Notas dos Filmes
Meu AdoroCinema
    Caramelo
    Caramelo
    Data de lançamento desconhecida / 1h 35min / Comédia dramática
    Direção: Nadine Labaki
    Elenco: Nadine Labaki, Adel Karam
    Nacionalidades francesa, libanesa
    Usuários
    3,4 22 notas e 4 críticas
    notar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Beirute. Cinco mulheres costumam se encontrar regularmente no salão de beleza Sibelle: Layale (Nadine Labaki), amante de um homem casado e que sonha com o dia em que ele se separará; Nisrine (Yasmine Elmasri), que está prestes a se casar mas não é mais virgem e não sabe como contar isto ao noivo; Rima (Joanna Moukarzel), que sente atração por mulheres; Jamale (Gisèle Aouad), que tem medo de envelhecer; e Rose (Sihame Haddad), que abriu mão de sua vida para cuidar da irmã mais velha. No salão os temas prediletos do quinteto são o amor, sexo e os homens.

    Título original

    Sukkar banat

    Distribuidor -
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2007
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 2 curiosidades
    Bilheteria no Brasil 6 618 entradas
    Orçamento -
    Idiomas árabe
    Formato de produção 35 mm
    Cor Colorido
    Formato de áudio Dolby Digital
    Formato de projeção -
    Número Visa -
    Pela web

    Elenco

    Nadine Labaki
    Personagem : Layale
    Ficha completa

    Comentários do leitor

    danicarreis
    danicarreis

    Segui-los 19 seguidores Ler as 70 críticas deles

    4,0
    Enviada em 10 de fevereiro de 2013
    Gostei mto da forma sutil e leve como foram contados os dramas individuais de cada uma das mulheres e também da ênfase que foi dada ao laço de amizade que as unia. Um roteiro simples, mas bem redondinho, bem trabalhado! Filme gostoso de assistir!
    Elaine M.
    Elaine M.

    Segui-los 9 seguidores Ler a crítica deles

    5,0
    Enviada em 12 de maio de 2013
    Ao meu Líbano querido...a força das atrizes e a trilha impecável de Khaled Mouzanar
    Cid V
    Cid V

    Segui-los Ler as 99 críticas deles

    3,5
    Enviada em 4 de novembro de 2019
    O cotidiano de cinco mulheres em Beirute. Quatro delas trabalham juntas em um salão de beleza. Nisrine (Elmasri), noiva de Bassan (Antar), com a proximidade do casamento, preocupa-se por não ser mais virgem. Jamale (Aouad), é parte de seu tempo modelo, morando com os filhos e possui obsessão em parecer mais jovem do que realmente é. Rima (Moukarzel), sente-se atraída por uma de suas clientes, Siham (Safa) Mais em: ...
    Leia Mais
    isabella
    isabella

    Segui-los Ler as 26 críticas deles

    2,0
    Enviada em 9 de fevereiro de 2012
    ..Eu particulamente nao gostei do filme , so que ao mesmo retrata o cotidiano de uma forma delicada reservada e sutil, ingenua e singela historia despojada e um idioma pouco falado o arabe.
    4 Comentários do leitor

    Fotos

    12 Fotos

    Curiosidades das filmagens

    Vários

    - Foi o representante do Líbano ao Oscar de melhor filme estrangeiro;- O orçamento de Caramelo foi de 1,3 milhão de euros.

    Prêmios

    FESTIVAL DE SAN SEBASTIÁNGanhouPrêmio do PúblicoPrêmio do Júri JovemPrêmio Sebastian

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Andries Viljoen
      O universo feminino é retratado de forma divertida e delicada, mostrando que as questões das mulheres ultrapassam os limites das diferenças culturais.Filme super sensível. Edição lindíssima Impossível não se ver torcendo para que tudo dê certo para todas elas. Espero mais filmes da Nadine Labaki.
    • Andries Viljoen
      Filmes com temáticas femininas, para homens, são sempre muito ruins: repetitivos, melosos, meio alienígenas (pra quê tanto doce?). Esse não!Talvez seja a ambiência. Um bando de mulheres faladeiras e alucinadas libanesas numa Beirute ainda bastante quadrada, cheia de fundamentalismos estranhos e exigências que parecem ter saído de um livro de história antiga. Nesse cenário, as protagonistas conseguem transitar entre suas ânsias, traumas, neuroses, vaidades, verdadeiras loucuras femininas universais. Agrada de uma maneira surpreendente.A personagem Lili, vivida pela sensacional e anônima Aziza Seeman, é a senhora senil histérica mais sensacional que eu já vi na vida. Não tem como ficar sério!A direção é da linda Nadine Labaki, que vive a depiladora sonhadora Layale. Inacreditavelmente Caramel é sua primeira experiência como realizadora. Esteve recentemente no Brasil para lançar E Agora Onde Vamos?, que com certeza assistirei.Fã, como eu, de Lars Von Trier, Nadine filmou cenas maravilhosas como a do aquário (que contracena com a filha de sua algoz, a esposa de seu namorado). Outra muito forte é a que Rose limpa a maquiagem em frente ao espelho numa dor e decepção agoniantes.Se tiver que indicar um filme para um casal assistir sem brigas e sono, essa é a opção.Excelente!
    • Andries Viljoen
      ótimo filme, adorei a forma como foi retratado o mundo feminino no Líbano, cada personagem e suas histórias e conflitos, tudo tão real...
    • Andries Viljoen
      O filme trata de assuntos delicados dentro de uma cultura retrógrada com relação a independência/direitos/espaço feminino ( retratado no trio principal: a amante, a homosexual, a que perdeu a virgindade antes do casamento), mostra que dentro destas condições elas conseguem uma certa liberdade no seu micromundo, que é o salão de beleza. E têm-se fora desse foco uma problematica bem mais universal ( aquela que abre mão da própria felicidade para cuidar de alguém que é sua familia, aquela que não se aceita dentro da sua idade).É bem agridoce, tanto no modo de tratar o roteiro quanto na fotográfia suave num tom marrom-alaranjado, remetendo-nos à cor do caramelo e da pele daquelas mulheres. Mesmo quando as situações ganham uma carga mais pesada e triste o filme mantem-se suave, e aqui, pra mim, funcionou; em cada olhar, nos sorrisos de canto, nas cenas lindas dos toque das mãos nos cabelos ou preparando o caramelo, e na mais que doce trilha sonora ( principalmente a última musica).O final é bem realista, nem todos têm sua redenção. E as vidas seguem, não precisa ser um final epifânico para ser um final.A singeleza angustiante com a qual Nadine Labaki trabalhou nesta obra é sensacional.Ela conseguiu expor a dor silenciosa que a maioria das mulheres que vivem em um contexto altamente patriarcal sofrem.Os sonhos, a cobrança social, a privação e o sacrifício demonstrado pelas personagens é de doer na alma.Em suma, não posso deixar de salientar a atuação revestida pela beleza de Nadine Labaki. Uma autêntica musa árabe...
    Mostrar comentários
    Back to Top