Meu AdoroCinema
    Uma Juventude Como Nenhuma Outra
    Uma Juventude Como Nenhuma Outra
    Duração 1h 30min
    Direção: Dalia Hager, Vidi Bilu
    Elenco: Katia Zinbris
    Gênero Drama
    Nacionalidade Israel
    Usuários
    2,9 2 notas
    notar :
    0.5
    1
    1.5
    2
    2.5
    3
    3.5
    4
    4.5
    5
    Vou ver

    Sinopse e detalhes

    Smadar (Smadar Sayar) e Mirit (Neama Shendar) são duas garotas israelenses de 18 anos, que cumprem o serviço militar em Jerusalém. Elas têm por tarefa a patrulha da cidade, com ordem para deter os palestinos que encontrarem pelo caminho, checar seus documentos e os registrar em um formulário especial. Entretanto, apesar do trabalho, elas vivem mergulhadas nos relacionamentos amorosos que possuem e em sua própria amizade. Até que um dia a realidade política do país as pega de surpresa.
    Título original

    Karov la bayit

    Distribuidor -
    Ver detalhes técnicos
    Ano de produção 2006
    Tipo de filme longa-metragem
    Curiosidades 1 curiosidade
    Orçamento -
    Idiomas Hebraico
    Formato de produção 35 mm
    Cor Colorido
    Formato de áudio Dolby SR
    Formato de projeção 1.85 : 1
    Número Visa -
    Pela web

    Elenco

    Katia Zinbris
    Personagem : Yael
    Ficha completa

    Fotos

    26 Fotos

    Curiosidade das filmagens

    Vários

    - Mais de 200 garotas, entre 20 e 25 anos, foram testadas para as personagens principais do filme. - Em Israel o serviço militar é obrigatório. Aos 18 anos todos os cidadãos precisam se apresentar, com os homens servindo por três anos e as mulheres por dois.

    Se você gosta desse filme, talvez você também goste de...

    Mais filmes similares

    Comentários

    • Andries Viljoen
      Muito legal a abordagem das meninas de israel que são obrigadas a servir o exército. O filme me despertou um certo interesse inicial que, com o desenrolar dos acontecimentos, se dissipou totalmente. O ponto de partida é original e defensivo, concordemos, mas a realização e o roteiro são perdidamente equivocados. E as interpretações femininas são horrendas!
    Mostrar comentários
    Back to Top