar desses problemas pontuais, "Guerra Mundial Z" não é um filme ruim, vale a pena de ser assisto. Pra quem gosta do gênero, é um prato cheio. Digamos que a boa direção de Marc Forster foi capaz de maquiar esses detalhes e levar às telonas um filme digno de ser assistido. Aliás, a melhor coisa desse filme é sua direção.
    Elias N.
    Elias N.

    Segui-los 8 seguidores Ler as 25 críticas deles

    5,0
    Enviada em 1 de julho de 2013
    Um filme muito inteligente, cenas memoráveis, com uma solução nunca vista antes e com uma participação especial de Brad Pitt!!! Um filme memorável
    Eduardo Santos
    Eduardo Santos

    Segui-los 214 seguidores Ler as 183 críticas deles

    1,0
    Enviada em 4 de julho de 2013
    GUERRA MUNDIAL Z Um insulto à inteligência dos espectadores. Essa seria a melhor forma de definir este filme ultrajante. Marc Forster parece ter perdido completamente a sensibilidade de outrora, que o conduzia numa bela filmografia, com filmes interessantíssimos como A Última Ceia, Em Busca da Terra do Nunca, Mais Estranho que a Ficção e O Caçador de Pipas. Ele já havia dado uma bola fora com A Passagem e um tombo feiíssimo com o mais fraco filme que eu já vi do 007, o sonífero Quantum of Solace (único filme ruim de Daniel Craig como Bond). Agora, Forster nos brinda com essa afronta de filme de zumbis, com uma avalanche de clichês um após o outro, num filme frio, sem brilho e com um elenco que está ruim de doer. Brad Pitt está mais canastrão que nunca, e as pontas de David Morse e, em especial do excelente ator alemão Moritz Bleibtreu, estão extremamente aquém do potencial desses atores. Há aqueles que digam que esse tipo de filme não exige muito dos atores, pois definitivamente não é um filme de “interpretação”, mas com certeza esse fator ajudaria a não ser o fiasco que é se os bons atores que integram seu elenco tivessem um roteiro decente para trabalhar. Vou enumerar alguns dos vários problemas do filme: os personagens são mal construídos e sem carisma, além de personagens chatas, como as filhas do personagem de Pitt, que no meio a um ataque zumbi ficam preocupadas ora com um bicho de pelúcia dos mais feios como também com um certo cobertor (!?!) que sabe-se lá porque é mencionado... minha vontade era de que um dos mortos vivos mordesse o pescoço daquelas meninas pra calar a boca delas e até mesmo causar alguma certa comoção que inexiste durante todo o filme; os efeitos especiais são bem feitos, mas as melhores cenas estão no trailer, então não é preciso perder seu tempo vendo o filme na tela grande, até porque os efeitos 3D em si me pareceram dispensáveis; O roteiro peca em tudo, principalmente por abusar dos meios mais fáceis de causar sustos planejados e na superficialidade da narrativa; Dentre isso, vale frisar que uma cena ou outra é interessante, como a que o personagem de Pitt está num laboratório que armazena terríveis ameaças biológicas e tem que decidir, entre tantos absurdos do filme, sobre uma possível forma de se sacrificar em prol da humanidade. Mas são cenas bem isoladas, desmanchadas por um final risível (que dá margem a uma já anunciada continuação, pela qual eu passarei bem longe) e que me deu simplesmente vontade de exigir meu pobre dinheirinho de volta na bilheteria do cinema. Ainda bem que pago meia entrada e fui durante a semana, que é mais barato, ou a dor de perder mais dinheiro com tamanha perda de tempo seria ainda pior. Nota 1.
    Leonardo C.
    Leonardo C.

    Segui-los 2 seguidores Ler a crítica deles

    3,0
    Enviada em 2 de julho de 2013
    Sejamos honestos: um filme marcado por tantos problemas durante as filmagens e edições, como atrasos (muitos), mudanças no roteiro, refilmagens e brigas do diretor Marc Foster com Brad Pitt, além de um gasto maciço em efeitos visuais (que geralmente desviam a atenção para as falhas de roteiro), já não poderia ter apresentado um resultado final totalmente satisfatório. Assim, apenas por tal consideração, ir assisti-lo com grandes expectativas só irá levar à sensação final de que “faltou algo”. Devemos considerar ainda que o filme, supostamente, seria uma transposição para tela grande de um livro do autor Max Brooks. Bem, quem leu o livro (como aquele que vos fala) logo percebe que muito pouco dele realmente foi utilizado, basicamente o conceito e algumas cenas adaptadas da narrativa, o que torna-se mais um fator causador de decepção. E se você é ainda um amante das obras clássicas do gênero de terror com zumbis (tomando como base Romero), sentirá com certeza um certo estranhamento perante a velocidade e vigor físico dos zumbis apresentados neste filme, com a incômoda falta de sangue (quesito também nestes filmes) e enquadramentos modestos, que apenas sugerem (focando a redução da faixa etária para exibição, uma jogada puramente comercial)... Mais decepção. Acrescente aí uma dinâmica de filmes de ação com muita correria e tiroteios a cada terço do filme, um herói patriota e com alma de “lobo solitário”, uma família inexpressiva para a obra, uma trilha sonora que inoportunamente se torna muito agitada (quando deveria ser mais opressiva e soturna) e, para “por o último prego no caixão”, a total falta de compromisso com a reflexão sobre as políticas e influências dos governos sobre as pessoas, e como tudo isto pode levar à ruína da própria sociedade, temos o que Guerra Mundial Z realmente é, apenas mais um blockbuster compromentido com a arrecadação de volumes ostensivos de dinheiro sem qualquer compromisso com a obra inspiradora e os fãs. Claro, se você deseja comprar uma pipoca, um refrigerante e sair com amigos, vá em frente. As cenas de ação são tecnicamente incríveis e os efeitos visuais fantásticos. Na verdade, o que mais gostei no filme foi justamente a forma criativa com a qual os zumbis se deslocam em grandes massas, como uma onda viva (ou morta!) que passa por cima de tudo e de todos. E a escalada deles no muro de Israel lembra o trabalho cooperativo das formigas! Assista, divirta-se e depois esqueça, sem maiores considerações ou reflexões. Não recomendo levar a namorada, não porque é violento ou assustador. Pelo contrário, é o filme de zumbis com menos cenas violentas e menos assustador que já assisti! Por isso mesmo, não vão rolar muitos sustos para sua namorada ficar com medo e te abraçar... Aliás, é mais fácil ela ficar suspirando pelo Brad do que ter medo daqueles zumbis!
    Jeydson O.
    Jeydson O.

    Segui-los 3 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 1 de julho de 2013
    A historia do filme, nos faz lembrar da franquia Extermínio, principalmente pelo efeito zumbi ser transmitido como um vírus de raiva. O enredo foi bem trabalhado e com isso o filme não ficou apenas no pragmatismo zumbi, as cenas de ações foram bem trabalhadas, ficou algumas questões a serem respondidas, uma delas refere-se ao momento em que Guerry Lane (Brad Pitty) entra em contato direto com a secreção de um zumbi e não é infectado. Por fim Guerra Mundial Z, pode ser considerado um dos melhores filmes do ano até o momento, vamos ver como se sairá o Homem de Aço.
    Marryce M
    Marryce M

    Segui-los 13 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 29 de junho de 2013
    Para quem não sabe, o filme será dividido em três. Portanto, oq não foi explicado neste, será explicado no segundo ou no terceiro filme.
    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema
    Back to Top