Meu AdoroCinema
    Rango
    Críticas AdoroCinema
    3,5
    Bom
    Rango

    UM HERÓI POR ACASO

    por Roberto Cunha

    Uma das primeiras coisas que despertaram interesse nesse projeto foi a coincidência de Johnny Depp interpretar um camaleão, uma vez que ele se adaptou perfeitamente aos diversos papéis por mais estranhos que fossem. Mas o espectador que compartilhar da mesma admiração pelo ator precisa ficar atento, pois o filme estreia no Brasil com 80% das cópias dubladas. Para aqueles que não gostam, a boa notícia é não contar com brasileiros "famosos" e sim com as vozes de profissionais do ramo, conferindo qualidade total ao resultado final dos sotaques roceiros.

    A decisão da distribuidora visa atrair a turminha com seus pais e pode até dar certo, mas existe uma grande possibilidade dos pequenos não se identificarem e ainda levarem alguns sustos. Produzida pelo Nickelodeon, canal por assinatura voltado para os mais novos, esta animação, diferente da maioria, não é tão voltada para a família. Ao apresentar um camaleão estrábico, criativo e morador de um aquário seco onde fantasiava as mais inusitadas histórias, o longa até causa uma certa estranheza inicial. Mas após o acidente que o libertou e abriu as portas para a primeira experiência ao lado de um sapo, abaixo de um falcão e tendo uma garrafa de refrigerante como coadjuvante, já se sabe o que virá pela frente. A divertida sequência agradaria a criançada, mas o que vem em seguida muda o rumo da prosa.

    Refém da nova realidade, o lagarto embarca numa aventura com diálogos complicados (podendo causar dispersão nos pequenos) para envolver o espectador na trama sobre identidade, que ganha contornos de faroeste quando o simpático animal descobre que precisa conhecer Poeira, uma inóspita cidade dominada pela corrupção. Estranho numa terra estranha e seguindo seu instinto, ele tenta se "camuflar" imitando os habitantes numa sequência hilária. É quando começa a verdadeira transformação do protagonista sem nome e amigos, cujo destino o levou a adotar a alcunha de Rango, e em nome da esperança, passaria a acreditar em sua nova história de vida. Com inúmeros personagens ricos em detalhes, narrado e cantado por quatro corujas mariachis, o filme é cheio de referências cinematográficas e torna-se quase impossível não se encantar. Galopando pelo western spaghetti de Sergio Leone e abrindo espaço para Guerra nas Estrelas, de George Lucas, cuja Industrial Light Magic estreia com seus efeitos especiais, ficou claro que tem mais gente no concorrido mercado de animações. 

    Dirigido, produzido e criado por Gore Verbinski (Piratas do Caribe), é pura diversão ver os diálogos e closes, rendendo homenagens aos clássicos poeirentos. Como acontece também em todas as cenas, envolvendo uma população que guarda água no cofre de um banco, rende devoção a uma torneira e está intrigada com o sumiço do precioso líquido. E Rango não perdoa ao dizer que precisa descobrir a "origem hidráulica desse caos aquático". A trilha sonora de Hans Zimmer, oscarizado com O Rei Leão e autor de inúmeros sucessos, só colabora para o alto nível da produção. Assim, quem quiser ouvir Depp e o super elenco de coadjuvantes terá que procurar um cinema com a cópia legendada, sem dúvida alguma. Por outro lado, a certeza é uma só: dublado ou não, Rango já é uma grata surpresa de 2011. E prepare-se para um conhecer um verdadeiro herói por acaso.

    Quer ver mais críticas?
    • As últimas críticas do AdoroCinema

    Comentários

    • G. Drumond
      Decepcionante? Rango? Sinceramente, quem critica negativamente esse filme ou não assistiu direito ou só faz questão de ser chato mesmo. O filme é demais, não dêem ouvidos a esses pseudos intelectuais.
    Mostrar comentários
    Back to Top