Meu AdoroCinema
Valsa com Bashir
Média
3,4
26 notas e 3 críticas
0% (0 crítica)
33% (1 crítica)
0% (0 crítica)
67% (2 críticas)
0% (0 crítica)
0% (0 crítica)
Você assistiu Valsa com Bashir ?

3 críticas do leitor

Marcelo Lopez
Marcelo Lopez

Segui-los 33 seguidores Ler as 56 críticas deles

4,0
Enviada em 01/12/13
Valsa com Bashir, animacao lancada em 2008, é uma obra destinada ao público adulto que mescla documentário com animação. A historia em tom narrativo conta as lembranças dos horrores da 1° guerra do Libano pela visao do diretor Ari Folman, Através de um enredo perturbador, que parece um pesadelo animado em cores sóbrias, o diretor nos faz refletir sobre o impacto da guerra nas futuras geraçoes do Oriente Médio. Excelente animação que merece ser vista e indicada!
Rafael V
Rafael V

Segui-los 29 seguidores Ler as 210 críticas deles

2,0
Enviada em 10/01/10

"Valsa com Bashir" é um filme israelense, do diretor Ari Folman, uma animação dramática e semidocumental. A memória é um recurso usado de forma soberba pelo diretor para mostrar o Horror da Primeira Guerra do Líbano. E a culpa de todos os envolvidos na guerra; o massacre de palestinos por libanenses com a complacência dos israelenses é mostrado no filme sem concessões baratas ao sentimentalismo; todos os lados da guerra são considerados culpados por Folman. Animação maravilhosa e reflexiva. Dez!

Julien
Julien

Segui-los Ler as 34 críticas deles

2,5
Enviada em 29/12/09

Impressionante filme de animação... e que trata de um assunto extremamente duro: os massacres dos campos de refugiados palestinos no Líbano, Sabra e Shatila, e da participação do exercito israelense, Tsahal, aos massacres (não diretamente, mas os soldados israelenses estavam a beira dos campos de refugiados, deixaram os falangistas cristianos libaneses entrar nos campos, testemunharam execuções de civis, mas demoraram 24h para mandar parar...).

O filme começa de maneira leve, com um amigo contando para o Ari Folman (o diretor do filme) um sonho, na verdade, um pesadelo, que vem atormentando ele. Isso é o gancho para o Ari perceber que, a pesar de ter participado da guerra do Líbano, ele não se lembra de nada, basicamente.

Parece que a historia vai tratar de busca de memoria, porque a memoria trava, sonhos e lembranças... mas desencadena de forma muito dura, com uma condenação bastante clara da atuação do exército israelense nessa guerra, da falta de humanidade de todos os participantes armados de uma lado e do outro, dos massacres dos civis, da falta de culpabilidade de muitos envolvidos. O lado absurdo de algumas "entrevistas" durante o filme, com soldados que estavam na primeira linha em relação ao massacre de Sabra e Shatila, e mesmo assim não quiseram perceber, aceitar, o que estava acontecendo... A cadeia de comando que esconde a verdade, deixa cada soldado na ignorancia...

As imagens de animação são lindas, com predominancia do amarelo e do cinza, criam uma atmosfera peculiar e que cria um clima perfeito para a historia.

O final é duro, e termina, sem excesso e com bastante pertinencia, com imagens de arquivo dos massacres, os corpos amontoados, homens, mulheres, crianças... o horror da guerra...

Parabéns pelo filme / animação, muito interessante, e muito sútil sobre varios aspectos da historia, muito realista sobre a violencia e o lado absurdo das guerras, sobre a falta de culpabilidade dos homens e falta de "aprendizado" (uma das falas mais fortes do filme é quando um amigo de Ari o compara a um nazista, porque ele passou a noite perto de Sabra e Shatila, ajudando indiretamente os phalangistas a massacrar os refugiados, lançando "flares" para iluminar o ceu, sabendo por entre-ouvidos o que estava acontecendo, mas a nenhum momento fez qualquer coisa (poderia ter feito alguma coisa???) para impedir aquela situação horrorosa).

Vale a pena ver, refletir...

Quer ver mais críticas?
  • As últimas críticas do AdoroCinema
Back to Top